Detran vai iluminar e modernizar 4 mil faixas de pedestre no DF

Revitalização será feita em parceria com a CEB. Nova direção vai reforçar sinalização antes dos pardais de fiscalização e fortalecer blitzes

Zélio Maia Rocha, novo diretor do Detran

JACQUELINE LISBOA/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) vai iluminar as 4 mil faixas de pedestres da capital. Segundo o novo diretor-geral, Zélio Maia da Rocha, o órgão também reforçará a sinalização das vias antes dos pardais, inclusive pintando a velocidade na própria via.

Segundo Zélio, todas as contratações do Detran-DF passarão por pente-fino. A nova direção vai, por exemplo, acabar com o polêmico aluguel do imóvel no Setor de Transporte Rodoviário e Cargas (STRC), denunciado pelo Metrópoles. O diretor-geral planeja retomar o projeto de renovação e modernização dos semáforos do DF.

Confira, ponto a ponto, a entrevista:

Faixas de pedestres

“Pretendo, nos próximos 45 dias, com a Companhia Energética de Brasília (CEB) e a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), colocar em prática o projeto ‘A Luz Protege’. É a iluminação efetiva de todas as faixas de pedestre. Nós temos no DF aproximadamente 4 mil faixas. A maioria delas está sem a devida iluminação. É inadmissível a quantidade de mortos nas nossas faixas de pedestre.”

“O Detran vai arcar com a instalação e a CEB ficará com a manutenção. Será a revitalização, não só iluminação. No posto em que será colocada a iluminação, nós teremos adesivos refletores, que chamam a atenção dos motoristas. E teremos, no poste ao alto, uma iluminação intermitente para, de longe, as pessoas percebam a faixa.”

“Também queremos retomar a publicidade massiva para educar não apenas na questão da faixa, mas em todo trânsito. O Detran não está aqui para cuidar de carros. Está para cuidar de pessoas. Qualquer cidade desenvolvida privilegia o pedestre. Isso se consegue com educação. A multa é o último estágio.”

Pardais

“Particularmente, acho que o pardal deveria ser utilizado o mínimo possível, mas ele é necessário dentro da estrutura do nosso trânsito, porque as ruas do DF têm uma característica completamente diferente. Em Goiânia, por exemplo, o radar não é necessário, porque as vias são de velocidade curta e o trânsito é amarrado. Mas aqui no DF, se o motorista quiser, às 16h consegue rodar a 200 km/h no Eixo Monumental.”

“No entanto, tudo dentro de estudos técnicos. Se houver uma escola, está absolutamente justificada a alteração de velocidade. Pretendemos fazer a sinalização ostensiva dos pardais. A informação está muito subjacente. Queremos uma sinalização horizontal, na estrada, com mais destaque. O motorista vai ver velocidade na sinalização vertical e também na via.”

Lei Seca

“Não tem como contemporizar a Lei Seca. Ela é inegociável. Nós vamos intensificar as blitzes e buscar reduzir ao máximo a quantidade de acidentes decorrentes do consumo de álcool. Hoje, fazemos duas, três operações por dia. Nós teremos um núcleo de inteligência para programar essas ações.”

Terceirização

“A vistoria é um dos gargalos do Detran. Nós temos o projeto para terceirizar a vistoria. Espero liberar o edital nos próximos 15 dias. Será por zona. Serão quatro locais para descentralizar o serviço: Brasília, Taguatinga, Sobradinho e Gama. Serão contratos de prestação de serviços de 12 meses, prorrogáveis por até 60 meses. Os valores não estão fechados.”

“Se não tiver percalço no processo licitatório, espero que a vistoria descentralizada comece no segundo semestre deste ano. Em 2019, fizemos 270 mil vistorias. A ideia é que o serviço demore o mínimo possível. O que é isso? É aquele tempo que não gere aborrecimento.”

Contratos

“Eu recebi carta branca do governador para rever todo e qualquer contrato do Detran. Não teremos tolerância com qualquer irregularidade. Já estamos estudando os contratos dos semáforos, esse parque semafórico precisa ser alterado. Por quê? Porque esses estão defasados. Já há tecnologias novas muito melhores.”

“Contratos antigos serão mantidos dentro do estritamente necessário até que nós possamos lançar processo licitatório. Nós estamos em negociação do contrato de aluguel do galpão no Setor de Transporte. Foi feito chamamento público para contratação de novo espaço. Houve proposta da empresa de redução de valores. Estamos avaliando. Mas a intenção é buscar outro espaço. Já fizemos chamamento público”.

Atendimento

“A estrutura do Detran é muito bem concebida, à serviço da comunidade. Só que, com o passar do tempo, perdeu o compasso com os avanços tecnológicos. Precisa de uma reavalição, reenquadramento de visão, reestruturação administrativa e tecnológica. O Detran demorou um pouco para se conscientizar disso. Eu me aliei ao pedido de desculpas do governador sobre os problemas no atendimento prestado à população.”

“Os atrasos no atendimento são, obviamente, pelo fato de haver em alguns momentos instabilidade no sistema de comunicação. Isso é preocupante. A tecnologia é um meio para qualquer atividade. Nossa equipe fez as correções necessárias e tudo está ocorrendo de forma tranquila no nosso posto do Shopping Popular. O tempo de resposta do Detran no atendimento varia muito conforme o serviço.”

“O grande gargalo tem sido a entrega da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Isso tem gerado atrasos, em decorrência da falta de comunicação da tecnologia. A emissão está a contento, mas a comunicação para chegar na mão do motorista, não. Contudo, ele tem autorização provisória de 30 dias para dirigir. Mas a maioria não sabe que basta entrar na página do Detran para renovar automaticamente essa autorização provisória.”

BRB

“Vamos formar uma comissão com o BRB para definir o que poderá ser transferido para o banco. Quais serviços? Obviamente, vai ter um ou outro que não podemos falar de transferência por questão de direito administrativo. Mas aqueles meros procedimentos que possam ser levados para o BRB, nós faremos o mais rápido possível.’

“Na área de tecnologia, teremos o BRB como um parceiro imenso. Se desenvolvermos sistemas para informatizar ao máximo o serviço ao cidadão, desafogando o balcão, nós teremos o banco à nossa disposição, com todos os seus caixas eletrônicos. Esse estudo completo será concluído em 45 dias.”

“Paralelamente a isso, faremos uma reestruturação administrativa e tecnológica de forma ampla. Não podemos ficar na dependência do BRB também. Pretendo trazer uma instituição de grande porte para fazer uma consultoria interna para darmos nova cara ao Detran. Ainda não fizemos o levantamento de custos.”

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles