Homem pega 20 anos de prisão por matar namorado envenenado no DF

Hércules da Rocha Ferreira matou o advogado Francisco Simão de Araújo, em outubro de 2017, após as constantes brigas entre eles

Os jurados acolheram os argumentos do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) de qualificação do crime: uso de veneno, o que causou a morte de Francisco; traição, pois Hércules se aproveitou da relação e do acesso que possuía à casa para assassinar a vítima; e motivo torpe, tendo em vista que o crime foi cometido por desentendimento.

Em 15 de outubro de 2017, Hércules, após discussão com Francisco (foto abaixo) colocou veneno na comida dele. Sem suspeitar, a vítima ingeriu o alimento contaminado e faleceu. No dia seguinte, o autor voltou ao local do crime e, por meio do computador e com a senha da vítima, realizou uma transferência no valor de R$ 42.152,90.

Três dias após o crime, o corpo do advogado, que tinha 67 anos, foi encontrado com sinais de asfixia dentro da própria casa, na QNN 23 de Ceilândia. O autor do crime era namorado da vítima e o motivo teria sido as constantes brigas entre eles.

De acordo com as investigações da 19ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Norte), Hércules e Simão se conheceram em maio daquele ano, por meio de um site de relacionamentos. Desde então, passaram a se encontrar. Em depoimento, o rapaz confessou que costumava receber presentes do advogado com frequência, como aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos.

REPRODUÇÃO/INTERNET

Reprodução/Internet

O advogado Francisco Simão de Araújo, 67 anos, foi encontrado morto com sinais de asfixia dentro da própria casa

No entanto, segundo as apurações, Simão e Hércules discutiam sistematicamente, sempre por ciúmes das conversas que o rapaz mantinha com outros homens pelo WhatsApp. Na noite do assassinato, os dois saíram para comer um sanduíche e retornaram para casa. Em seguida, uma troca de mensagens entre Hércules e outra pessoa motivou uma nova briga.

Depois da confusão, Simão foi para o quarto. Enquanto isso, o criminoso foi até a geladeira e despejou uma caixa inteira de veneno para ratos em um pote de açaí.

Por volta das 23h, Simão foi até a cozinha e tomou o açaí envenenado. Pouco tempo depois, começou a agonizar e pediu socorro a Hércules, que apenas segurou sua mão. Após a morte, o rapaz fugiu e levou a chave do carro e o cartão bancário do advogado.

Fonte: Metropoles (Com informações do MPDFT)