A coisa tá feia mesmo: Garotas de programas na crise, “Os homens estão lisinhos”

Resultado de imagem para prostituição

Na intenção de fazer uma matéria sobre a crise financeira na Capital da República escolhi uma classe e um tema: “Garotas de Programa”

Sai em campo e fui ao centro da Capital, lá conversei com algumas garotas e a reclamação é uma só “os homens sumiram”

Algumas se dispuseram em falar mais sem revelar sus verdadeiros nomes:

“Cadê os homens? Sumiram!” antes aqui na Capital da República conseguia andar de carro novo e estar sempre bem vestida, vinha na sexta feira e voltava na segunda logo cedo para Goiânia onde moro, hoje mau consigo pagar as minhas despesas do final de semana, muito difícil, comentou Priscilla (nome fictício).

“A concorrência esta muito grande, tem muitas meninas e poucos homens, é uma briga só para agarrar esses que de vez em quando aparecem” Graziely (nome fictício)

A crise realmente chegou ao mercado da prostituição. Quase todas elas fizeram o mesmo comentário, “antes da crise dava para faturar bem, chegando a ganhar R$ 500 por noite nos programas. Agora mal ganhamos para pagar o que consumimos durante a noite.

A crise veio com força e com ela a falta de dinheiro que acarretou na baixíssima procura por serviços sexuais.

“Tá difícil, fazemos até promoção, baixando o valor por menos tempo, Mas os homens não procuram. Eles se esquivam alegando falta de dinheiro”.

Algumas já se questionam sobre continuar nessa vida que alem de perigosa o alto índice de feminicídio e a falta de clientes faz com que o estimulo acabe e às façam pensar em procurar um emprego para custearem suas despesas diárias, existem casos de universitárias que se prostituem para custear as mensalidades de sua faculdade.

Fonte: http://egnews.com.br