Fogo atinge hospital no RJ e pelo menos um paciente morre após resgate

Incêndio ocorreu em hospital particular. Doentes foram restirados às pressas e levados para a rua e depois para outras unidades

CELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOCELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

ATUALIZADO 12/09/2019 20:24

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.Ouça: Fogo atinge hospital no RJ e pelo menos um paciente morre após resgate0:00Audima

Um incêndio atingiu o Hospital Badim, na Rua São Francisco Xavier, no Maracanã (zona norte do Rio de Janeiro), na noite desta quinta-feira (12/09/2019). Os bombeiros confirmaram que pelo menos um dos pacientes retirados do prédio morreu após o resgate, mas não há confirmação de que tenha sido em decorrência do fogo.

Segundo funcionários relataram à polícia e publicações nas redes sociais, o incêndio teria começado por volta das 18h15, em um prédio antigo onde funcionava o setor de laboratórios.

Pacientes que estavam internados em áreas próximas foram retirados às pressas e levados para o meio da rua, onde foram colocados em colchões jogados pelas janelas da unidade de saúde. Uma creche que fica na mesma rua também recebeu pacientes até que chegassem ambulâncias para transferir os doentes a outras unidades de saúde.

Equipes do Corpo de Bombeiros dos quartéis da Tijuca e de Vila Isabel (ambos bairros da zona norte da capital fluminense) atuavam no combate ao fogo.

De acordo com a direção do hospital, que divulgou uma nota, a principal suspeita é de que houve um curto circuito no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo. “Toda a direção do Hospital Badim está empenhada em prestar os devidos socorros necessários aos pacientes, que estão sendo transferidos para o Hospital Israelita Albert Sabin e para os hospitais da Rede D’Or, do qual o Badim é associado”, diz trecho da nota. (Com informações da Agência Estado).