Feminicídio no DF de volta

Com a continuidade do isolamento social, os casos de feminicídio no DF não param de acontecer e deixar de serem comentados, a Presidente do Conselho de Desenvolvimento de Taguatinga, Lucia Bessa, uma mulher que realmente luta pela segurança das mulheres, faz uma análise dos últimos casos de feminicídio no DF

Por Lucia Bessa

INACREDITÁVEL!
EM APENAS 05 DIAS, DOIS FEMINICÍDIOS NO DF
MAIS UMA DE NÓS SE FOI.
TRISTE! DESOLADOR! CRUEL! INADMISSÍVEL!

Confesso a vocês, que estou escrevendo esse texto, chorando muito. Com muita tristeza e desolação.
Agora, foi Pollyanna Pereira de Moura, de apenas 35 anos, que foi esfaqueada pelo seu marido Fabrício David Jorge, de 42 anos, que, após, tirou a própria vida. O fato ocorreu dentro do apartamento onde moravam, em Águas Claras, nesta quinta-feira (30/7).
Segundo uma vizinha, “Eram gritos de desespero, gritos de morte. Era desesperador, mas ninguém saiu no corredor, ninguém apareceu para ajudar.”
Nos dizem todos os dias que nossas vidas valem muito pouco ou nada.
Destroem nossos Sonhos, projetos e ideais…Deixam nossos filhas e filhas órfãs, sem esperança…
Meu Deus, que triste e inexorável realidade.
E só ouvimos o silencio e a indiferença: dos órgãos públicos que deveriam resguardar as nossas vidas e nos proteger e dos que escutam e vêm a violência e se calam..e ao se calarem, se tornam coniventes..

Triste, muito triste.
Pugnamos por políticas públicas que priorizem as nossas vidas!
Pugnamos por mais empatia, amor e compaixão pela vida e pela dor de todas as pessoas, de modo muito particular, de nós Mulheres!

O que nós queremos : VIVER
O que nós exigimos: VIVER LIVRES DE TODA VIOLÊNCIA E OPRESSÃO

Fonte: http://egnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here