Zambelli detona Lula e levanta a #LulaTorcePeloVirus

Deputada criticou declaração do petista a respeito do novo coronavírus

Deputada federal Carla Zambelli Foto: Agência Câmara/Luis Macedo

Em uma rede social, a deputada Carla Zambelli condenou as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, em entrevista para a Carta Capital “agradeceu a natureza” pela criação do novo coronavírus.

A parlamentar comentou o pedido de desculpas que Lula compartilhou, nesta quarta-feira (20), após críticas pelo modo como se expressou.

Leia também1 “Ainda bem que a natureza criou o coronavírus”, diz Lula
2 TRF-3 rejeita denúncia contra Lula e o irmão por ‘mesada’
3 TRF-4 mantém pena de 17 anos contra Lula por sítio

– Só aceito as ‘desculpas’ do condenado em três instâncias no dia em que ele e a turma dele devolverem cada centavo que roubaram do povo brasileiro, com juros e correção monetária. Bora subir? #LulaTorcePeloVirus – escreveu Carla.

Publicação de Carla Zambelli Foto: Reprodução

Em suas declarações, Lula afirmou ainda que o vírus teria servido para alertar o governo do presidente Jair Bolsonaro sobre a importância de um Estado forte para conter o avanço da crise econômica.

LULA
O petista segue enquadrado na Lei da Ficha Limpa, impedido de disputar eleições. Lula permaneceu preso de 7 abril de 2018 a 08 de novembro de 2019 em uma cela especial da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Lula foi condenado em primeira, segunda e terceira instâncias sob a acusação de aceitar reformas e a propriedade de um tríplex, em Guarujá, como propina paga pela empreiteira OAS em troca de contrato com a Petrobras, o que ele sempre negou.

A pena do ex-presidente foi definida pelo Superior Tribunal de Justiça em 8 anos, 10 meses e 20 dias, mas o caso ainda tem recursos pendentes nessa instância e, depois, pode ser remetido para o STF.

Além do caso tríplex, Lula foi condenado em segunda instância a 17 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem no caso do sítio de Atibaia (SP).

O ex-presidente ainda é réu em outros processos na Justiça Federal em São Paulo, Curitiba e Brasília. Com exceção de um dos casos, relativo à Odebrecht no Paraná, as demais ações não têm perspectiva de serem sentenciadas em breve.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Pleno News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here