Administrador do Cruzeiro/Sudoeste Helio dos Santos, solta nota sobre retirada de grades

Resultado de imagem para grades do cruzeiro
A Administração Regional do Cruzeiro vem a público informar que tem acompanhado com o devido cuidado a questão das grades do Cruzeiro Novo, fato que preocupa os moradores e se estende há mais de vinte anos. O GDF, por meio da Procuradoria Geral, tem estudado o caso, e aguarda a notificação oficial da justiça para prosseguir na defesa da manutenção dos cercamentos no bairro. Vários entendimentos tem sido construídos envolvendo o poder legislativo local e federal, IPHAN, Ministério Público e a comunidade organizada. Por fazer parte da área tombada, o Cruzeiro deve seguir parâmetros urbanísticos, mas é pública a situação específica de nossos blocos, próximos demais às vias públicas, alguns com desníveis em relação ao solo e outros fatores distintos das superquadras nas Asas Sul e Norte. Entendemos que a lei complementar 813/2009, mesmo sendo questionada pelo STJ, serve como um parâmetro para adequar nossa cidade ao padrão urbanístico reconhecido mundialmente pela UNESCO. Tal padrão deve ser respeitado em nome da boa convivência e do respeito ao espaço público, sem contudo, colocar em risco o patrimônio e a vida dos cidadãos do Cruzeiro, os quais investiram na segurança de suas famílias e imóveis amparados por leis ora questionadas. Consideramos que o Poder Judiciário, o MPDF e o IPHAN chegarão a um bom termo, dentro de princípios razoáveis que reconheçam as especificidades do Cruzeiro e garantam de maneira definitiva a permanência legal dos cercamentos em nossos blocos. Convidamos todos para a Audiência Pública a se realizar no Senado Federal no dia 22 de fevereiro, às 17h30.
Fonte: Assessoria Administração Cruzeiro/Sudoeste