Facebook e Google lideram ranking de erros de segurança em 2019

Relatório aponta que falha humana é recorrente em casos de invasão de contas

Dashlane, empresa especializada em gerenciamento de credenciais e senhas, lançou a sua quarta lista anual “Worst Password Offenders“. O ranking mostra empresas e pessoas que cometeram falhas de segurança importantes durante o ano de 2019. Nas primeiras colocações, duas gigantes de tecnologia: Facebook Google.

Veja também:Ranking revela quais são as piores senhas de 2019Google Chrome vai avisar, em tempo real, se sua senha foi roubada44 milhões de usuários da Microsoft utilizam senhas que foram vazadasVocê pode e deve usar espaço em suas senhas; veja o porquêSenhas vão se tornar coisa do passado, diz especialista

A rede social fundada por Mark Zuckerberg ficou em primeiro lugar na lista, seguida pelo maior site de busca do mundo. Segundo o relatório, as empresas armazenaram a senha dos usuários em texto simples. Além disso, o Facebook guardou informações pessoais em um servidor desprotegido e coletou dados de seus utilizadores sem consentimento dos usuários.

De acordo com analistas, ambas as empresas deveriam investir nas melhores técnicas de segurança em 2020. No entanto, o ranking deixa tanto Google quanto Facebook à frente das demais por conta da responsabilidade com as bases dos usuários. Outras que figuram a lista com erros semelhantes foram a WeWork, Elsevier e Virgin Media.

Apesar das vulnerabilidades e fraquezas dos sistemas, algumas pessoas figuram na listagem por causa de distrações. Este é o caso de Lisa Kudrow, conhecida por atuar na série “Friends”, que compartilhou uma foto em sua conta no Instagram na qual revelava sua senha em post-it que aparecia em segundo plano. O erro cometido não é exclusividade da atriz, e mesmo que haja mecanismos de proteção fracos, muitas ações humanas apontam para tendências desleixadas em relação às senhas.

A justificativa para isso é de que muitos indivíduos ainda apresentam comportamentos incorretos na hora de escolher suas senhas. Para os especialistas, as informações pessoais dos usuários ainda estarão em risco até que as organizações adotem uma abordagem mais proativa em relação à segurança da internet.

Via: Computer World

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital