Filha de mulher queimada por companheiro no DF: “Gritava de dor”

Caso aconteceu na terça-feira (25/8), no Recanto das Emas. Vítima recebeu alta do Hospital Regional de Taguatinga

Mulher que teve o corpo queimado pelo companheiro no DF

ARQUIVO PESSOAL

A filha da mulher queimada supostamente pelo companheiro, no Distrito Federal, na terça-feira (25/8), relatou que a mãe ligou para ela após o crime, informando que havia sido atacada pelo homem. “Ela me chamou, dizendo que o companheiro tinha tacado fogo nela“, disse.

“Quando eu cheguei à casa dela, já estava todo o socorro para levá-la ao hospital. Acompanhei até lá e, no HRT (Hospital Regional de Taguatinga), conversei com um policial, passei todas as informações para ele chamar a polícia”, narrou.

De acordo com a filha, a vítima “gritava de dor” quando deu entrada na unidade de saúde. “Ela estava em choque. Hoje (quarta, 26/8) recebeu alta, mas tem queimaduras de segundo grau e está toda enfaixada”, assinalou.

Ainda segundo ela, a mãe morava com o companheiro no Recanto das Emas, onde ocorreu o ataque, há sete anos, mas não relatava casos de agressão dentro do relacionamento. Os dois não tiveram filhos juntos.

Se ele já havia sido agressivo, minha mãe nunca comentou comigo. Mas, na delegacia, soubemos que ele já tem passagem, que essa não foi a primeira vez que ele bateu em mulher”, disse. “Ela agora só quer justiça”, completou.

O acusado deve passar por audiência de custódia nesta quinta-feira (27/8), quando a Justiça decidirá se ele permanece ou não preso.

A agressão

O agressor, de 28 anos, foi preso pela Polícia Civil do DF (PCDF). A vítima, de 45, precisou ser internada, com queimaduras graves nas costas e na barriga.

A corporação foi acionada por um agente de polícia lotado no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Ele informou aos policiais que uma mulher havia dado entrada na unidade de saúde, transportada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), com o corpo queimado após agressão do companheiro.

Em seguida, policiais iniciaram a busca pelo agressor e o encontraram na casa do irmão, na quadra 310 do Recanto das Emas. Após ser preso, o homem alegou aos investigadores que a companheira havia ateado fogo no próprio corpo.

De acordo com o delegado Pablo Aguiar, da 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas), que apura o caso, o suspeito foi preso por tentativa de feminicídio.

“Na delegacia, ao ser preso, ele ficou desesperado, dizendo que a mulher que tinha jogado álcool nela e nele. Aí, os policiais foram até o hospital entrevistá-la e ela ficou revoltada [com a versão do suspeito]. Disse que ele que havia acendido um isqueiro e jogado em cima dela”, relatou.

O criminoso tinha passagem por crime contra a Lei Maria da Penha em outro relacionamento. Segundo o delegado, na segunda-feira (24/8), ele não havia passado a noite em casa. Ao chegar na residência na terça, discutiu com a vítima. A briga evoluiu até a agressão.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles