Novacap gastará R$ 300 mi em PDV para desligar 650 empregados

Segundo a estatal, 45% do quadro de pessoal tem mais de 58 anos. Desse total, 600 estão aposentados pelo INSS e continuam trabalhando

Michael Melo/Metrópoles

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Novacap gastará R$ 300 mi em PDV para desligar 650 empregados5:41

O objetivo da estatal é acabar com supersalários e rejuvenescer o quadro de pessoal. Após os desligamentos, será lançado concurso público.

A Novacap é responsável por pequenas obras e pela conservação do DF, tendo, aproximadamente, 2 mil empregados. Segundo o presidente da estatal, Candido Teles, desse total, 900 têm mais de 58 anos de idade. Ou seja, 45% da empresa.

Neste grupo envelhecido, 600 estão aposentados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas não deixaram os postos de trabalho. Percentualmente, representam 30% da estatal.

Em outras palavras, três em cada 10 empregados da Novacap continuam trabalhando mesmo após a aposentadoria.

“Temos empregados com 76 anos de idade. Eles não têm mais condições físicas de exercer as suas atividades. Você imagina a pessoa com 75 anos trabalhando com tapa-buraco? Não tem condições”, assinalou Teles.

Dentro do quadro de pessoal, existem trabalhadores com recomendação médica para não carregar peso.

“É bom que se diga a verdade: a companhia está fazendo isso porque ela não tem orçamento para continuar mantendo esses empregados. Não tenho recursos suficientes para continuar mantendo essa folha por mais tempo”, justificou.

Atualmente, a folha da Novacap consome R$ 26 milhões por mês. “Estamos no limite. A redução dos gastos vai nos permitir investir em obras”, pontuou.

“Qual é a nossa principal dificuldade? É achar o equilíbrio. É apresentar uma proposta que seja atrativa ao empregado para que ele venha a aderir esse programa, que na verdade é um acordo”, ponderou.

Segundo Teles, a Novacap também tem a preocupação social em relação aos trabalhadores. “Durante um bom período, eles prestaram relevante serviço para o governo do DF (GDF)”, concluiu.

A estratégia para redução dos gastos com pessoal da estatal passa pelo PDV e o novo acordo coletivo assinado no final de 2019. De acordo com o presidente da empresa, o programa de demissão terá como foco os empregados com 58 anos de idade ou mais.

Ou seja, o empregado com 40 anos é inelegível neste caso.

Cada situação será analisada. Se o empregado desempenhar uma atividade necessária para a empresa, não será possível a adesão imediata. “Podemos até aceitar no futuro, mas não imediatamente”, ressaltou.

Decreto

A companhia aguarda a publicação de novo decreto do governo, regulamentando os PDVs em todas as estatais do DF. De acordo com Teles, o ato será publicado no Diário Oficial do DF (DODF) em breve e vai disciplinar as regras para desligamentos voluntários e ações similares.

“O governo não pode trabalhar isoladamente. Não pode dar um tratamento para uma companhia e outro para outra”, resumiu. Por isso, tão logo o decreto seja publicado, o programa da Novacap será lançado. Nesse contexto, a estatal deve iniciar o programa de desligamento até fim de janeiro.

Nas palavras de Teles, o desligamento voluntário será feito por etapas mensais de adesão. A cada uma, a empresa vai listar aproximadamente 100 empregados.

Detalhe: não serão aceitos empregados que estejam respondendo a processos administrativos disciplinares (PADs) ou a qualquer tipo de investigação dentro da companhia.

A proposta da estatal é parcelar o pagamento do PDV. O percentual do incentivo ainda está em estudo. Novamente, nas palavras de Teles, a intenção da companhia é fazer uma proposta equilibrada, vantajosa para a estatal e para o empregado.

“Serão 20, 30 parcelas? Serão 50%, 60% do salário? Esse ajuste é o que nós estamos fazendo com os estudos”, comentou.

THIAGO S. ARAÚJO/ ESP. METRÓPOLESTHIAGO S. ARAÚJO/ ESP. METRÓPOLESThiago S. Araújo/ Esp. Metrópoles
Segundo o presidente da Novacap, a estatal investirá R$ 300 milhões em PDV para renovar e diminuir gastos com o quadro de pessoal. Empresa espera conseguir a adesão de 650 empregados com idade igual ou maior que 58 anos

Com as parcelas, o empregado vai receber o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e os 40% sobre o valor depositado pela empresa, que são obrigação do empregador.

Novo concurso

Após o PDV, entre o fim de 2020 e o início de 2021, a empresa planeja renovar o quadro de pessoal. “Nós vamos fazer concurso público. Vamos contratar pessoal na área específica da Novacap. Nós somos uma grande empresa de engenharia e urbanismo. Nós vamos contratar engenheiros, arquitetos, advogados”, antecipou.

A ideia é qualificar o quadro com pessoal. Pelas contas da diretoria, 80% do quadro atual ingressou na estatal apenas com o Ensino Fundamental.

O último concurso foi anulado após uma série de irregularidades e denúncias. Desta vez, a empresa pretende redobrar os cuidados na contratação da banca organizadora.

A folha de pagamento foi objeto de auditorias do Tribunal de Contas do DF (TCDF) e da Controladoria-Geral do DF (CGDF). As investigações denunciaram irregularidades nos cálculos dos contracheques da estatal. As distorções propiciaram supersalários, muito além do padrão do mercado

Postagem:http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here