Eduardo Pedrosa: Temos que aprender a seguir os tramites corretos para não permitirmos a morosidade em aprovarmos um Projeto de Lei

Imagem relacionada

Em seu primeiro mandato como Deputado, Eduardo Pedrosa esta no caminho certo para tornar-se um dos grandes parlamentares dessa Legislatura, muito atento e inteirado no que diz respeito a aprovação de Projetos de Leis. Nesta quarta feira passada (04), a Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) passou a informação de que o Projeto de Lei Complementar 19/2019, aprovado em caráter terminativo, estaria pronto e seria levado no mesmo dia para a aprovação do plenário, conforme acordo feito pelo colégio de líderes.

Em conversa sobre o assunto com um amigo conhecedor de leis e da politica do DF, seguindo sua orientação e tendo o mesmo pensamento, achou por bem pedir o adiamento da votação do PLC, e expor os motivos:

Imagem relacionada

“Como poderia assinar um relatório de uma proposta que ainda não havia passado por duas das mais importantes Comissões que dariam constitucionalidade ao PLC, o parecer da Comissão do Meio Ambiente, da qual sou o presidente, e pelo aval da Comissão de Constituição e Justiça”, disse Eduardo

Nesta nova legislatura temos que tornar o tramite de aprovações de projetos mais rápidas, podemos notar este mesmo PLC, feito à dez anos atras, não podemos mais deixar isso acontecer e ter essa demora toda, temos deixar que as proposta percorram o trâmite legal das comissões para em seguida ser submetida ao plenário da Casa.

Imagem relacionada

“Quem já esperou por mais de dez anos não pode esperar por mais uma semana para que não aconteçam quaisquer questionamentos sobre sua constitucionalidade” frisou Pedrosa

Tenho certeza que na próxima semana e após aprovadas nas comissões estaremos votando em plenário, assim garanto que as poligonais das cidades do DF serão aprovadas.

O DF tem hoje 31 regiões administrativas, porém apenas 19 possuem as poligonais definidas por lei. A ilegalidade implica na realização do censo pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Temos certeza que novas cabeças farão uma grande mudança no andamento dos trabalhos na CLDF.

Fonte: http://egnews.com.br