Ibaneis sobre proposta de reajuste de PMs e bombeiros: “Avançada”

Governador disse que texto deve ser concluído nesta semana e, posteriormente, encaminhado ao governo federal

Rafaela Felicciano/MetrópolesRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

A proposta do GDF de reajuste para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal “está bem avançada e quase concluída”, segundo o governador Ibaneis Rocha (MDB). Sem entrar em detalhes, o emedebista comentou que o Palácio do Buriti está a poucos passos de encaminhar o texto para o governo federal.

“Está bem concluído, bem avançado. Eu vou me reunir com nossos secretários. Semana passada foi um pouco conturbado, por conta do feriado, ponto facultativo. Mas acho que nesta semana estará tudo concluído”, disse, ao ser questionado pelo Metrópoles na manhã desta segunda-feira (04/11/2019), em frente ao Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT).

A intenção da Secretaria de Segurança é que o texto seja enviado no formato de minuta de medida provisória, para receber aval da Presidência da República. A elaboração da proposta é acompanhada pelo secretário de Economia, André Clemente. Entre os tópicos discutidos pelos chefes de pasta, estão a proporção do aumento e a forma como ocorrerá o pagamento do auxílio-moradia dos militares.

Na sexta-feira (01/11/2019), o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), voltou a falar do aumento salarial para integrantes da segurança pública do Distrito Federal. A bombeiros fardados que acompanhavam a agenda do chefe do Executivo, em Ceilândia, Bolsonaro disse: “Se for para todo mundo… Só para eles, não”.

Segundo o responsável pelo vídeo, o sargento do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) Erivan Cardoso, 47 anos, o 01 do Palácio do Planalto se referia ao reajuste. “Alguém lá atrás falou: ‘Presidente, e o aumento é para todos?’. E ele respondeu aquilo lá, mas no vídeo não aparece a pergunta”, afirmou à reportagem.

Confira a fala de Bolsonaro:

Reforma administrativa

“Acho que a estabilidade daqueles que já a adquiriram tem que ser mantida. Mas temos que pensar daqui para frente. Até na visão do que é o servidor. Mas acredito que pequenas mudanças, como a contratação do servidor celetista, já resolveria o problema” destacou. O emedebista diz que vê como “bem-vindo” o avanço do Estado. “Nós temos que repensar a máquina pública que foi criada, valorizar os serviços públicos que atendem na parte final a população e reavaliar toda essa questão. Então vejo com muitos bons olhos”, pontuou.

Ibaneis destacou que a Constituição de 1988, referência para o funcionalismo público, foi criada com o intuito de trazer direitos para trabalhadores e população. Mas o tempo agora é outro. “Quem paga esses direitos é o cidadão com os seus tributos. Então, hoje, nós temos que pensar muito mais para quem nós estamos prestando esses serviços e quem paga isso aí, do que quem está do lado de cá da máquina”, argumentou.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles