23.5 C
Brasília, BR
segunda-feira, setembro 21, 2020

Associação com futebol é vista com cautela

Lutadores dizem que MMA tem identidade própria e não precisa do futebol

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/0,,AA1608268-5533,00.html

Bebês chineses geneticamente modificados podem ter mutações acidentais

Controverso estudo liderado pelo Dr. He Jiankui visava criar bebês geneticamente resistentes ao HIV. Mas segundo cientistas ocidentais, os pesquisadores “erraram o alvo” e tentaram esconder o fato

 

Um controverso experimento chinês para a criação de bebês geneticamente modificados para resistir ao vírus HIV, divulgado como um sucesso em novembro passado, pode ter gerado “mutações inesperadas”, segundo cientistas ocidentais.

A ideia do Dr. He Jiankui era usar a técnica CRISPR para reproduzir uma mutação no gene CCR5 conhecida como Delta 32, que confere resistência natural ao HIV em alguns indivíduos. Mas embora sua equipe tenha atingido o gene correto, ela não conseguiu criar a mutação desejada.

A afirmação foi feita após trechos de dois manuscritos do Dr. He, criados para divulgação de sua pesquisa e inéditos até agora, terem sido publicados pelo site MIT Technology Review. Os documentos foram submetidos a uma análise por um professor de direito, um especialista em fertilização in-vitro, um geneticista e um embriologista.

Os especialistas concluíram que as alegações feitas por He e sua equipe não são suportadas pelos dados, os pais dos bebês foram pressionados a participar do experimento, o benefício médico é no mínimo duvidoso e os cientistas tentaram aplicar a técnica em seres humanos sem compreender completamente os efeitos das modificações que fizeram.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: MIT Technology Review

Capitães acreditam na popularização do esporte

Wanderlei e Murilo dizem que o MMA cairá no gosto do brasileiro

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/0,,AA1608262-5533,00.html

Quase metade da população mundial não tem acesso à internet

A informação é apresentada e discutida no relatório Estado da Banda Larga 2019 por grupo formado por empresas e membros das Nações Unidas

Michael Melo/MetrópolesMICHAEL MELO/METRÓPOLES

Em 2019, o acesso à internet passou a estar disponível a 51% da população mundial. Foi o primeiro ano em que a conectividade ultrapassou a casa dos 50%. Contudo, o índice mostra que, a despeito da Rede Mundial de Computadores ter ganhado importância nas mais diversas esferas sociais nos últimos 20 anos, quase metade da população ainda não dispõe desse recurso. A informação é apresentada e discutida no relatório Estado da Banda Larga 2019, da Comissão de Banda Larga, grupo que reúne representantes de empresas e das Nações Unidas.

Quando considerados os domicílios, o índice aumenta, chegando a 57,8%. Em 2005, 19% das casas conseguiam navegar na web. Contudo, quando considerada a banda larga fixa, o percentual cai para 14%. Já o ritmo de crescimento de conectividade em lares desacelerou, tendo saído de 53% para 54,8% entre 2017 e 2018. Em países mais pobres, a taxa de crescimento caiu de 19% em 2017 para 17,5% em 2018.

A análise sobre a presença de lares atendidos por serviços de fixas de banda larga é considerada importante por pesquisadores uma vez que as conexões móveis em geral possuem limitações para a fruição plena de serviços, como franquias que restringem o consumo, por exemplo, de vídeos em quantidade razoável.

Desigualdades

O relatório aponta que para além de metade da população estar fora da internet, entre os conectados há desigualdades importantes. “As distâncias existentes na adoção de conectividade são conduzidas por brechas de diferentes tipos: geografias (áreas urbanas x rurais), renda (ricos x pobres), idade e gênero, entre outros”, destaca o relatório.

Enquanto a conexão de baixa qualidade foi apontada por 43% em países mais pobres, o problema foi mencionado 25% de entrevistados em nações mais ricas. Outro exemplo mais claro é no preço dos pacotes entre diferentes regiões do globo. Enquanto o preço de uma franquia de 1 giga em países do Sul da Ásia consome 1,2% da renda mensal média, na África Subsaariana o serviço custa o equivalente a 6,8% da receita média mensal.

Redes

Contudo, conforme o relatório a infraestrutura avançou e hoje está presente em localidades abrangendo 96% da população mundial. O tráfego internacional de dados é realizado por 400 cabos submarinos, abarcando 1,2 milhão de quilômetros, e por 775 satélites com atuação em serviços de comunicação na órbita da Terra.

No ecossistema móvel, 2018 foi o ano em que a tecnologia 4G se tornou hegemônica, ultrapassando a 2G, sendo responsável por 44% das conexões móveis. Citando dados da consultoria GSMA, o documento ressalta que o 5G, o novo paradigma tecnológico dos serviços móveis, tornou-se “uma realidade”.

No ano passado, o novo padrão foi lançado nos Estados Unidos e na Coreia do Sul. Em 2019, a previsão é que ele passe a ser ofertado em 16 novos países. A expectativa da GSMA é que em 2025 haja 1,4 bilhão de conexões, cerca de 15% da base total.

Para os autores, a internet se encontra em uma “encruzilhada”. “Há um reconhecimento crescente de que os desafios e riscos demandam políticas e regulações específicas, assim como novas abordagens de negócio e iniciativas industriais voltadas a mitigar efeitos não intencionados e resultados negativos da adoção da internet”.

O documento ressalta que as pessoas não podem apenas ser divididas entre usuários e não-usuários, mas deve ser entendida a diversidade de formas de conectividade e experiências online. O reconhecimento dessas especificidades passa pela consideração de públicos mais vulneráveis em sua presença na web. Mulheres estão sujeitas a perseguição, assédio e discurso de ódio na web. Já crianças são vítimas de abusos, exploração e bullying.

Modalidades de uso

Considerando a variedade de experiências, o relatório traz dados sobre diferentes modalidades de atividades na web (ver gráfico). A troca de mensagens por apps como Whatsapp e FB Messenger é o mais popular, seguida por redes sociais, ligações online e ler notícias. As ações variam conforme a renda, com a prática de obter informação e comprar produtos sendo mais comum em países mais ricos.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Empresa anuncia primeira clonagem de gato na China


O laboratório Sinogene espera que o avanço científico possa facilitar o processo de reprodução de outros animais, como os pandas. Gata adulta, mãe portadora do clone produzido pelo laboratório chinês Sinogene
STR/AFP
Uma empresa de Pequim conseguiu clonar um gato pela primeira vez na China, um avanço científico que poderia levar à clonagem de outros animais, como os pandas, informou a agência France Presse.
Sete meses depois da morte de seu gato, Ajo, o proprietário do animal, Huang Yu, passou a conviver com uma cópia do felino.
“Se parece em mais de 90%”, afirmou o jovem chinês de 23 anos, que espera que o gato, nascido em julho de uma gata portadora, tenha a mesma personalidade que o original.
Clonagem de cães, gatos e até macacos
Ajo é o primeiro gato clonado pela Sinogene, uma empresa que desde 2017 já clonou mais de 40 cães.
Em 2018, a mesma empresa clonou Juice, um vira-lata de 30 centímetros de altura e 9 anos de idade, famoso por aparecer em centenas de filmes e produções no país.
No caso do Juice, amostras de pele foram coletadas do abdômen inferior do cão e, em algumas semanas, a empresa Sinogene foi capaz de isolar o DNA e fertilizar um óvulo.
O óvulo fertilizado foi inserido cirurgicamente no útero de uma cachorra que seria a ‘mãe’ substituta – neste caso, o NTR1917, uma beagle.
Little Juice nasceu em meados de setembro e ficou com beagle no laboratório de Sinogene por cerca de um mês.
Também em 2018, pesquisadores do Instituto de Neurociência da Academia Chinesa de Ciências, em Xangai, anunciaram a clonagem de macacos usando a mesma técnica aplicada na ovelha Dolly.
Os primatas, dois macacos de cauda comprida, foram criados através da transferência nuclear de células somáticas, ou seja, a partir de células do tecido de um macaco adulto
Como os macacos são primatas – ordem dos mamíferos que inclui macacos, símios e humanos –, o experimento foi visto como um passo em direção à clonagem de humanos, o que abre uma discussão sobre a ética do procedimento.
Os macacos foram os primeiros a serem clonados de uma célula não-embrionária.
Qiang Sun e Mu-ming Poo/Academia Chinesa de Ciência/ Reuters
O mercado dos pets na China
Nas últimas décadas os chineses se apaixonaram pelos animais domésticos, que eram proibidos durante o período do governo de Mao Tsé Tung.
Quando eles morrem, os proprietários destes pets, com frequência traumatizados pela perda de seus mascotes, estão dispostos a pagar 250 mil yuanes (35 mil dólares) pela clonagem de um gato ou 380 mil (53 mil dólares) por um cão.
De acordo com um relatório da organização “Pet Fair Asia” e do site “Goumin.com”, os gastos relacionados com animais domésticos representaram no ano passado 171 bilhões de yuanes (23,7 bilhões de dólares).
Companhia chinesa Sinogene já clonou mais de 40 cães
STR/AFP
Avanço da técnica
A clonagem de um gato poderia permitir o avanço no processo para clonar um panda, algo que a China tenta fazer há 20 anos.
Chen Dayuan, da Academia Chinesa de Ciências, afirmou no mês passado que a organização estava estudando a possibilidade de clonar um panda utilizando uma gata como mãe portadora.
Embora um panda seja muito maior que um gato na idade adulta, ao nascer o seu tamanho é similar e a gestação dura entre dois e três meses.
Cientistas chineses clonam macacos com mesma técnica da ovelha Dolly
Gato é personagem ilustre da política britânica

https://g1.globo.com/natureza/noticia/2019/09/05/empresa-anuncia-primeira-clonagem-de-gato-na-china.ghtml

Brasileiro um ano fora dos ringues por doping

Hermes França não conseguiu redução da pena por uso de esteróides

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/0,,AA1607125-5863,00.html

Cientistas chineses usam método de edição de DNA para tratar paciente com HIV


Tentativa era curar ao mesmo tempo leucemia e infecção pelo HIV em uma pessoa de 27 anos. Estudo não chegou à cura para a Aids, mas obteve avanços. Células do vírus HIV (viriões), em imagem microscópica produzida em 2011
Maureen Metcalfe, Tom Hodge/CDC/AP
Pela primeira vez, cientistas chineses conseguiram usar o método Crispr de edição de DNA para tentar curar uma pessoa que vive com o vírus HIV. Eles implantaram no paciente células de sangue alteradas em laboratório para serem resistentes à infecção do vírus. Embora não tenham conseguido a cura para o HIV, o método se mostrou um avanço na pesquisa, segundo o grupo de cientistas.
O estudo foi publicado na revista “The New England Journal of Medicine”, na quarta-feira (11).
O método Crispr vem sendo amplamente usado em pesquisas de laboratório, e esse grupo de cientistas chineses foi bastante criticado pela comunidade científica, no ano passado, quando revelou ter usado esse método em embriões, levando ao nascimento de duas meninas gêmeas. A edição do DNA de embriões ainda é considerada arriscada demais, em parte porque as mudanças provocadas no genoma podem passar para futuras gerações.
Como foi usado o método
A edição de genes altera permanentemente o DNA, o “código da vida” de um organismo. O método Crispr ainda é relativamente novo. Por meio dele, cientistas podem cortar um pedaço do DNA e inserir outro, em um ponto específico.
Método Crispr permite ‘editar’ o DNA
Betta Jaworski
Neste caso específico, um homem de 27 anos que vive com o vírus HIV precisava de um transplante de células tronco de sangue para tratar uma leucemia – um transplante de medula óssea. Ao mesmo tempo, em tratamentos anteriores, dois outros homens parecem ter sido curados tanto do câncer quanto do HIV, por meio de transplantes de células vindas de doadores com resistências naturais ao HIV.
Como esse tipo de doador é extremamente raro, os cientistas chineses tiveram a ideia de criar uma resistência parecida ao HIV, editando o gene específico que possibilita essa resistência. Eles conseguiriam, em laboratório, imitar uma mutação genética.
O transplante colocou, de fato, o câncer em remissão. E as células que foram alteradas para resistir ao HIV continuam funcionando, mesmo 19 meses depois. Mas elas correspondem a somente 5% a 8% dessas células sanguíneas. Portanto, a quantidade delas foi superada pelas células que ainda estão infectadas com o HIV.
“Elas precisariam alcançar 90% ou mais para que realmente tivéssemos a chance de curar o HIV”, explica June.
Agora, cientistas estão testando diferentes alternativas para que o método seja mais eficiente. Um dos líderes do estudo, Hongkui Deng, da universidade de Pequim, afirmou que o princípio fundamental da pesquisa estava correto.
Sem efeitos indesejados
Um dos resultados mais estimulantes, segundo os pesquisadores, é que a edição do DNA neste caso não teve efeitos não desejados sobre outros genes do corpo. June comentou que “uma das preocupações é que formassem uma ‘célula Frankestein’, que atingiria outros genes em vez daqueles desejados”, mas isso não ocorreu.
A China está avançando rapidamente nesse tipo de pesquisa e pode chegar a tratamentos viáveis antes que outros países, como os Estados Unidos, segundo a pesquisadora.
Grupo de cientistas polêmico
O artigo publicado esta semana, cujos autores são vários cientistas chineses, é o primeiro a relatar o uso do método Crispr para tratar uma doença em uma pessoa adulta e, portanto, as mudanças no DNA ficam limitadas àquela única pessoa.
A tentativa foi um sucesso em alguns aspectos, mas não é ainda uma cura para o HIV.
De qualquer forma, segundo Carl June, pesquisadora da Universidade da Pensilvânia (EUA), o estudo mostra que a edição genética é uma promessa e parece ser uma técnica precisa e segura em pacientes. June é uma especialista em genética que escreveu um comentário na mesma revista científica.
“Isso é muito bom para esse campo de pesquisa”, afirmou. “Não há nenhuma preocupação com esse estudo, do ponto de vista genético.”
O governo chinês incentivou financeiramente a pesquisa e manifestou estar de acordo com os procedimentos. Na pesquisa anterior do mesmo grupo, com embriões, esses apoio não foi feito abertamente em todas as etapas.

https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/09/13/cientistas-chineses-usam-metodo-de-edicao-de-dna-para-tratar-paciente-com-hiv.ghtml

29 aplicativos e jogos para Android de graça por tempo limitado

Veja as opções, escolha seus preferidos e faça o download enquanto é tempo

 

Os aplicativos permitem que os smartphones façam as tarefas mais inusitadas. Quando é possível obtê-los de graça, é melhor ainda. De tempos em tempos, os desenvolvedores distribuem suas criações gratuitamente para atrair novos usuários, já que muitos têm receio de experimentar conteúdo pago.

A lista a seguir contém apps e games que estavam disponíveis gratuitamente na Play Store e foram verificados pelo Olhar Digital. Esses programas estão gratuitos por tempo limitado, mas depois de instalados ficam vinculados à conta do Google para sempre. Ou seja, eles podem ser baixados a qualquer momento sem que seja preciso pagar.

Vale observar, ainda, que as promoções podem ser encerradas a qualquer momento. Então, ao abrir um app da lista na loja de aplicativos e o botão de aquisição não mostrar a palavra “Instalar”, mas o preço original do app, significa que ele voltou a ser pago: se você baixá-lo, será cobrado por isso.

Aplicativos

  1. Calendar-reminder
  2. Client database
  3. English for all! Pro
  4. Top Scanner Pro – Document Scanner
  5. Quick Arc Launcher ( Smart One Swipe Launcher )
  6. ProGo App – Productive goals
  7. Smart Notes {Pro} Ads-free

Jogos

  1. Battle Ships 1988 Revival Pro
  2. Super Brain Pro
  3. HEXASMASH • Wrecking Ball Physics Puzzle
  4. Zombie Masters VIP – Ultimate Action Game
  5. Slayer Bizarre Shmup PRO (digital space shooter)
  6. Superhero Fruit Premium: Robot Wars Future Battles
  7. Superheroes Junior: Robo Fighting – Offline Game
  8. Blu Escape – Hardcore Platformer
  9. Magnet Balls Pro
  10. Word Chess PRO
  11. [VIP]Missile Dude RPG: Tap Tap Missile
  12. Archery Physics Shooting Challenge
  13. Ocean Go!
  14. Preschooler. All-in-One
  15. Project Archery : Shoot Apples With Physics
  16. Sudoku Deluxe VIP
  17. The Lonely Hacker

Personalização

  1. Coffee -Icon Pack
  2. Fabulous – Icon Pack
  3. Olympic – Icon Pack
  4. Piranha Aquarium 3D lwp
  5. Cuticon Round – Icon Pack

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital

Brigão de rua tenta a sorte no vale-tudo

Kimbo, famoso por vídeos no Youtube, estréia contra ex-campeão de boxe

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/0,,AA1540662-5533,00.html

Índia perde contato com sonda durante pouso na Lua


Acompanhe ao vivo Índia perde contato com sonda durante pouso na Lua Acompanhe ao vivo Índia a caminho da Lua: a missão em 7 tópicos. Conheça os detalhes sobre a missão indiana Chandrayaan-2. Agência especial indiana perde sinal de módulo durante pouso. Veja detalhes do desfecho.

https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/ao-vivo/india-lua-missao-pouso-sonda-video.ghtml