Escolas privadas do DF voltam a abrir as porta nesta quarta, diz Sinepe

Segundo sindicato, as 570 instituições privadas já estavam preparadas. Algumas retomam atividades administrativas e recebem alunos na quinta

Escolas privadas do DF podem reabrir em 27/07 e as públicas no dia 03/08RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Após decisão da juíza Adriana Zveiter, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), que autorizou a reabertura imediata das escolas, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (Sinepe-DF) ressalta que as 570 instituições privadas do Distrito Federal estão aptas a retomar o funcionamento presencial já nesta quarta-feira (5/8). Algumas voltarão da quarentena de cinco meses para reunir professores e mandar comunicados aos pais e estudantes. Outras já receberão turmas de alunos.

A volta às aulas deveria ter ocorrido em 27 de julho, conforme o Governo do Distrito Federal havia autorizado, mas medida cautelar expedida pelo juiz Gustavo Carvalho Chehab, também do TRT-10, suspendeu a volta às aulas. Somente nesta terça, o retorno foi novamente liberado depois de audiência de conciliação e de o GDF dizer que não opinaria sobre o calendário da rede privada de ensino.

O Sinepe comemorou a decisão da Justiça e disse que as escolas devem funcionar “como um ambiente de disseminação de informações e de prevenção à Covid-19.”

Assista vídeo do presidente da entidade, Álvaro Domingues:

Retorno

A Escola Arvense, localizada na Asa Norte, afirmou ao Metrópoles que nesta quarta-feira (5/8) o retorno dos estudantes será organizado para ocorrer na quinta-feira (5/8). “A escola já estava preparada para voltar dia 27 de julho. Depois disso, organizou-se para voltar na quinta, dia 6. Amanhã será enviada circular para informar os pais”, afirmou a diretora-pedagógica da instituição, Márcia Nogueira.

O Sinepe realizou pesquisa entre as escolas e chegou ao resultado de que 30% dos responsáveis desejam a volta das aulas presenciais e mandarão seus filhos para a escola. Com os dados, foi possível aos colégios elaborarem protocolos de retorno em total atenção aos cuidados necessários com alunos e profissionais. A expectativa é os colégios tenham entre cinco e seis alunos em cada sala de aula. Os outros 70% manterão as atividades remotas.