Lava Jato: Justiça bloqueia bens de ex-assessor de Dilma

Segundo o documento, o réu recebeu vantagens indevidas da Odebrecht, entre os anos de 2009 e 2014, quando Dilma era presidente

Rafaela Felicciano/Metrópoles

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

O juiz Renato Borelli, da 9ª Vara Federal de Brasília, determinou, nesta quarta-feira (12/02/2020), o bloqueio de bens de condenados na Operação Lava Jato. Um dos envolvidos é Anderson Dornelles, ex-assessor da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo o documento, os réus receberam vantagens indevidas da Odebrecht, entre os anos de 2009 e 2014. À época, Dilma transitou entre a Casa Civil e a Presidência da República.

MAIS SOBRE O ASSUNTO

“Os documentos apresentados pela União fornecem fortes indícios de que o primeiro réu, Anderson Braga, na condição de ex-assessor da então Ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e posteriormente assessorando-a na Presidência da República, teria recebido pagamentos mensais realizados pela Odebrecht”, diz trecho da denúncia.

Consta nos autos que Dornelles ainda beneficiou outras pessoas com empregos e outros tipos de vantagens, em troca de informações privilegiadas, obtidas no exercício do cargo e acesso à agenda da ex-presidente.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles