Governo fecha parceria com ADVB para realização do projeto Park das Nações

Obras serão implantadas, no prazo de um ano, em evento no Parque da Cidade

Em reunião no Palácio do Buriti nesta quarta-feira (10), foi referendada uma parceria público-privada entre o Governo do Distrito Federal e a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Distrito Federal (ADVB-DF) para a realização do evento Park das Nações, em um ano, no Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Por meio de ofício, a Associação solicitou o apoio institucional ao GDF para o início do projeto, que foi apresentado pela presidente da ADVB-DF, Cláudia Maldonado, ao vice-governador Paco Britto, ao secretário de Governo, José Humberto, que conduziu a reunião, e aos demais secretários relacionados ao setor, presentes ao encontro.

Nos termos do documento apresentado, o Park das Nações terá duração de 15 dias, entre os dias 6 e 16 de agosto de 2020. O objetivo central do projeto é posicionar o Distrito Federal como hub de distribuição, produção, serviços e tecnologia para exportação.

Para dar sequência à iniciativa, uma nova reunião foi acertada, mas ainda sem data definida. Ainda de acordo com Cláudia, o projeto deverá atender por volta de 150 mil pessoas, tendo como público-alvo micros, pequenos e médios empresários (como fornecedor de materiais e serviços), executivos, escritórios jurídicos, agentes de comércio exterior, compradores externos, instituições financeiras e representantes de entidades de classe entre outros.

“Vamos trazer o emocional das Festas das Nações, com uma roupagem nova e antenada com as tendências”, anuncia a presidente da ADVB-DF, Cláudia Maldonado | Fotos: Vinícius de Melo / Agência Brasília

Além do projeto, a empresária discorreu sobre Encontros de Comércio Exterior (Ecomex), visando mostrar a importância da criação de uma política de exportação para o DF dentro do padrão ambiental e tecnológico. Ficou determinado entre os presentes que o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, será o coordenador da ação do projeto.

“Aceito a paternidade”, brincou, em resposta, o secretário.

Paco Britto revelou que, por determinação do governador Ibaneis Rocha, o projeto já estava sendo desenvolvido pelo governo há quatro meses. “Há uma integração de tudo”, observou, referindo-se ao projeto apresentado e outras ações do governo, como a revitalização da W3, que proporcionam a geração de empregos.

“Estamos seguindo o que foi proposto na campanha”, lembrou. O vice-governador fez questão de destacar também o apoio do setor produtivo nessas ações. “Estamos sempre com portas abertas”, emendou.

“Nós abraçamos, sim, esse projeto”, reforçou o secretário de Governo, José Humberto.

Já o secretário de Cultura, Adão Cândido, sugeriu antes uma reunião com representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para pedir autorização na execução da obra no Parque da Cidade, devido ao fato de Brasília ser tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade. O secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, concordou com o colega, lembrando que no local já houve casos em que projetos foram inviabilizados.

“Há um zoneamento feito pelo Iphan e a resistência é muito grande”, observou.

Parque multisetorial

Entre outros pontos do projeto apresentados, Cláudia falou sobre a área de exposição intitulada Espaço Exportador, uma das principais atrações do Park da Nações. “Ele permitirá a interação do cidadão brasiliense e visitantes a conhecer e vivenciar as diferentes culturas que interagem no dia-a-dia da nossa capital”, frisou.

Segundo a dirigente, a ideia é justamente a interação com o público. “Vamos trazer o emocional das Festas das Nações, com uma roupagem nova e antenada com as tendências”, explicou, acrescentando que no evento haverá setores relacionados às oficinas gastronômicas, à área de negócios, ao setor produtivo e à cultura (música, artesanato etc), entre outros.

Participaram também do encontro o secretário de Relações Internacionais, embaixador Pedro Luiz Rodrigues, e representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), da Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio) e do Sistema S.

Comércio exterior

Os Encontros de Comércio Exterior são um conjunto de ações técnicas e coordenadas com o intuito de estimular maior participação do empresariado do Distrito Federal e da região Centro-Oeste nas ações de exportação de seus produtos e serviços.

Fonte: Aqui Águas Claras