Irã admite que derrubou avião ucraniano, mas alega engano

Presidente iraniano disse que o fato foi um “erro imperdoável”

O Irã assumiu neste sábado (11), que foi o responsável por derrubar o avião da Ukranian International Airlines na última quarta-feira (8), logo após o avião decolar do aeroporto de Teerã, capital do país. O presidente iraniano, Hassan Rouhani, porém, disse que o desastre que matou 176 pessoas foi um “erro imperdoável”.

– A investigação interna das Forças Armadas concluiu que, infelizmente, mísseis disparados devido a erro humano causaram o terrível acidente do avião ucraniano e a morte de 176 pessoas inocentes. As investigações continuam a identificar e processar esta grande tragédia e erro imperdoável – declarou, em uma rede social.

EUA vão investigar queda de avião após Irã ‘mudar de ideia’
Jornal divulga vídeo que seria de míssil atingindo avião
Premiê do Canadá acusa Irã de ter atingido avião ucraniano

Já o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, manifestou profundos sentimentos às famílias das vítimas e pediu para que as forças armadas da nação persa busquem os erros prováveis e a culpa trágico incidente.

O comandante das forças aeroespaciais do Irã, Amir Ali Hajizadeh, declarou que a Guarda Revolucionária aceita a responsabilidade pelo ocorrido e explicou que o operador do sistema confundiu o avião com um míssil de cruzeiro.

Hajizadeh disse ainda que o operador tentou contatar seus superiores para efetuar o disparo, mas o sistema de comunicação falhou e ele acabou tomando “uma má decisão”.

Após o comunicado, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, cobrou um pedido oficial de desculpas de Teerã e pediu que as investigações sobre o desastre continuem.

Nações como o Canadá, Reino Unido e EUA já haviam alertado que o avião, um Boeing 737, fora abatido por um míssil iraniano, provavelmente por engano. Vários vídeos que corroboravam a tese foram postados nas redes sociais.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Pleno.News