28 C
Brasília, BR
sábado, setembro 21, 2019

Quem é o novo e riquíssimo namorado de Patrícia Poeta

A apresentadora gaúcha, que mora no Rio de Janeiro, tem frequentado mais a ponte aérea com São Paulo

Moradora do Rio de Janeiro, a gaúcha Patrícia Poeta, que nas últimas semanas vem substituindo Ana Maria Braga no Mais Você, na Globo, tem ficado na ponte aérea com São Paulo. O motivo: a apresentadora está namorando o empresário Dinho Diniz, da família fundadora do Pão de Açúcar e dono da cervejaria Caravelle. O romance já tem quatro meses, mas ambos, inusitadamente, não postaram nada nas redes sociais nem circulam juntos em eventos. Figura simpática da sociedade paulistana, Diniz é dono de uma fauna exótica em sua mansão: ali há cabrita, macaco e lhama, todos devidamente apresentados à namorada. Procurada, Patrícia diz que sua relação com Dinho é amizade, e nada mais.

Postado: http://egnews.com.br

Fonte: Veja

Revelada a face dos hominídeos de Denisova, parentes perdidos do ser humano

Revelada a face dos hominídeos de Denisova, parentes perdidos do ser humano

  • 19 setembro 2019
Reconstrução do hominídeo de DenisovaDireito de imagemMAAYAN HAREL
Image captionAcredita-se que os hominídeos de Denisova foram extintos cerca de 50 mil anos atrás – ainda não se sabe como

Pouco mais de uma década depois da descoberta de restos dos hominídeos de Denisova em uma caverna da Sibéria, pesquisadores fizeram a primeira reconstrução do rosto destes “parentes distantes” dos humanos modernos.

Por meio de análises de DNA do material encontrado em 2008 — três dentes, um osso de dedo mindinho e uma mandíbula —, cientistas da Universidade Hebraica de Jerusalém reconstituíram os traços da espécie, extinta há cerca de 50 mil anos.

Acredita-se que os hominídeos de Denisova habitaram a região da atual Sibéria e parte do leste da Ásia.

Também há evidências de que eles viveram em regiões altas do Tibete, passando adiante genes que ajudaram humanos modernos a se adaptar a regiões de altitude.

Cerca de 5% do DNA da população nativa da Oceania pode ser ligado aos hominídeos de Denisova, dizem estudos.

Semelhanças e diferenças

“Os hominídeos de Denisova se assemelhavam aos Neandertais de várias maneiras, mas alguns de seus traços se aproximavam mais aos dos humanos modernos — outros eram únicos”, diz o professor Liran Carmel, um dos autores do estudo e pesquisador da Universidade Hebraica de Jerusalém.

trabalho foi publicado na revista científica Cell nesta quinta-feira (19).

Aproximadamente 100 mil anos atrás, grupos diferentes de hominídeos — incluindo os seres humanos modernos, Neandertais e os Denisova — conviviam no planeta.

Reconstrução do hominídeo de DenisovaDireito de imagemMAAYAN HAREL
Image captionOs hominídeos de Denisova foram contemporâneos dos Neandertais e dos humanos modernos

A reconstrução — baseadas em complexas análises de DNA dessas espécies e de outro homínideo, os chimpanzés — mostram que o crânio do hominídeo de Denisova era provavelmente mais largo do que o dos humanos modernos ou dos Neandertais. Eles também tinham o queixo “para dentro”.

Assim como os Neandertais, tinham a testa protuberante e o rosto largo. Como os humanos modernos, a arcada dental ampla.

Para Carmel, o trabalho é apenas o começo de uma longa pesquisa sobre os Denisova, sobre a qual a Ciência ainda sabe muito pouco.

“Eles eram muito semelhantes a nós em alguns aspectos. Por isso, é fundamental entender as diferenças para tentar compreender como nos adaptamos no mundo”, disse à BBC.

Greve global pelo clima: por que ações individuais fazem diferença no combate às mudanças climáticas

Greve global pelo clima: por que ações individuais fazem diferença no combate às mudanças climáticas

 

Ilustração de jovem ativista ambiental

Afinal de contas, as ações individuais ajudam a combater as mudanças climáticas?

Pense um pouco: que diferença faz uma pessoa trocar uma picanha por um prato de lentilhas, decidir pegar um ônibus em vez de usar o próprio carro ou não viajar de avião nas férias, se os outros bilhões de seres humanos que habitam o planeta não fazem nada?

É uma conclusão desanimadora e suscita uma pergunta óbvia, que já deve ter passado pela sua cabeça: por que, então, devemos nos preocupar?

Foi exatamente o que perguntei à ativista ambiental sueca Greta Thunberg, de 16 anos, quando a encontrei no mês passado.

Em vez de pegar um avião para participar de reuniões sobre a mudança climática em Nova York, no fim de agosto, a adolescente optou por cruzar o Atlântico a bordo de um veleiro — aquele que tinha um balde azul para os tripulantes fazerem suas necessidades, lembram?

Justin Rowlatt e Greta Thunberg
Image captionGreta Thunberg ao lado do jornalista Justin Rowlatt

Espalhando a mensagem

Quando conversamos no porto de Plymouth, no sul da Inglaterra, ela me disse que “a questão é formar opinião. Ao parar de voar, você não apenas reduz sua pegada de carbono, mas também envia um sinal para outras pessoas ao seu redor de que a crise climática é algo real e isso ajuda a impulsionar um movimento político”.

É uma boa resposta e ajuda a explicar por que essa adolescente sueca chamou a atenção do mundo.

Minha reação talvez tenha sido um pouco rude: “Então, você está tentando fazer o resto de nós nos sentir culpados?”, perguntei.

“Não”, ela respondeu calmamente, e explicou que não acha que seja sua função dizer a outras pessoas como viver suas vidas. Pelo contrário, suas convicções devem guiar seu próprio comportamento.

“Eu não voo por causa do enorme impacto climático da aviação por pessoa.”

Veleiro Malizia IIDireito de imagemREUTERS
Image captionThunberg viajou para Nova York a bordo do veleiro Malizia II…

Ela reconhece, no entanto, que seu caso é peculiar.

“Muitas pessoas ouvem o que tenho a dizer e apareço muito na mídia. Portanto, influencio muita gente e, por isso, tenho uma responsabilidade maior, pois tenho uma plataforma maior.”

Anteriormente, ela tentou participar de reuniões por videoconferência, mas não causou tanto impacto.

“Acho que tem um impacto maior se eu e muitos outros jovens estivermos de fato lá.”

E, a julgar pela publicidade que recebe, Greta tem razão.

Mas vamos ser honestos, você não é a Greta Thunberg. Mesmo que suas escolhas se espalhem pelo mundo e influenciem algumas pessoas, sua decisão de comer menos carne e diminuir um pouco o termostato não é exatamente o apelo que vai mobilizar o mundo em torno da redução das emissões de carbono.

Então, por que os indivíduos devem fazer a sua parte?

Balde azul de plástico para fazer cocôDireito de imagemAFP
Image caption… em que um balde azul de plástico servia de banheiro para os tripulantes

Obrigação moral

Essa é uma pergunta para um filósofo. É trabalho deles travar debates sobre que princípios devem guiar nosso comportamento.

E eu falei com “o cara”. O professor Peter Singer, da Universidade de Princeton, nos EUA, foi classificado como “o filósofo vivo mais influente do mundo” pela revista New Yorker.

Singer se autodefine como um especialista em ética prática e é muito claro sobre essa questão.

Ele não apenas acredita que todos nós devemos tomar uma atitude, como argumenta que há uma obrigação moral muito forte de por que devemos fazer isso.

“Acho que esse é um dos grandes desafios morais do século 21, talvez o maior”, diz ele. “Se não estamos agindo, estamos colocando em risco todo mundo que está vivo agora e também as futuras gerações.”

Hamburguer veganoDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionHambúrgueres veganos como esse podem ser uma alternativa à carne

Ele compara o fato de você não reduzir suas emissões de carbono com a atitude de pegar uma escavadeira e arrasar as plantações de um pequeno agricultor na África.

Se você fizesse isso, todo mundo concordaria que estaria errado, mas os gases de efeito estufa pelos quais você é responsável geram o mesmo resultado, argumenta.

O fato de a causa estar relacionada a “gases invisíveis” e de que o efeito só poderá ser sentido em um futuro distante não permite que cada um de nós fuja da obrigação moral de agir, insiste Singer.

A razão é que nosso direito à liberdade de ação não se aplica a prejudicar os outros.

Ele sugere outra metáfora. Imagine que há um limite de velocidade em uma rua comercial movimentada e alguém diz: “Vou dirigir lá pisando fundo no acelerador, mas não se preocupe, há uma boa chance de eu não matar ninguém.”

Furacão DorianDireito de imagemNASA
Image captionA mudança climática prevê a ocorrência de mais eventos extremos

Você não diria que “tudo bem”, afirma Singer.

“Você diria: ‘Não, você não tem liberdade ou direito de colocar outras pessoas em grave risco de serem feridas ou mortas. E é exatamente isso que estamos fazendo ao seguir em frente com os níveis de emissão de gases de efeito estufa que estamos emitindo hoje.”

Segundo ele, o fato de que cada um de nós desempenha um papel minúsculo no processo como um todo não importa; nossa obrigação de agir permanece.

Influência crescente

Aposto que a maioria das pessoas reconhece instintivamente que há uma força verdadeira nesses argumentos. Então, por que todos nós já não estamos agindo mais para reduzir nossas emissões?

Vamos ouvir o que tem a dizer uma psicóloga comportamental: a professora Kelly Fielding, da Universidade de Queensland, em Brisbane, na Austrália.

De acordo com ela, não somos os espíritos independentes de pensamento livre que imaginamos ser.

“O que vemos como psicólogos sociais é que as pessoas são muito influenciadas pelo que os outros fazem, embora a gente acredite que não seja”, explica.

“É um paradoxo. Achamos que tomamos nossas próprias decisões, mas a verdade é que buscamos orientação nos outros sobre como devemos nos comportar.”

Quando se trata de mudanças climáticas, o problema é que simplesmente não estamos recebendo as sugestões que precisamos de amigos e familiares, ou, neste caso específico, do governo e das empresas, diz ela.

No entanto, pesquisas mostram que as pessoas no mundo inteiro estão ficando cada vez mais preocupadas com as mudanças climáticas.

Um estudo publicado em junho nos EUA ilustrou essa questão com muita força. O levantamento da Reuters mostrou que, enquanto 69% dos americanos queriam que o governo adotasse ações “agressivas” para combater as mudanças climáticas, apenas um terço estaria disposto a pagar mais US$ 100 para que isso acontecesse.

O que os entrevistados estão dizendo é: “Sim, há um problema, mas não é minha responsabilidade resolvê-lo”.

Mas não se desespere, diz a professora Fielding. Estudos realizados por psicólogos comportamentais indicam que é possível reverter essa conclusão na cabeça das pessoas.

Se as pessoas precisam ser estimuladas por outras antes de mudar de comportamento, tudo o que precisamos fazer é impelir algumas a começar a agir e outras a seguirão, ela argumenta.

O que nos leva a fechar um círculo e fazer todo o caminho de volta até Greta Thunberg e aquele veleiro “zero carbono”.

Como diz Greta, nossas ações são importantes não porque elas têm um efeito material sobre as mudanças climáticas, mas por causa da mensagem que elas enviam a outras pessoas.

Greta Thunberg
Image captionThunberg e outros ativistas ambientais foram classificados como uma ‘ameaça’ para a indústria do petróleo

O que você faz influencia seus amigos e familiares e ajuda a criar um espaço político para governos e empresas agirem. E é provável que isso incentive outras pessoas e outros países a fazerem mais.

E isso já está acontecendo. Quem imaginaria que uma empresa que fabrica hambúrguer sem carne pode valer quase US$ 4 bilhões; que o cartel de petróleo mais poderoso do mundo classificaria os jovens ativistas ambientais como a “maior ameaça” para a indústria de petróleo; ou que a mudança climática se tornaria a questão-chave para os candidatos democratas a presidente dos EUA?

Sim, o que estou sugerindo é a possibilidade de um círculo virtuoso. E sim, este é um argumento para que todos nós possamos ser bem mais otimistas em relação ao que pode ser alcançado.

Porque há outro ponto crucial a ser lembrado. A mudança climática não é binária, não apenas acontece ou não acontece. Uma questão importante para todos nós é o nível de mudança climática que o mundo vai sofrer.

Já sentimos um certo grau de aquecimento global. A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu que tentássemos limitar a 1,5°C.

O negócio é o seguinte: quanto mais atitude tomarmos, menos nosso clima vai mudar e mais habitável o mundo vai ser para nós, para nossos descendentes e para todo o resto da magnífica abundância de vida na Terra.

Agora, convenhamos, vale a pena fazer algumas mudanças no estilo de vida em nome desta causa, não é mesmo?

Justiça garante nomeação de candidato aprovado há sete anos no concurso do Procon DF

Justiça garante nomeação de candidato aprovado há sete anos no concurso do Procon DF

fonte:http://blogs.correiobraziliense.com.br/papodeconcurseiro/justica-garante-nomeacao-de-candidato-aprovado-ha-sete-anos-no-concurso-do-procon-df/
Publicado em GDFNomeação

Victória Olímpio* – Uma liminar foi concedida pela Justiça para que um candidato que concorreu no último concurso público do Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon/DF) conseguisse sua nomeação. O certame ocorreu em 2011 e previa duas vagas imediatas para analista de atividade de defesa do consumidor.

O candidato foi aprovado em 12º lugar e aguardava na lista do cadastro reserva, após vários candidatos desistirem ou serem exonerados. O resultado foi divulgado no mesmo ano e homologado em 2012, mas o prazo do concurso foi suspenso pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) e prorrogado até 5 de junho de 2019.

“O governo se omitiu ao não convocar o aprovado, já que as vagas do concurso não foram preenchidas e havia cadastro reserva para o preenchimento,” comenta a advogada responsável pela ação, Dra. Raquel Oliveira, do Kolbe Advogados Associados.

Ao todo, nove candidatos foram aprovados, mas cinco foram tornadas sem efeito, por motivos de desistência ou exonerações. A 11ª colocada no concurso já havia desistido e informado ao poder público. Com o cargo vago, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) entendeu que ele teria direito à vaga.

Leia também: Procon-DF define comissão para próximo concurso público 

O advogado Max Kolbe, também autor da ação e membro da Comissão de Fiscalização de Concursos Públicos da OAB-DF, comentou sobre a nomeação. “É de clareza solar que deve haver a nomeação do impetrante, não só pelas nomeações tornadas sem efeito, como também pelas exonerações/desistências que comprovam que há vagas, bem como necessidade de nomeação.”

Por fim, o relator do caso, desembargador Getúlio de Moraes Oliveira, ratificou que o candidato teria direito a nomeação. “Das duas vagas ofertadas no edital, pelo menos uma não foi preenchida, de onde se vislumbra a relevância dos motivos invocados pelo Impetrante quanto ao seu direito à nomeação,” afirma a decisão.

 

Nomeação do candidato

De acordo com o desembargador, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu que passou a ser um direito subjetivo a nomeação em casos em que a Administração Pública convoca certo número de candidatos e alguns deles desistem de tomar posse, tornando sem efeito a nomeação.

Nesses casos, é dever da Administração Pública convocar os demais candidatos na quantidade equivalente. A decisão liminar irá reservar a vaga ao aprovado até que seja julgado o mérito.

E mais: Sem concurso há 8 anos, Procon DF tem deficit de mais de 50% de servidores 

* Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Planaltina/GO fecha e Seduc/RO reabre inscrições para 796 vagas

Planaltina/GO fecha e Seduc/RO reabre inscrições para 796 vagas

Há chances para os cargos de agente de alimentação, agentes de limpeza e conservação e professor. Confira mais detalhes abaixo:

Divulgação/Prefeitura Cuiabá

As inscrições do processo seletivo da Secretaria de Estado de Educação de Rondônia (Seduc/RO) foram reabertas! Os interessados poderão se inscrever a partir desta quarta-feira (19/9) até as 23h59 de 26 de setembro, pelo site www.rondonia.ro.gov.br. Não será cobrada taxa de inscrição.

São 726 vagas, sendo 351 para a especialidade de agentes de alimentação e 375 para agentes de limpeza e conservação. A remuneração será de R$ 1.270,06, sendo acrescidas gratificações e auxilio transporte. A avaliação será realizada por avaliação de títulos.

Os aprovados poderão ser lotados em Alta Floresta do Oeste, Ariquemes, Buritis, Cacoal, Cerejeiras, Costa Marques, Espigão do Oeste, Extrema, Guajará Mirim, Jaru, Ji Paraná, Machadinho do Oeste, Ouro Preto do Oeste, Pimenta Bueno, Porto Velho, Rolim de Moura, São Francisco do Guaporé e Vilhena.

Saiba mais
 sobre a seleção!

Confira os encerramentos em Goiás

A Prefeitura de Planaltina/GO encerra, nesta quarta-feira (19/9), as inscrições do processo seletivo que oferta 70 vagas para professores. Os interessados ainda podem se inscrever de forma gratuita até as 23h59. A seleção será composta de análise curricular e comprovação de documentação.

As vagas são para os cargos de professor P II, nas disciplinas de: pré-escolar e séries iniciais (50), geografia (2), história (2), ciências (2), matemática (5), língua portuguesa (5), língua inglesa (3), educação física (1). Os aprovados vão atuar em jornadas de 20h a 30h semanais com remuneração de até R$ 1.376,13 a R$ 1.987,49.

Os servidores serão selecionados para trabalhar nos Centros Municipais de Educação Infantil e Unidades Escolares da Rede Pública Municipal de Ensino. Confira aqui mais sobre o certame!

* Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Até R$ 4,7 mil: Prefeitura de Goiânia lança seleção com mais de 1.000 vagas!

Até R$ 4,7 mil: Prefeitura de Goiânia lança seleção com mais de 1.000 vagas!

As chances são para candidatos que tem nível fundamental, médio ou superior. A seleção conta apenas com uma etapa de avaliação

Lorena Pacheco

Divulgação/Prefeitura de Goiânia
Prefeitura de Goiânia

A Prefeitura de Goiânia, em Goiás, abriu mais um edital de processo seletivo simplificado. São oferecidas 1.030 vagas, para cargos de níveis fundamental, médio e superior! Os salários variam de R$ 1,051,49 a R$ 4.788,65. Já as jornadas de trabalho variam entre 20 e 60 horas/aula para professores e 30 horas semanais para os demais cargos.

Há chances para licenciatura nas áreas de pedagogia/normal superior, artes (artes visuiais), história, geografia, matemática, ciências, português, inglês, educação física e intérprete de Libras. Há ainda oportunidades para, auxiliar de atividades educativas (nível médio), assistente administrativo educacional (nível médio), agente de apoio educacional (6º ano completo do Ensino Fundamental).
O objetivo é o provimento temporário de vagas dos cargos do quadro de pessoal da Secretaria Municipal de Educação e Esporte, oriundas do aumento de demanda, provenientes de vacâncias, aposentadorias, exonerações, óbitos, aberturas de novas salas/instituições e ainda a municipalização de seis instituições escolares da rede estadual de ensino.
Os contratos terão validade de um ano, podendo ser prorrogado pelo mesmo período. As vagas serão disponibilizadas por região. Não havendo cadastro reserva de uma determinada região, a Secretaria Municipal de Educação e Esporte poderá convocar candidatos que optaram por outras regiões no ato da inscrição.

Os candidatos serão avaliados por etapa única de análise da experiência profissional e dos títulos, de caráter eliminatório e classificatório.

Veja aqui o EDITAL DE ABERTURA COMPLETO! 

Inscrições concurso Prefeitura de Goiânia

As inscrições podem ser feitas de 7 a 15 de outubro, pelo site www.concursos.goiania.go.gov.br. O edital reserva 5% das vagas a pessoas com deficiência e 20% a negros.
O processo seletivo simplificado terá prazo de validade no período compreendido entre 6 de novembro de 2019 e 06 de novembro de 2020 e poderá ser prorrogado por mais um ano, conforme necessidade da Rede Municipal de Educação ou até 60 dias após a homologação ou, ainda, até a nomeação e posse de servidores concursados.
Segundo o calendário oficial, a homologação do resultado final está prevista para 5 de novembro deste ano.

Relembre 5 carros vendidos Brasil que deixaram saudades

Relembre 5 carros vendidos Brasil que deixaram saudades

Por iG Carros 

Nem sempre os novos modelos são melhores que os anteriores. Há exceções, como os modelos que mostramos na lista a seguir

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.Ouça: Relembre 5 carros vendidos no Brasil que deixaram saudades – Carros0:00100%Audima

Há carros que saem de linha de deixam saudades, seja porque eram até melhores que os substitutos ou simplesmente por serem bons o suficiente para fazem falta. Na lista a seguir, a reportagem de iG Carros reuniu 5 modelos, a maioria do início dos anos 2000, que foram muito bem aceitos tanto pela crítica quanto pelo público na época do lançamento.

LEIA MAIS: Veja os 5 modelos seminovos mais fáceis e baratos de consertar

1 – Chevrolet Vectra CD 2000

Chevrolet Vectra
Divulgação

Chevrolet Vectra da segunda geração tinha visual arrojado e boa dose de sofisticação para o início dos anos 2000

A segunda geração do sedã da GM foi lançada no Brasil como parte da linha 1996, mas apenas quatro anos depois é que recebeu retoque no desenho que deixaram o carro com aspecto mais arrojado. Entre outros itens, tinha suspensão traseira do tipo multilink, traços dos retrovisores externos que faziam parte das linhas do capô, além de airbag duplo e ABS, itens que eram novidade há quase 20 anos no País e contribuem para o sedã estar entre os 5 carros vendidos no Brasil e que deixaram saudades,

 Na versão tipo de linha CD, o modelo da GM vinha com rodas de aro 16, computador de bordo, porta-luvas refrigerado, retrovisor interno eletrocrômico, além de poder vir com volante revestido de couro com os principais comandos do som e até um subwoofer no porta-malas. O motor era 2.0, de 16 válvulas no cabeçote, que rendia 138 cv acoplado ao câmbio manual de cinco marchas ou automático de quatro.

2 – VW Golf da quarta geração

VW Golf GTI prata
Divulgação

VW Golf GTI da quarta geração acabou se tornando referência em qualidade e desempenho assim que chegou ao Brasil

 Foi o primeiro feito no Brasil, a partir de 1999.  Antes disso, o hatch médio era trazido apenas importado. Com a plataforma PQ24, o VW Golf se tornou referência em comportamento dinâmico, conforto e desempenho no segmento no início dos anos 2000. Tinha versão 1.6, com o motor EA 111, que vinha com comando de válvulas roletado e logo se tornou um dos mais robustos da mesma cilindrada.

LEIA MAIS:  Veja 5 carros que mudaram pouco e ficaram mais caros na linha 2020

No caso do esportivo GTI, o Golf IV contava com o 1.8, turbo, o mesmo utilizado pela Audi no A3. Na versão mais potente rendia 180 cv, com cinco válvulas por cilindro que podia ser combinado ao câmbio automático de cinco marchas, com trocas sequenciais no volante. Ar-condicionado digital, bluetooth e faróis com superfície complexa faziam parte do repertório do saudoso Golf.

3 – Ford Focus

Ford Focus prata
Divulgação

O Focus chegou ao mercado brasileiro no ano 2000 como um projeto global da Ford para carros médios

Rival do VW Golf, o hatch médio da marca americana sempre veio da Argentina. Na primeira geração chamou bastante atenção pelo estilo ousado com detalhes como a luz da marcha à ré na parte de baixo do para-choque e as lanternas traseiras embutidas nas colunas, além da trava do capô, aberto com chave e com fechadura escondida atrás do logo da grade frontal.

Por dentro, o Ford Focus também tinha estilo arrojado. Havia versões com sistema de som do tipo Doble DIN, que ocupava um espaço maior que o convencional no painel. Quadro de instrumentos com iluminação indireta e bom espaço interno eram outras características marcantes do carro. Acabamento caprichado, bom isolamento acústico e conjunto mecânico bem acertado também mereciam elogios. Tinha motores Zetec 1.8 ou 2.0 no início e, a partir de 2004, com o 1.6 Zetec Rocam.

4 – Fiat 500 Sport Multiair

Fiat 500 vermelho
Divulgação

Fiat 500 1.5 Sport Multiair chegou ao Brasil importado da Polônia nas primeiras unidades com ares mais sofisticados

A primeira leva do subcompacto que veio ao Brasil, no início desta década, era importado da Polônia. E tinha a saudosa versão Sport com motor 1.4 Multiair, de 105 cv.  Era um sistema de variador de fase do comando de válvulas eletro-hidráulico, que atuava em cada cilindro e a cada ciclo, melhorando o rendimento do motor.

Essa versao Sport 1.4 Multiar do 500 também vinha com belas rodas de aro 16 e acabamento mais caprichado. A alavanca de câmbio bema o alcance das mãos e a agilidade no dia a dia eram pontos que agradavam bastante no carrinho que deixou de ser vendido no Brasil.

5 – Renault Mégane Grand Tour

Renault Mégane Grand Tour
Divulgação

Renault Mégane Grand Tour 2.0 com câmbio manual de seis marchas foi uma das mais raras e memoráveis peruas

A perua do Renault Mégane foi fabricada no Brasil até 2011. Foi um dos melhores carros feitos no País. Uma das versões mais raras é a Extreme 2.0, com câmbio manual de seis marchas e frente da versão R26 vendida na Europa, com entradas de ar mais largas. Contava com 138 cv e podia acelera de 0 a 100 km/h em 10 segundos. Toda pintada de preto, vinha também com rodas grafite.

LEIA MAIS:  Conheça 5 novos micos do mercado que você não deve comprar em 2019

Mas a versão mais comum era a 1.6, com câmbio manual de cinco marchas. Rendia 115 cv e fazia 8,5 km/l na cidade e 11,5 km/l na estrada com gasolina, conforme o Inmetro. Espaçosa, podia levar até 520 litros de bagagem no porta-malas com todo conforto e praticidade. Por esses e outros motivos é que a perua está entre os 5 carros vendidos no Brasil que deixaram saudades.

Fonte: Carros – iG @ https://carros.ig.com.br/2019-09-19/relembre-5-carros-vendidos-brasil-que-deixaram-saudades.html

Edição limitada da Honda CB1100 RS 5Four revive a linhagem da ícone 7 Galo

Edição limitada da Honda CB1100 RS 5Four revive a linhagem da ícone 7 Galo

Por iG Carros 

Tamanho do texto

Modelo tem todos os componentes modernos da fabricante japonesa mas segue o estilo clássico que consagrou as esportivas entre os anos 70 e 80

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.
Honda CB1100 RS 5Four
Divulgação

Honda CB1100 RS 5Four: Apesar de ter sido inspirada na CB 750, nos lembramos mais da sua “prima”, a CBX 750

A divisão de motos da Honda acaba de apresentar o renascimento de um clássico dos anos 70 e 80. Para comemorar o 50º aniversário da CB750 Four — uma prima próxima da CBX 750F (a “7 Galo”) — a unidade da fabricante no Reino Unido se juntou à loja de customização 5Four Motorcycles Limited para criar apenas 54 unidades do modelo, batizado de Honda CB1100 RS 5Four.

LEIA MAIS: Nova Honda Africa Twin surge em teaser. Será mais em conta e terá mais potência

Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
Honda CB1100 RS 5Four. Foto: Divulgação
1/12

A Honda CB1100 RS 5Four recebeu um esquema de pintura moderno, mas com visual clássico da prima da Honda 7 Galo , que foi considerada a primeira supermoto bem sucedida para as ruas. Para preservar a autenticidade da máquina, ela adota retrovisores redondos, os painéis de alumínio feitos à mão para a cobertura do farol e a unidade do assento — ao invés do plástico que é usado atualmente. Além disso, o assento tem estofamento de couro Alcantara costurado à mão.

LEIA MAIS: Honda CBR 300RR surge em imagem pela primeira vez e deverá ir ao Salão de Milão

Mais equipamentos e números

Honda CB1100 RS 5Four
Divulgação

Além do clássico, possui ares modernos, que remetem também à “doadora” de peças CB 1000 atual

A lista se completa com pinças de freio douradas, amortecedores Showa com garfo dianteiro dourado e traseiro amarelo. Além disso, conta com guidão Renthal completo que traz alças de mão Tomaselli e escapamento Racefit 4 em 2 de alto desempenho. O preço que está sendo cobrado pela Honda CB1100 RS 5Four é de US$ 19.400, ou R$ 80.600 em uma conversão direta. Como não virá ao Brasil, quem quiser uma, deverá recorrer aos classificados e fechar negócio com uma 7 Galo clássica por valores que variam entre R$ 20 mil e R$ 60 mil.

LEIA MAIS: Conheça detalhes de 5 motos esportivas seminovas de até R$ 15 mil

Honda 7 Galo
Divulgação

A famosa 7 Galo dos anos 70, motivo de nostalgia e inspiração para a CB1100 RS 5Four

Como base, a Honda CB1100 RS 5Four segue com o mesmo motor atual da CB1000. Com 4 cilindros em linha e 1.140 cc, rende 90 cv e 9,27 kgfm. Isso é o bastante para assegurar um desempenho atual, bem superior em relação ao modelo clássico, que tinha 82 cv (na sua última geração) e uma potência média menor, devido ao sistema de alimentação ainda ser carburado. Ainda sim, tinha uma aceleração até 100 km/h em apenas 5,4 segundos e uma velocidade máxima de 209 km/h. Veja o vídeo abaixo.

Fonte: Carros – iG @ https://carros.ig.com.br/motos/2019-09-19/edicao-limitada-da-honda-cb1100-rs-5four-revive-a-linhagem-da-icone-7-galo.html

Toyota confirma que vai investir R$ 1 bilhão para fazer novo carro em São Paulo

Toyota confirma que vai investir R$ 1 bilhão para fazer novo carro em São Paulo

Por Motor Show | Da Redação 

Novo modelo deverá ser inspirado no conceito Daihatsu DN Trec e está previsto para chegar ao mercado em 2021. Saiba mais detalhes

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.
Daihatsu
Divulgação

Daihatsu DN Trec: protótipo de 2017 antecipa o futuro SUV da Toyota

Depois de lançar no Brasil o novo Corolla , a Toyota confirmou nesta quinta-feira (19) que vai investir R$ 1 bilhão em sua fábrica de Sorocaba (SP) para produzir um novo modelo, que deverá ser lançado em 2021.

LEIA MAIS: Novo Toyota Corolla provoca exame de consciência no consumidor

Oficialmente, a marca não confirma qual será o carro escolhido, mas a expectativa é de que o modelo seja baseado no conceito DN Trec , mostrado no Salão de Tóquio de 2017 e que na época já era considerado para o Brasil. O SUV compacto deve ganhar uma versão de produção em novembro na fábrica da Toyota .

LEIA MAIS: Toyota Camry é o carro de patrão definitivo

Daihatsu
Divulgação

Visual segue a linha da geração atual de design da marca, vindo para concorrer com EcoSport e companhia

Atualmente, a fábrica de Sorocaba produz os modelos Etios e Yaris e tem capacidade para montar até 108 mil veículos por ano. Para a produção do novo modelo, a Toyota prevê a contratação de 300 novos funcionários, que também produzirão o DN Trec .

LEIA MAIS: Toyota Yaris terá pelo menos uma versão híbrida no Brasil

Fonte: Carros – iG @ https://carros.ig.com.br/2019-09-19/toyota-vai-investir-r-1-bi-para-fazer-suv-no-brasil.html

“Monstro voador” invade casa e amedronta moradores na Indonésia

“Monstro voador” invade casa e amedronta moradores na Indonésia

Por O Dia 

Animal que foi encontrado na cidade de Bali foi identificado como espécie de mariposa gigante que só é vista na Austrália e em outros países asiáticos

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.Ouça: ‘Monstro voador’ invade casa e assusta moradores na Indonésia – Mundo Insólito0:00100%Audima
Monstro Voador mariposa gigante
Reprodução/Youtube

Animal foi registrado em Bali, na Indonésia.

Uma espécie de ‘ monstro voador ‘, que possui duas asas e quatro tentáculos aterrorizantes, invadiu uma casa em Bali, na Indonésia , e assustou os moradores da região. Ele foi identificado por especialistas como creatonotos gangis, uma mariposa gigante que somente é encontrada na Austrália e Ásia.

Leia também: Leão invade casa de idosos nos Estados Unidos e se esconde no banheiro

Após a divulgação do vídeo, muito internautas se surpreenderam nas redes sociais com o tamanho e aspecto da mariposa. Confira abaixo o registro do animal :

Um morador afirmou que o dia estava muito chuvoso e o animal entrou em sua residência para escapar da água e dos raios: “Por isso ficará aqui apenas por uma noite. Não quero que assuste meus hóspedes”, afirmou.

Fonte: Último Segundo – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/mundo-insolito/2019-09-19/monstro-voador-invade-casa-e-amedronta-moradores-na-indonesia.html