Com apoio do Brasil, americano comandará BID pela primeira vez

Mauricio Claver-Carone, conselheiro de Trump, será o novo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, quebrando tradição

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) foi criado em 1959 com o objetivo de financiar projetos de infraestrutura no continente americano e tradicionalmente presidido por latino-americanos. Mas o presidente norte-americano Donald Trump rompeu com essa tradição e fez valer o peso do país na eleição de seu conselheiro sênior para a América Latina, Mauricio Claver-Carone para o comando da instituição.

O Brasil, que considerou lançar candidatura, apoiou o indicado de Trump, ao lado da maioria dos países vizinhos, como Colômbia, Peru e Paraguai.

México e Argentina ensaiaram bloquear a eleição, mas não levaram o plano até o fim.

O norte-americano vai substituir o colombiano Luis Alberto Moreno a partir de outubro, para um mandato de cinco anos.

Ele é diretor Sênior para Assuntos do Hemisfério Ocidental do Conselho de Segurança Nacional dos EUA. Sua formação original é em Letras, mas sua carreira acadêmica seguiu para o Direito.