Dia importante para o MDB Nacional, Baleia Rossi é eleito novo presidente em convenção em Brasília

Resultado de imagem para baleia rossi e rodrigo maia

O líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), foi eleito presidente nacional do partido. É o mais jovem presidente da legenda, que fez sua convenção nacional neste domingo (6.out.2019) em Brasília. A chapa única “Renovação Democrática”, eleita para formar a nova Executiva Nacional, tem 3 filhos de políticos do MDB. Os demais integrantes estão no partido há muito tempo. Romero Jucá (RR), o presidente anterior, agora é vogal na Executiva, com direito a voto, mas sem função específica.

Em discurso de 19 minutos e 40 segundos, Baleia afirmou que o MDB esteve presente em todos os momentos importantes da história do país nos últimos 50 anos, mas “pagou 1 preço alto” pela “governabilidade” ao se aliar com o Poder Executivo.

“Precisamos hoje escolher as nossas bandeiras. Precisamos ter a nossa identidade. Precisamos saber que é possível viver sem governo, sem participar de governo. Não precisamos de governo para sobreviver, porque o MDB é muito mais do que isso”, disse.

Ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Baleia afirmou que a agenda econômica “está correta, “está caminhando”. Ele é autor da proposta de reforma tributária (nº 45/2019), que deve ser uma das principais pautas depois que a reforma da Previdência for concluída.

O novo presidente do MDB, no entanto, defendeu “1 plano emergencial” para gerar empregos. Ele propôs ao ministro Paulo Guedes (Economia) que seja feita uma parceria entre o governo federal e os 5.570 municípios do país para criar um “mutirão”. O dinheiro, disse ele, viria de fundos.

“Podemos criar mais de 1 milhão de empregos imediatamente. Mas como vamos fazer para financiar isso? Nós temos hoje dezenas de  fundos no Brasil, como a Fupen [Fundo Penitenciário Nacional], que este ano teve quase R$ 1 bilhão e foi executado apenas 6%. E outros fundos mais que demonstram que existe recurso. Tenho certeza que a Câmara dos Deputados e o Senado Federal votam o projeto para que possamos utilizar estes recursos para o mutirão de emprego”, afirmou.

Conforme informações repassadas pela assessoria de Baleia, o Fupen neste ano teve R$ 912.532.512,00 orçados, mas só R$ 53.977.726,61 executados.

DEFESA DAS REFORMAS DE TEMER

Baleia disse que o governo do ex-presidente Michel Temer foi “um grande marco da nossa história, porque o MDB teve a coragem de defender as reformas”. Ele mencionou a Reforma da Previdência –“uma reforma difícil, mas vital para nosso país”– e a Reforma Trabalhista. Acrescentou:

“Fizemos a PEC do Teto de Gastos, onde o ministro [Henrique] Meirelles e o presidente Michel Temer conquistaram novamente a credibilidade interna e externa do país.”

Outros integrantes do partido que foram à convenção também defenderam o governo Temer. O deputado federal Darcísio Perondi (RS) afirmou que o ex-presidente “enfrentou tormentas” com “firmeza, coerência, honestidade e coragem”.

De acordo com ele, Temer teve “inimigos poderosos da imprensa” e “das corporações públicas”. Perondi não citou quais seriam esses inimigos. Disse que as corporações são as maiores adversárias do país.

APOIO DE CACIQUES

Apesar da novidade no comando do partido, o evento teve a presença de diversas antigas lideranças, como os ex-ministros de Temer Moreira Franco (Minas e Energia), Eliseu Padilha (Casa Civil),  Jucá (Planejamento) e Henrique Meirelles (Fazenda). O ex-presidente José Sarney também compareceu.

“O MDB conseguiu construir uma chapa de consenso, que é muito importante, mas o mais importante é que renovou 100% a direção partidária. Pessoas que nunca estiveram à frente do partido. Queremos fazer diferente”, disse Eliseu Padilha

Assim como fez Baleia Rossi em discurso, o ex-ministro da Casa Civil de Temer também criticou a prática da “coalizão” e defendeu uma mudança de postura do partido:

“Para que a gente pudesse traduzir um processo de mudança, tínhamos que mudar pessoas, mas fundamentalmente a prática política. Então, o partido vai procurar dialogar mais com a sociedade. Não há mais a possibilidade de chamar de coalizão. Chegou a vez de o MDB ter o seu próprio projeto.”

O ex-ministro Moreira Franco disse que o MDB precisa “fazer diferente” e usou a palavra “reinvenção” para descrever o momento da sigla:

“Esse slogan da convenção não é 1 mero jogo de palavras. É para inspirar uma postura, uma avaliação, 1 esforço para recomposição dos laços de presença, de confiança, de engajamento do partido com a sociedade, para que nós possamos resistir mais uma vez.” 

O presidente do PSDB afirmou que seu partido e o MDB “têm mais convergência do que divergência”. Acrescentou que nunca teve outra filiação partidária, assim como Baleia Rossi, que entrou no MDB no dia 12 de fevereiro de 1992 e lá permanece. “Coerente com a sua história”, disse Araújo.

O ex-deputado, ex-prefeito de Araraquara e um dos caciques do PMDB paulista Marcelo Barbieri, fez um discurso bastante aplaudido e lembrou que o partido continua sendo o ‘bom e velho PMDB’, disse Marcelo Barbieri.

“Nesta manhã, elegemos o novo presidente, deputado federal Baleia Rossi, para conduzir o nosso Partido. Ainda lembramos com saudade o aniversário do companheiro  #UlyssesGuimarães, que hoje completaria  #103anos, comentou Tadeu Filippelli.

Quem é Baleia Rossi, novo presidente do MDB

Filho do ex-ministro Wagner Rossi

Filiado ao MDB desde 1992

O deputado Baleia Rossi, é formado em direito e iniciou sua vida politica em Ribeirão Preto (SP)

O deputado federal Baleia Rossi (SP), 47 anos, é mais jovem– presidente nacional do MDB

Baleia Rossi é o autor da proposta de reforma tributária (PEC 45 de 2019) e vem ganhando protagonismo no Congresso. Apresentou o texto a pedido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Baleia também foi eleito líder da bancada do MDB na Câmara por 4 vezes consecutivas. É um dos principais responsáveis pela votação de todos os congressistas do partido –ao todo, 34– a favor da Reforma da Previdência.

É com a agenda de tentar mudar a imagem desgastada do partido e de manter uma agenda pró-reformas que Baleia assumiu a presidência nacional do MDB.

Resultado de imagem para baleia rossi e rodrigo maia

Luiz Felipe Baleia Tenuto Rossi, conhecido como Baleia Rossi, nasceu em São Paulo em 9 de junho de 1972. Foi eleito deputado federal em 2014 e reeleito em 2018. É presidente do MDB em São Paulo.

O deputado é filho de Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura durante os governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (2010-2011). O político renunciou ao cargo no ministério depois de reportagens mostrarem pagamento a empresas registradas em nome de ‘laranjas’.

A carreira política de Baleia Rossi começou aos 20 anos, quando foi eleito vereador de Ribeirão Preto (SP), em 1992. Depois, foi reeleito duas vezes para o cargo, em 1996 e 2000. Filiado ao então PMDB em 12 de fevereiro de 1992, nunca mudou de partido.

Em 2002, foi eleito deputado estadual por São Paulo. Dois anos depois, em 2004, se candidatou a prefeito de Ribeirão Preto. Perdeu as eleições no 2º turno para o Welson Gasparini, do PSDB.

De 2015 a 2018, quando cumpriu o 2º mandato como deputado federal, Rossi foi a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Também foi favorável a duas outras pautas do governo do ex-presidente Michel Temer, que é de seu partido: a PEC do teto de gastos e a reforma trabalhista.

ACUSAÇÃO ARQUIVADA

Em 2016, Baleia Rossi foi apontado por investigados na Operação Alba Branca como recebedor de propinas no esquema de fraudes em contratos de merenda nas prefeituras de Campinas e Ribeirão Preto (SP).

O deputado, à época, negou todas as acusações: “As afirmações contidas são inteiramente falsas, absurdas e sem qualquer fundamento”.

Em outubro de 2018, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, atendeu ao pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) e arquivou o inquérito de Baleia Rossi na máfia da merenda por falta de provas. O delator Cássio Chebabi negou a participação de Baleia no esquema.

“Trata-se, portanto, de arquivamento por insuficiência de provas que deve ser acolhido a partir do juízo emitido pelo Ministério Público”, disse o ministro.

Fotos do evento:


Fonte: http://egnews.com.br  com informações do Poder 360