Maia afirma que foi ameaçado por governador: “Não aceito ameaças”

Sem citar nomes, o presidente da Câmara contou que houve embate “no sábado à noite”. Ele rebateu o que chamou de “intimidação”

Rafaela Felicciano/MetrópolesRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Durante a sessão da Câmara dos Deputados, desta terça-feira (01/10/2019), o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que foi ameaçado por um governador no último sábado (28/10/2019). “Nem governador nem senador vai ameaçar a Câmara como eu fui ameaçado no sábado à noite”, declarou o democrata – sem citar nomes ou mesmo o que teria sido dito. A informação é do Congresso em Foco.

De acordo com a reportagem, o desabafo de Maia começou quando o deputado Arthur Lira (PP) reclamou de ofensas que o senador Cid Gomes (PDT-CE) teria feito aos deputados. Alguns parlamentares estavam insatisfeitos quanto aos desdobramentos da cessão onerosa.

O relatório de Cid Gomes previa que o dinheiro do leilão da Petrobras tivesse os mesmos critérios do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de uma única vez. Os deputados queriam alterar o texto.

A ideia dos parlamentares é fazer com que os valores sejam enviados através de emendas, ou seja, eles decidirão como o dinheiro será investido nas suas bases. É essa mudança que desagrada governadores e senadores.

“Eu não aceito que alguns governadores ameacem a Câmara dos Deputados como alguns fizeram nos últimos dias. Governadores do Nordeste. Eu não aceito ameaça à Câmara dos Deputados”, disse Rodrigo Maia.

O presidente da Câmara contou em plenário os bastidores de uma discussão que teve com um governador. Maia teria ameaçado de volta, alertando que se o governador continuasse a ameaçá-lo, ele iria dificultar o envio dos recursos.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles