22.4 C
Brasília, BR
terça-feira, janeiro 21, 2020

Novo tipo de célula T pode levar à cura universal para o câncer

Descoberta foi feita em uma amostra de um banco de sangue no País de Gales. Células se mostraram capazes de destruir vários tipos de células cancerosas

Pesquisadores da Universidade de Cardiff, no País de Gales, descobriram um novo tipo de célula no sistema imunológico humano que pode atacar e destruir a maioria dos tipos de câncer.

A descoberta é um tipo de “célula T” nunca visto. As células T são responsáveis pela defesa do organismo contra agentes desconhecidos, como vírus e bactérias. Mas o novo tipo, encontrado em uma amostra de um banco de sangue na região, tem um receptor diferente que permite que ela se “enganche” na maioria dos tumores que afetam os seres humanos, sem afetar as células saudáveis.

Em testes de laboratório, este tipo de células T foi capaz de identificar e matar células causadoras de câncer de pulmão, pele, sangue, cólon, mama, ossos, próstata, ovário, cervical e renal.

Segundo o Professor Andrew Sewell, autor do estudo e especialista em células T na Escola de Medicina da Universidade de Cardiff, a descoberta é “altamente incomum” e aponta para a possibilidade de um tratamento “universal” para diversos tipos de câncer.

Os pesquisadores ainda não conseguiram determinar o quão comum o novo tipo de célula T é. “Pode ser bastante raro, ou pode ser que muitas pessoas tenham estes receptores, mas que por algum motivo eles não sejam ativados. Nós ainda não sabemos”, diz o professor.

Fonte: Telegraph  – Olhar Digital

O que esperar do mercado de TI em 2020

ti, tecnologia da informação, it
Liliane Nakagawa 19/01/2020 21h01
Com a Transformação Digital, o mercado de tecnologia é um dos que mais apresenta crescimento e está em constante desenvolvimento, exigindo novos profissionais

Nos últimos meses, a Gartner lançou uma série de previsões para o mercado tecnológico em 2020. O estudo só mostra o que já estamos observando há algum tempo: à medida que a tecnologia traz expectativas variadas, a condição humana vem sendo desafiada, trazendo aprimoramentos, decisões e emoções.

Segundo a consultoria, até 2023, o número de pessoas com deficiência empregadas nas organizações triplicará devido à Inteligência Artificial e às tecnologias emergentes, reduzindo as barreiras de acesso. Ainda de acordo com o estudo, a IA influenciará mais da metade dos anúncios on-line que as pessoas veem. Para 28% dos profissionais de marketing, essa tecnologia, juntamente com o Machine Learning, vai orientar o impacto futuro do setor e 87% das organizações já estão em busca de algum nível de personalização.

Conheça as principais tendências para o mercado de TI em 2020:

Mercado a todo vapor

O mercado está aquecido para os profissionais de TI, principalmente as carreiras ligadas à Inteligência Artificial, que estão surgindo e ficando em evidência. Um estudo da Gartner acredita que serão criados cerca de 2,3 milhões de empregos ligados a IA.

Implementação de IA no mundo dos negócios

Até o fim de 2020, uma boa parte das empresas brasileiras vai implementar Inteligência Artificial em seu modelo de negócio. Segundo a nova pesquisa global da IBM sobre a adoção da tecnologia, “Dos obstáculos à escala: a disparada global à IA” (From Roadblock to Scale: The Global Sprint to AI), os projetos com IA estão ganhando espaço nas empresas e nos negócios, à medida que as barreiras à sua adoção vão diminuindo.

Tecnologia de 5ª geração e a Internet das Coisas

O 5G estará disponível ainda no primeiro semestre no Brasil e deve mudar os paradigmas de conectividade e abrir portas para um futuro totalmente conectado, impulsionando a Internet das Coisas. Isso porque a tecnologia faz a diferenciação dos três tipos de interações – “pessoas com pessoas”, “pessoas com máquinas” e “máquinas com máquinas”. Ou seja, oferece altíssima velocidade e confiabilidade para a conexão de pessoas, de objetos e coisas nos ambientes domésticos, urbanos, industrial, educacional, de saúde, etc., além de impulsionar o mercado. Não faltam expectativas para esse lançamento!

Apesar de estar associada ao mercado de criptomoedas, essa tecnologia vai muito além e já está revolucionando todos os segmentos. A partir do Blockchain, é possível armazenar digitalmente registros de transações em redes descentralizadas. De acordo com uma pesquisa da Deloitte, 77% dos 1.386 executivos de mais de 10 países indicaram que perderão vantagem competitiva se não adotarem essa tecnologia. Segundo a Gartner, as 10 principais organizações de notícias usarão o Blockchain para rastrear e provar a autenticidade de seu conteúdo publicado para leitores e consumidores. Além disso, até 2025, 50% das pessoas com um smartphone, mas sem uma conta bancária, usarão uma conta de criptomoeda acessível para dispositivos móveis. Ou seja, o impacto será grande por aqui!

* Por Alessandra Montini, diretora do LabData, da FIA

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital

Um olhar para o futuro

Grandes empresas apresentam na feira de tecnologia de Las Vegas produtos que tornam a computação onipresente e intensificam relação entre humanos e máquinas

Crédito: Divulgação

A Bosch desenvolveu um visor que permite ao motorista enxergar perfeitamente e se proteger da luminosidade (Crédito: Divulgação)

Guilherme Sette

Nesse sentido, um conceito parece ser unânime na CES: a conexão absoluta de casas, carros e de qualquer produto durável de consumo. Vislumbrando a difusão do 5G, entre telas dobráveis para televisões e smartphones, carros elétricos inteligentes e assistentes de voz para uso doméstico, a conexão incessante e de alta velocidade é o que se encontra em praticamente tudo. Com a capacidade ininterrupta de processamento, a quantidade de informações pessoais de cada usuário que cada aparelho pode coletar também atrai certa atenção, e é nesse aspecto que edição de 2020 da conferência se diferenciou das outras.
Por causa disso, pela primeira vez desde 1992, a Apple fez uma participação oficial na feira, numa mesma mesa redonda ao lado do Facebook, outra empresa que raramente faz apresentações na CES. Ambas se reuniram para discutir a privacidade de dados, em um evento abarrotado de visitantes que teve até que ser transmitido em outro auditório devido à alta procura. Diante da conexão total, a privacidade é a grande bandeira das duas gigantes daqui para frente, tentando deixar para trás a imagem ruim gerada pelos escândalos como o vazamento de dados de usuários da rede social no caso da Cambridge Analytica e a revelação de que funcionários da Apple ouviam conversas de usuários com a Siri, assistente de voz do iPhone, para aprimorar a experiência da ferramenta. A conectividade e a privacidade devem pautar a indústria de tecnologia para os próximos anos, gerando uma competição curiosa: quem consegue oferecer as funcionalidades mais atraentes sem que o usuário se sinta exposto – se é que ainda seja possível tal sentimento.

Visor virtual

O visor do automóvel (imagem na abertura desta reportagem), muitas vezes utilizado pelos motoristas para se proteger do sol, é algo inalterado há décadas nos veículos. A Bosch afirma que a luz solar é a maior causadora de acidentes entre fenômenos climáticos e, por isso, desenvolveu um visor que permite ao motorista enxergar perfeitamente o que está a sua frente e mesmo assim se proteger da luminosidade. Ele funciona com uma tela de LCD inteligente, que localiza e analisa o rosto de quem está ao volante, escurecendo pontos hexagonais da tela que formam uma proteção para os olhos

Vision AVTR

Divulgação
A Mercedes-Benz pegou carona na sequência do filme “Avatar”, do diretor James Cameron para divulgar o seu conceito de carro do futuro. Para a montadora, o novo automóvel terá conexão intensa com o usuário, perceberá os elementos ao redor através de mais de 30 sensores, poderá se mover lateralmente com comandos por gestos e será elétrico e sustentável. Mesmo que seja apenas uma ideia, a gigante dos automóveis afirma que seus carros rodarão com baterias de células de grafeno orgânico, que não utilizam metais raros, dizendo ser possível que o veículo tenha autonomia de 700 quilômetros com carga completa. Com a parceria com a superprodução do cinema, talvez o veículo já seja visto novamente nas telonas. Há a suspeita de que o modelo será utilizado em “Avatar 2”, que estreia em dezembro de 2021

TV dobrável

Divulgação

A LG chamou a atenção com uma extravagante televisão de 65 polegadas e resolução 8k que pode ser enrolada ao ponto de caber em uma pequena caixa. A empresa promete que o produto  chegará às lojas até o fim de 2020, confirmando a tendência do desenvolvimento de telas, também para smartphones, tablets e notebooks, que se dobram e podem ser transportadas com mais facilidade. A diferença no caso da TV é que o preço pode ser muito mais salgado que o dos outros dispositivos: especula-se algo em torno de US$ 60 mil. A empresa afirma que o material resiste  a cinquenta mil rolagens, o que corresponde a ser ligada
e desligada oito vezes por dia durante dezessete anos

S-A1

David McNew/AFP

A Hyundai anunciou um modelo de carro voador batizado de S-A1, que é elétrico e decola verticalmente, além de ser silencioso. A intenção da empresa é o desenvolvimento de “hubs” em grandes cidades, espécies de helipontos que funcionam como estações para os carros voadores. A montadora anunciou uma parceria com a Uber, projetando um serviço de táxis voadores e uma rede de compartilhamento de viagens aéreas. Em agosto de 2019, a empresa japonesa NEC realizou um teste com um modelo semelhante em um voo que durou pouco mais de um minuto

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: IstoÉ

Pesquisadores criam os primeiros robôs vivos

Criados com células-tronco de embriões de sapos, os Xenobots podem ser programados para se locomover ou trabalhar em grupo dentro de um organismo

 

Rafael Rigues

Pesquisadores da Universidade de Vermont e da Universidade Tufts, nos EUA, desenvolveram os primeiros “robôs” programáveis construídos com tecido vivo. Batizados de Xenobots, eles são construídos a partir de células-tronco embriônicas de uma espécie de sapo africano e podem trabalhar grupos, caminhar e nadar em um organismo e sobreviver semanas sem comida.

Segundo os pesquisadores, eles são “formas de vida completamente novas, nunca vistas na natureza”, com corpos projetados por um supercomputador. “Eles não são um robô tradicional nem uma espécie conhecida de animal. São uma nova classe de artefato: um organismo vivo e programável”, disse Joshua Bongard, um dos líderes da pesquisa na Universidade de Vermont, em um comunicado à imprensa.

Os robôs tradicionais “degradam-se com o tempo e podem produzir efeitos colaterais prejudiciais à saúde e ao ecossistema”, disseram os pesquisadores no estudo, publicado na segunda-feira no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences. Como máquinas biológicas, os xenobots são mais “amigáveis” ao meio-ambiente e mais seguros para a saúde humana, segundo o estudo.

Os xenobots podem sobreviver em ambientes aquosos sem nutrientes adicionais por dias ou semanas – tornando-os adequados para a administração interna de medicamentos. Também podem se “consertar” quando danificados. Mas uma coisa que não podem fazer, por decisão dos cientistas, é se reproduzir. Eles se alimentam de lipídios e depósitos de proteína em suas células, e podem viver cerca de uma semana sem alimentos extras, ou mais tempo em um ambiente rico em nutrientes.

Os robôs poderiam potencialmente ser usados para uma série de tarefas, como limpar resíduos radioativos, coletar microplásticos nos oceanos, transportar remédios para dentro de corpos humanos ou até mesmo viajar para nossas artérias para remover placas de gordura. Além disso, também podem nos ajudar a compreender melhor os mecanismos da biologia celular.

“Se pudéssemos criar uma forma biológica em 3D sob demanda, poderíamos reparar defeitos de nascimento, reprogramar tumores em tecidos normais, regenerá-los após lesões traumáticas ou doenças degenerativas e derrotar o envelhecimento”, disseram os pesquisadores. Esta pesquisa pode ter “um enorme impacto em áreas da medicina regenerativa como construção de partes do corpo e indução da regeneração”.

Fonte: Olhar Digital

‘Multa’ por GPS pode acabar com os radares; entenda

Guilherme Preta, editado por Cesar Schaeffer
Europa planeja controlar velocidade dos veículos acima do permitido de forma remota usando um sistema implantando nos carros

 

Com exceção de algumas estradas na Alemanha (e somente em alguns momentos), é normal que todas as vias tenham um limite de velocidade imposta para a segurança dos motoristas e passageiros. Tão normal quanto, é as pessoas acelerarem mais que o permitido e reduzir apenas quando passam por algum radar ou pela polícia. Esta ação contribui para aumentar o número de acidentes, e diversos lugares do mundo estão pensando em formas de limitar esta prática.

Em algumas vias de São Paulo, por exemplo, a prefeitura calcula, desde 2017, a velocidade média do veículo entre dois radares e, caso seja maior que o permitido, envia uma advertência ao motorista. Não há multas nesse caso porque não há regulamentação federal que autorize esta forma de punição. A partir de 2022, porém, a Europa promete ir ainda mais longe.

Reprodução

No início de 2019, a União Europeia aprovou uma nova regra, com previsão para entrar em vigor em 2022, que vai obrigar as montadoras a colocar mecanismos que detectem o limite de velocidade da pista e ajustar automaticamente a do carro. O programa, denominado ISA (Assistente Inteligente de Velocidade), vai utilizar câmeras, que vão ler as placas que informam o limite, e um GPS para descobrir se o carro está respeitando a velocidade permitida. Caso negativo, um dispositivo vai reduzir a potência do motor até que o veículo fique no limite.

A medida, porém, não vai limitar o alcance do carro, cabendo ao motorista voltar a acelerar se quiser se manter mais rápido que o permitido. A expectativa é que o novo recurso possa conscientizar os motoristas a se manter na lei. Porém, caso não tenha o resultado esperado, que é uma redução entre 20 e 30% de acidentes e zerar as mortes no trânsito em alguns anos, a União Europeia estará a meio caminho de uma medida ainda mais radical.

Reprodução

Com a informação da velocidade dos carros em um GPS, não será muito difícil integrar esses dados com o sistema de controle de tráfego dos países. Se isso realmente ocorrer, medidas como a da Volvo, que limitou a velocidade dos seus carros, podem ser cada vez mais comuns. Caso contrário, cada vez que um motorista ultrapassar o limite da via, uma multa seria automaticamente gerada. Além disso, os radares de velocidades, que hoje são facilmente driblados como dito anteriormente, vão se tornar uma tecnologia ultrapassada e não serão mais necessários.

Via: UOL

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital

29 aplicativos e jogos para Android de graça por tempo limitado

Veja as opções, escolha seus preferidos e faça o download enquanto é tempo

 

Os aplicativos permitem que os smartphones façam as tarefas mais inusitadas. Quando é possível obtê-los de graça, é melhor ainda. De tempos em tempos, os desenvolvedores distribuem suas criações gratuitamente para atrair novos usuários, já que muitos têm receio de experimentar conteúdo pago.

A lista a seguir contém apps e games que estavam disponíveis gratuitamente na Play Store e foram verificados pelo Olhar Digital. Esses programas estão gratuitos por tempo limitado, mas depois de instalados ficam vinculados à conta do Google para sempre. Ou seja, eles podem ser baixados a qualquer momento sem que seja preciso pagar.

Vale observar, ainda, que as promoções podem ser encerradas a qualquer momento. Então, ao abrir um app da lista na loja de aplicativos e o botão de aquisição não mostrar a palavra “Instalar”, mas o preço original do app, significa que ele voltou a ser pago: se você baixá-lo, será cobrado por isso.

Aplicativos

  1. Calendar-reminder
  2. Client database
  3. English for all! Pro
  4. Top Scanner Pro – Document Scanner
  5. Quick Arc Launcher ( Smart One Swipe Launcher )
  6. ProGo App – Productive goals
  7. Smart Notes {Pro} Ads-free

Jogos

  1. Battle Ships 1988 Revival Pro
  2. Super Brain Pro
  3. HEXASMASH • Wrecking Ball Physics Puzzle
  4. Zombie Masters VIP – Ultimate Action Game
  5. Slayer Bizarre Shmup PRO (digital space shooter)
  6. Superhero Fruit Premium: Robot Wars Future Battles
  7. Superheroes Junior: Robo Fighting – Offline Game
  8. Blu Escape – Hardcore Platformer
  9. Magnet Balls Pro
  10. Word Chess PRO
  11. [VIP]Missile Dude RPG: Tap Tap Missile
  12. Archery Physics Shooting Challenge
  13. Ocean Go!
  14. Preschooler. All-in-One
  15. Project Archery : Shoot Apples With Physics
  16. Sudoku Deluxe VIP
  17. The Lonely Hacker

Personalização

  1. Coffee -Icon Pack
  2. Fabulous – Icon Pack
  3. Olympic – Icon Pack
  4. Piranha Aquarium 3D lwp
  5. Cuticon Round – Icon Pack

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital

China faz festa de virada do ano com 2 mil drones; assista

Guilherme Preta, editado por Liliane Nakagawa 02/01/2020 12h01
Equipamentos substituíram os fogos e fizeram um show de luzes sincronizadas

China surpreendeu ao mundo na comemoração de Ano Novo. Em vez dos tradicionais fogos de artifício, o país usou dois mil drones para criar diversas imagens no céu de Xangai.

Uma das figuras formadas foi a de um homem correndo, que representou as conquistas do país em 2019. Os drones ainda mostraram uma contagem regressiva e simularam as explosões dos tradicionais fogos. No fim, a mensagem “Zhui Meng” (“persiga seus sonhos”, em tradução livre) foi formada em caracteres chineses.

Veja o espetáculo no vídeo abaixo.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital Via: CGTN America

Bolsonaro aprova política de incentivo para Tecnologia da Informação

Um dos vetos permite a concessão de incentivos a empresas controladas por detentores de cargos públicos

Tecnologia da informação

Na última sexta-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 13.969/19, sobre a política industrial para o setor de tecnologias da informação e comunicação e para o setor de semicondutores.

Três vetos foram feitos no projeto original. Dois dos artigos vetados falavam sobre benefícios que não seriam aplicados às “pessoas jurídicas nas quais proprietários, controladores, diretores e seus respectivos cônjuges sejam detentores de cargos, empregos ou funções públicas”. A justificativa foi de que a medida ofende os princípios de isonomia e proporcionalidade, previstos na Constituição.

O terceiro veto foi para a possibilidade de as empresas gerarem créditos financeiros adicionais de três quartos do valor investido. Segundo o Planalto, ao alterar a política industrial, a proposta aumenta a renúncia de receita do Executivo sem indicar a respectiva fonte de custeio, violando a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A nova legislação foi aprovada pela Câmara em 16 de dezembro para substituir as isenções tributárias anteriores, consideradas ilegais pela OMC (Organização Mundial do Comércio).

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital Via: Câmara dos Deputados

Falando com robôs

A inteligência artificial e a robotização invadem o cotidiano, viram prioridade de investimento para empresas e ampliam a comunicação entre humanos e máquinas

Fernando Lavieri

Chegou o momento em que ficou difícil distinguir se estamos conversando com uma pessoa ou com uma máquina. Ao telefone, nas redes sociais, nos aplicativos e em todo tipo de situação cotidiana, os robôs estão aptos a tratar sobre qualquer assunto, desde fornecer informações básicas, como para onde ir ou quanto pagar, até cobranças automáticas e relacionamentos afetivos. Estão diuturnamente conosco. A pesquisa e o desenvolvimento em inteligência artificial (IA) nos fez chegar ao ponto de caracterizar esse momento tecnológico como a 4º Revolução Industrial. Essa imensa transformação proporciona uma simbiose entre o homem e interfaces digitais que vão além da imaginação. E é um caminho sem volta. Segundo o Instituto Gartner, especializado em pesquisas de tecnologia, em 2020, o investimento em IA se converterá em uma das cinco prioridades de negócios para 30% das empresas no mundo.

Nas ciências da computação, no universo dos algoritmos, as máquinas aprendem sozinhas com os dados já existentes, estabelecem padrões e buscam resultados. Já podemos falar em reconhecimento facial muito acima da capacidade humana de identificar um rosto, por causa dos algoritmos. No varejo, as empresas criaram aplicativos e personagens virtuais que reconhecem textos, falas, gírias, interagem com o consumidor e estimulam as compras. A Magalu, robô do Magazine Luiza, já se tornou uma celebridade. Empresas aéreas, como a Gol, e bancos, como o Bradesco, apostam em atendentes eletrônicos. No campo e na cidade cresce a aplicação de inteligência em equipamentos e veículos autônomos. Na medicina, são colocados sensores acoplados a computadores para detectar ondas cerebrais em pessoas acamadas, imóveis e com dificuldade de fala, que podem indicar em que parte do corpo estão sentindo dor. Em casa, eletrodomésticos e outros aparatos do cotidiano estão conectados e resolvem problemas corriqueiros.

Na indústria, graças a sensores e computadores embutidos nos equipamentos, é possível digitalizar e compilar as informações de todo processo produtivo. Quanto aos trabalhadores, também há tecnologia para detectar emoções e prever comportamentos. A evolução parte de um equipamento parecido com um fone de ouvido, mas com componentes que permitem a captura de sinais, equivalentes aos do eletroencefalograma (EEG), que mostram o quanto a pessoa está concentrada, dispersa ou fatigada e enviam mensagens que alimentam uma base de dados que permite deslocar ou não esse funcionário.

Impacto no Trabalho

Para o engenheiro Manuel Cardoso, professor aposentado da Universidade Federal do Amazonas e CEO da empresa de tecnologia MapInnovation, essa nova tecnologia pode gerar bens e produtos novos, máquinas que a humanidade ainda não foi capaz de inventar. Com a ajuda da inteligência artificial é possível armazenar e processar todo conhecimento produzido até hoje. “O potencial é incalculável”, afirma. A Robótica de Processos (RPA) permite que empresas executem processos de negócios de 5 a 10 vezes mais rápido e com 37% menos recursos, em média. Este impacto positivo impulsiona a indústria e o setor de serviços e a estimativa é de que, até 2050, 80% das atividades humanas sejam automatizadas. Com a tecnologia disponível, 45% das tarefas podem ser realizadas por robôs e adequações no mundo do trabalho estão se impondo. Segundo Cardoso, surgirão outras profissões e muitas vão acabar. “Não devemos temer o futuro, mas realizá-lo a partir do presente”, diz. A médio e longo prazos, o Ministério da Educação tem papel estratégico para que o País possa se desenvolver com a velocidade necessária. A implementação de políticas públicas que melhorem o ensino, principalmente de matemática, é imprescindível. Os estudantes brasileiros pecam pela falta de conhecimentos básicos, como mostrou o último PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), referente a 2018. Sem matemática não há futuro. Algo precisa ser feito para que o Brasil não fique para trás nessa nova revolução industrial.

Fonte: IstoÉ

Novo tecnologia permite carregar o celular em apenas 5 minutos

Celular

Matheus Luque
Novas baterias devem chegar ao mercado no segundo semestre de 2020

O ano de 2020 certamente trará diversas novidades no mundo da tecnologia, que vão facilitar a vida dos usuários. Uma delas promete resolver um problema antigo dos donos de smartphones, a bateria. Isso porque uma startup israelense, a StoreDot, planeja desenvolver baterias capazes de recarregar um celular em apenas 5 minutos, assim como um veículo elétrico. No caso do carro, a carga seria o suficiente para uma viagem de aproximadamente 500 km.

O portal Bloomberg colocou a StoreDot em uma lista de startups a se prestar atenção no ano de 2020. A empresa obteve um financiamento no valor de US$ 130 milhões (cerca de R$ 530 milhões) e o apoio de uma das maiores empresas de petróleo do mundo, a BP.

A previsão é de que os carregadores capazes de carregar totalmente a bateria de um celular em cinco minutos cheguem ao mercado no segundo semestre do 2020. Sua tecnologia é baseada em uma nova geração de compostos orgânicos que armazenam energia com mais eficiência e segurança que os sistemas atuais, e também em uma nova combinação de nanotecnologias.

As baterias StoreDot usam lítio, mas substituem o grafite usado pelos fabricantes de baterias por uma mistura de metaloides, ou seja, substâncias com propriedades intermediárias entre metais e não metais. Esses metaloides incluem silício e compostos orgânicos sintetizados em seus laboratórios.

Os celulares não seriam os únicos beneficiados com a nova tecnologia, a indústria de veículos elétricos também pode aproveitar a inivação.

Reprodução

Foto: BMW

O alcance em quilômetros das baterias elétricas ainda é consideravelmente limitado e, dependendo do modelo, o reabastecimento pode levar entre 45 minutos e 4 horas; essa costuma ser a principal barreira na compra de um veículo com esse tipo de bateria.

De acordo com a Bloomberg, os veículos elétricos representarão mais da metade de todas as vendas de carros novos em 2040, à medida que os preços começarem a cair e a vida útil da bateria for estendida.

Pensando nisso, os fabricantes têm aumentado a “densidade” química da bateria para que um carro elétrico possa viajar ainda mais com uma única carga.

Os mais recentes veículos elétricos de ponta da TeslaChevrolet e outros fabricantes, por exemplo, permitem viagens de quase 500 quilômetros em boas condições. Mas recarregar ainda é um processo lento. É nesse ponto que a nova tecnologia desenvolvida pela StoreDot pode ajudar.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Olhar Digital Via G1