Aras é nome forte para eventual terceira vaga no STF

Ministros Celso de Mello e Marco Aurélio terão aposentadoria compulsória do atual mandato de Bolsonaro

Procurador-geral da República, Augusto Aras Fotos: Isac Nobrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta quinta (28) que o procurador-geral da República, Augusto Aras, é um nome forte a ser indicado por ele para disputar uma possível terceira vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

– Se aparecer uma terceira vaga, espero que ninguém desapareça, mas o Augusto Aras entra fortemente na terceira vaga – afirmou Bolsonaro.

Leia também1 Web relembra manifestantes presos por ato contra Moraes
2 Weintraub reage: “Tenho o direto de falar do Holocausto”
3 ‘Brasil de 2020 está lembrando Alemanha nazista dos anos 30’
4 Bolsonaro: “A liberdade de expressão não sofrerá sanção”
5 Fake news: Maioria do STF vota por manter inquérito

O chefe do Executivo emendou sua live semanal com uma entrevista à Rádio Jovem Pan, também transmitida em suas redes sociais.

Os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio terão aposentadoria compulsória do atual mandato de Bolsonaro e devem ser substituídos por nomes indicados pelo atual presidente -em novembro deste ano e em 2021, respectivamente.

Uma terceira vaga surgiria no caso de reeleição ou de saída não programada de algum integrante da corte hoje, por exemplo.
Bolsonaro descartou a indicação de Aras para uma das duas primeiras vagas, mas acenou para ele como uma possibilidade futura.

Aras foi escolhido para a PGR por Bolsonaro e tem adotado posicionamentos favoráveis ao presidente.

– O senhor Augusto Aras, nestas duas [primeiras] vagas, não está previsto o nome dele. Eu costumo dizer que tenho três nomes e não vou revelar quem eu namoro para indicar para o STF – disse Bolsonaro.

Ele reafirmou que um deles será evangélico. Bolsonaro também citou seu atual ministro da Justiça, André Mendonça, que é evangélico e já vinha sendo cotado.

– É um compromisso que tenho com a bancada evangélica. Alguns criticam dizendo que está confundindo aí com religião. Não tem nada a ver. Agora, uma pitada de religiosidade é muito bem-vinda. Tem pauta lá que faltou, no meu entender, um ministro defender à luz da sua crença. Por que não? – declarou o presidente.

MINISTROS QUE SE APOSENTAM NO GOVERNO BOLSONARO
Celso de Mello

Decano do Supremo, foi indicado por Sarney em 1989. Sua aposentadoria compulsória ocorre em 1°.nov.2020, quando completa 75 anos

Marco Aurélio
Indicado por Collor em 1990, aposenta-se em 12.jul.2021, se mantidos os 75 anos como idade compulsória para aposentadoria no serviço público

*Folhapress

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Pleno News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here