Flordelis não está colaborando com investigações, diz MP do Rio

A polícia não descarta a participação da deputada federal na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo

BINHO DUTRA/DIVULGAÇÃO

O promotor Sérgio Lopes Pereira, responsável pelo caso do assassinato do pastor Anderson do Carmo, informou que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) e a família não estão colaborando com o andamento das investigações. A afirmação foi feita durante entrevista ao Fantástico, da TV Globo, nesse domingo (23/06/2019).

“Se mata um ente querido, você quer saber quem foi e a forma de saber é colaborando com as investigações. Nós não estamos vendo isso por parte da família, infelizmente”, disse o representante do Ministério Público do Rio de Janeiro. Assim como a delegada Bárbara Lomba, que investiga o caso, o promotor reforçou que todos que estavam na casa no momento do crime são suspeitos.

Flordelis é esperada na manhã desta segunda-feira (24/06/2019) na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG). A viúva foi convocada para prestar um novo depoimento sobre a morte do marido. De acordo com a assessoria da deputada, Flordelis aceitou o convite nos termos formulados pela polícia, pois tem o interesse de colaborar com as investigações.

Investigações
A participação de Flordelis na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, não está descartada pelos investigadores. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSGI) apura essa possibilidade, assim como ainda tenta desvendar a motivação para o crime.

Um dos filhos da parlamentar afirmou aos investigadores que a mãe e as três irmãs podem estar envolvidas na morte do pai, assassinado a tiros. O rapaz, que não teve a identidade revelada, afirmou também que uma das três irmãs suspeitas ofereceu R$ 10 mil ao irmão Lucas dos Santos para matar Anderson do Carmo.

“Não está esclarecida se a execução aconteceu daquela forma que foi narrada, se são só essas pessoas envolvidas. Então, muita coisa ainda está indefinida. São muitas motivações possíveis, pode ser mais de uma. E não está comprovada a relação extraconjugal”, explicou a delegada Lomba.

A investigadora destacou, durante atendimento à imprensa, que não foram encontrados os celulares da vítima, Anderson do Carmo, nem de Flávio dos Santos, um dos dois filhos do casal presos na segunda-feira passada (17/06/2019), acusado de ser um dos mandantes do assassinato. “Certamente havia informações importantíssimas”, enfatizou. Bárbara também ressaltou que, a princípio, o celular de Flordelis não será investigado.

Crime
O pastor Anderson do Carmo, marido da cantora e deputada federal Flordelis (PSD-RJ), foi morto na madrugada do último dia 16, em Niterói, no Rio de Janeiro. Os dois são pais de 55 filhos, sendo quatro biológicos. Eles moravam na comunidade do Jacarezinho quando adotaram, de uma vez, 37 crianças — todas sobreviventes de uma chacina ocorrida na estação Central do Brasil.

Pastora evangélica e cantora gospel, Flordelis recebeu 196.959 votos no primeiro mandato, sendo a quinta mais votada no Rio de Janeiro, com 2,55% dos votos válidos no estado. Ela já havia sido candidata em 2004 a vereadora em São Gonçalo (RJ), pelo então PMDB.

Fonte: Metropoles