Condenada mulher que fingiu gravidez para entrar na Papuda com drogas

A acusada escondeu entorpecentes nas partes íntimas e simulou estar grávida, com o objetivo de não passar por inspeção de raio-x

Michael Melo/Metrópoles

MICHAEL MELO/METRÓPOLES
Fernando Caixeta

Segundo a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), a acusada usou documentos forjados, um receituário médico e uma caderneta de gestante no intuito de não ser submetida ao raio-x.

No entanto, por integrar uma lista de visitantes suspeitos, a mulher foi encaminhada para exame no Instituto Médico Legal (IML). No local, ela admitiu estar portando uma porção de maconha na vagina.

O juiz titular da 3ª Vara Criminal a condenou por tráfico de drogas e uso de documento falso. A pena fixada foi de 11 meses e 10 dias de prisão em regime aberto, que foi substituída por duas penas restritivas de direitos a serem definidas.

Fonte: Metropoles (Com informações do TJDFT)