Executiva do Podemos confirma expulsão de Feliciano

Vice-líder do governo no Congresso, o parlamentar teve que abandonar a sigla depois de manifestar “apoio irrestrito” ao presidente Bolsonaro

Antonio Augusto / Câmara dos Deputados

ANTONIO AUGUSTO / CÂMARA DOS DEPUTADOS

A Executiva Nacional do Podemos confirmou, nesta segunda-feira (06/01/2019), a expulsão do deputado federal Marco Feliciano (SP) da legenda. O motivo: infidelidade partidária por defender o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). O parlamentar, por sua vez, desdenhou da medida e disse, em nota, que até se “orgulha” de ter sido desfiliado.

“Fui expulso por infidelidade partidária, por fazer campanha para o presidente Bolsonaro em 2018. Qualquer outro motivo é fake news. Para mim, é motivo de orgulho ser expulso do Podemos por defender o presidente Bolsonaro, que está mudando o Brasil para melhor”, ressaltou Feliciano.

Segundo o deputado, a Executiva do partido o teria procurado e externado que não queria sua saída. No entanto, Feliciano disse ter alegado que “não havia mais clima” para a presença dele no partido, uma vez que estaria sofrendo, todos os dias, “ataques” do senador Álvaro Dias (PR) e do vereador Mário Covas Neto (SP).

Puxadinho tucano
Um dos vice-líderes do governo no Congresso, Feliciano disse ainda que Covas Neto e Dias “só pensam em projetos pessoais e eleitoreiros, em detrimento dos interesses do Brasil e de São Paulo”.

Para o deputado, o vereador transformou o diretório do Podemos de São Paulo em um “puxadinho do PSDB à serviço da candidatura do sobrinho [Bruno Covas, prefeito de São Paulo]”.

“Já Álvaro Dias, que saiu anão da eleição presidencial com menos de 1% dos votos, age como o PT e aposta no quanto pior, melhor. Ao invés de ajudar um governo que não tem escândalo de corrupção e está tirando o Brasil do atoleiro, só pensa em ser presidente da República”, diz a nota de Feliciano.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles