21.4 C
Brasília, BR
quarta-feira, agosto 12, 2020

Web debocha de ‘inocência’ de Lula e pede: “Volta pra cadeia”

Petista afirma que não teve julgamento “justo e imparcial”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou alvo de uma campanha, no Twitter, que pedia para que ele fosse preso novamente. A hashtag #VoltaLulaPraCadeia surge no mesmo momento em que o Supremo Tribunal Federal está julgando a suspeição do então juiz Sergio Moro no processo que condenou o petista.

Mais cedo, o ex-presidente fez ataques à Lava Jato e disse que a operação “destruiu o sistema produtivo do Brasil”. Segundo ele, a investigação é uma “tentativa dos EUA de bloquear a soberania brasileira”. A defesa do petista também se manifestou, alegando que Lula “não teve direito a um julgamento justo e imparcial”.

Leia também1 Moraes suspende depoimento de Aécio Neves em inquérito
2 Governo entrega ao Congresso relatório sobre ‘antifas’
3 Dias Toffoli pegou ácaro do ar-condicionado do prédio do STF
4 Augusto Nunes diz que Gilmar “não é juiz, é um empresário”
5 Augusto Nunes chama Boulos de ameaça e “irrita” esquerda

Caso a suspeição de Sergio Moro no julgamento de Lula seja confirmada, o processo contra o petista poderá ser anulado, resultando também na anulação de sua sentença e na consequente retomada de seus direitos políticos.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Pleno.News

Veja porque a gestão de Zélio Maia (Diretor do Detran) não é aceita por seus funcionários de carreira

Brasília (DF), 02/01/2016 Protesto contra aumento das passagens Local: Rodoviária Foto: Felipe Menezes/Metrópoles

Zélio Maia e a corrupção no DETRAN

A má gestão de Zélio Maia (Diretor do Detran) coleciona ações prejudiciais ao órgão, são elas:

a) Os contratos da engenharia, construídos e assinados na surdina, para atender a interesses particulares em detrimento dos interesses dos cidadãos.

“APARÊNCIA “LEGAL” DE UM PROCESSO EMERGENCIAL ILEGAL PARA BENEFICIAR” AMIGOS. (Contrato Emergencial 03/2020)
Fonte: https://donnysilva.com.br/aparencia-legal-de-um-processo-emergencial-ilegal-para-beneficiar-a-cld-consladel-no-df/

“FRUSTRAÇÃO” NO CACHORRO
Fonte: https://donnysilva.com.br/frustracao-no-detran/

b) A tentativa de comprar o silêncio dos agentes de trânsito com a criação da “Gratificação de Compensação Orgânica – GCO” em substituição ao pagamento irregular da insalubridade, para oportunizar a venda do DETRAN, que graças não se tornou realidade. E diante da negativa da Diretoria de Carreiras da Secretaria de Economia, a direção em resposta a possível boicote da AGEDETRAN, exonerou toda a diretoria de policiamento – DIRPOL.

“DESPACHO-SEEC/SEGEA/SUGEP/COACEP/DIRETORIA DE CARREIRAS E REMUNERAÇÃO”
Fonte: SEI Nº 40997592

“MAIS UMA POSSÍVEL IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA PRATICADA PELO…” VAIDOSO
Fonte: https://donnysilva.com.br/mais-uma-possivel-improbidade-administrativa-praticada-pelo-soberbo-diretor-geral-do-detran/

REGULARIZAR O ILEGAL, IMORAL E INCONSTITUCIONAL
Fonte: https://www.tc.df.gov.br/4-consultas/consultas/ Processo nº 17175/2015-e OU Decisão 452/2020

c) O milionário Plano Diretor de TI (150 milhões), construído sorrateiramente e sem a participação dos servidores efetivos do DETRAN. Aí vem… a pergunta que não quer calar!

– Quem são e de onde surgiram Hideraldo Ferreira de Faria e Elaine Nogueira da Silva, ele tratado como integrante técnico e ela administrativo?

– Por que e qual é o interesse em construir o PDTI do DETRAN com pessoas de fora? Já que a maioria dos servidores do DETRAN da área de TI estão cedidos a outros órgãos.

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO – DETRAN/DF
Fonte: http://www.detran.df.gov.br/wp-content/uploads/2020/05/PDTI_DETRAN_DF.pdf
Fonte: Portaria nº 120, de 04 de maio de 2020; Portaria nº 134, de 13 de maio de 2020; Instrução nº 28, de 25 de maio de 2020; Instrução nº 28, de 25 de maio de 2020 e Instrução nº 431, de 03 de junho 2020.

d) O diretor de Administração Geral, Anderson Moura e Sousa, em tese advogou em causa própria, correndo para requerer a própria redistribuição do órgão de origem, para o DETRAN, antes da suspensão da direção. Onde, sua redistribuição não teve o devido rito processual, entre outros com exposição de motivos e impacto financeiro.
Fonte: Instrução nº 399, de 29 de abril de 2020
Fonte: Ordem de Serviço nº 255, de 16 de julho de 2020 -SEEC/SEGEA

e) A tentativa em criminalizar os servidores do DETRAN é absurda. O Dirag teve a capacidade de desprezar nomes de servidores, para gerir atividades de engenharia, que são atribuições especificas das carreiras do DETRAN, informando ao PP que a nomeação não vai ocorrer porque o servidor “é parado”.

E sórdido o plano político para o futuro do DETRAN/DF. O interesse financeiro que pode proporcionar está acima dos interesses dos cidadãos – igual aos servidores do DETRAN – que tentam “latir” diante de tamanha tentativa de surrupiarem os cofres públicos. Basta olhar os comentários nas redes sociais, onde o próprio diretor tenta “engrandecer” a sua imagem, quando na verdade deveria tão somente dá visibilidade aos trabalhos do DETRAN, engraçada tal atitude. Já aconteceu no passado, quando um ex-diretor tentou vincular a própria imagem e voz às propagandas do DETRAN – um tanto sórdido -. Nos corredores já falam “vaidoso igualzinho ao D”. Também, a diferença está na primeira letra – troca-se o “D” pelo “Z”.

Os chamados “políticos-gestores” não querem inovar e melhorar os serviços prestados ao cidadão, sem a contrapartida dos contratos milionários que o DETRAN possa proporcionar, dada a incapacidade de gestão sem ilegalidade, imoralidade, corrupção etc.

É de se imaginar que o governador não sabe o que se passa. Porque o próprio nas redes sociais reconheceu a imensa necessidade em inovar o DETRAN, quando apontou o BRB como um caminho à modernização da oferta dos serviços prestados pelo DETRAN. O fato é que não tem qualquer projeto sendo conduzido e/ou estudado, com a participação efetiva dos servidores do DETRAN no sentido de se promover tal modernização.

Fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/ibaneis-se-desculpa-por-falhas-no-detran-brb-assumira-servicos

O absurdo está também na falta de planejamento institucional – esse fato vem sendo “latido” desde início da gestão “IBANEIS, nos obrigando a questionar:
– Como desenhar o PDTI sem o planejamento estratégico, tático e operacional?
– Como desenhar planos institucionais sem a participação das pessoas envolvidas no processo de mudança?

A resistência já está acontecendo!
Entre outros, o transporte escolar, o proprietário de autoescolas, despachantes, instrutores, servidores e o cidadão estão procurando o governo, a fecomércio, os sindicatos e outros organismos vivos, para reivindicar direitos e garantias, inclusive constitucionais.

Os servidores do DETRAN são oposição a qualquer tentativa de corrupção. Mesmo que tenhamos que cortar na carne. Não faz qualquer sentido, neste momento tão difícil para população, com a economia em decadência, onde mesmo com os prazos dos serviços suspensos, a direção insistir em utilizar a mídia para autopromoção.

Fonte: https://infraestrutura.gov.br/ultimas-noticias/9620-contran-determina-a-suspens%C3%A3o-de-prazos-de-servi%C3%A7os-de-tr%C3%A2nsito-em-todos-os-estados.html
Fonte: https://www.facebook.com/492537477519410/posts/2866405650132569/

Portanto Senhor Governador, “o cachorro” está sendo jogado de um lado para outro, sem qualquer perspectiva de inovação sem corrupção, e que este comunicado sirva de alerta mais uma vez, para o governo promover um pacto com os servidores do DETRAN, de forma que a participação seja efetiva em toda cadeia do processo de inovação. E assim evitar mazelas, iguais as que ocorreram na Caixa de Pandora.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: De Olho no Poder

José Humberto, o trator do GDF que deixa Brasilia limpa e organizada

DF, ajardinado e bem-cuidado em cada detalhe

Serviços de zeladoria integram órgãos que têm dado uma nova cara a todas as regiões administrativas

Grandes obras transformam a dinâmica das cidades, mas são os pequenos e médios serviços que mudam a paisagem e reforçam a importância do cuidado com os equipamentos públicos. No Distrito Federal, esses reparos – que vão desde a poda de árvores até a reforma de tesourinhas – são tratados como prioridade pela atual gestão.

Governador Ibaneis Rocha

“Temos olhado com carinho para todas as regiões administrativas”, afirma o governador Ibaneis Rocha. O GDF concentra uma grande força-tarefa formada por secretarias, empresas, órgãos e administrações regionais.  Juntos, todos cuidam do patrimônio público ao promover obras e ações como tapa-buraco, desentupimento de bocas de lobo e da rede pluvial, pintura e sinalização de pistas e recuperação de parques infantis, entre outras.

“Essas pequenas obras e reparos, que eu costumo chamar de ajardinamento, são importantes para as cidades permanecerem bem-cuidadas e o cidadão ter a sensação de pertencimento à região em que mora”, destaca o governador. “E é um cuidado de verdade. Em vez de pintar o meio-fio quebrado, nós o trocamos, colocamos um novo e só então pintamos.”

Acompanhe, a seguir, como se desenvolve o cuidado diário com as cidades que compõem o Distrito Federal.

GDF Presente

Secretário de Governo e coordenador do GDF Presente, José Humberto Pires fala com entusiasmo sobre a integração da equipe: | Foto: Vinícius de Melo / Agência Brasília

O carro-chefe de todos esses serviços é o GDF Presente, coordenado pela Secretaria de Governo. O programa agiliza as demandas e reduz a burocracia, ao integrar diferentes órgãos e administrações regionais para tocar obras de recuperação e melhoria da infraestrutura das cidades.

“O GDF Presente permite o empoderamento do administrador, um atendimento mais ágil às demandas da comunidade e a descentralização dos serviços dos órgãos”, explica o secretário de Governo, Humberto Pires. “São fatores importantíssimos dentro do programa, pois, quando você tem todos os órgãos atendendo juntos, você facilita a realização daquele trabalho.”

A força desse trabalho nas 33 regiões administrativas (RAs) é demonstrada, abaixo, nos números do balanço parcial de 2020.

  • 664,56 toneladas de entulho recolhidas
  • 680,01 toneladas de asfalto pavimentado
  • 631 buracos tapados
  • 370 árvores podadas
  • 501.954 m² de roçagem
  • 470 obras de manutenção elétrica
  • 162 luminárias trocadas por equipamentos de LED
  • 146 mil metros de redes de águas pluviais desobstruídas, reconstruídas e construídas
  • 704,8 quilômetros de áreas rurais patroladas


Novacap em ação

Boa parte do trabalho feito pelo GDF Presente conta com o apoio da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). A Novacap é reconhecidamente uma empresa que zela pelo DF e até possui a própria fantástica fábrica de cuidados com a cidade. Quer ver só?

Até junho de 2020, somente de meios-fios e calçadas, foram construídos 15.025,17 mil m² nas 33 regiões administrativas do DF, com investimentos que totalizaram R$ 5.637.831,83 milhões. Dentro da Novacap, a fábrica de concreto produziu 2.900m de meios-fios entre janeiro e junho deste ano.

Também vieram da produção da companhia 14.252 unidades de blocos de concreto e 18.986 bloquetes para calçadas, estacionamentos e praças, além de 2 mil m² de alambrados que tornaram mais seguros parquinhos, unidades básicas de saúde (UBSs) e escolas.

Tesourinhas Asa Sul e Asa Norte

A Novacap executa, ainda, obras de maior porte, como a das tesourinhas. Até o momento, foram entregues três viadutos, nas quadras 3/4 Sul, 7/8 Norte e 15/16 Norte.

Nem só de concreto, porém, vive a Novacap. Por lá, a produção de mudas tem igual importância. Nos primeiros seis meses deste ano, foram produzidas 1.223.267 milhão mudas de flores, ervas e herbáceas. Mais de 31.601 mil m² de canteiros e jardins públicos receberam manutenção. O DF ficou ainda mais bonito com as 37.721 mudas produzidas, as 29.122 árvores e os 95.323 m² de grama plantada.

Plantar é essencial, mas cuidar, igualmente. Por isso a empresa recolheu 11.499m³ de lixo verde, podou 48.308 mil árvores e limpou 86.568m² de área de canteiros.

“O ajardinamento, ou zeladoria das cidades, é uma grande preocupação do governador Ibaneis, tanto que estamos criando na estrutura da Novacap a Diretoria das Cidades, e nosso foco vai ser fazer com que as cidades do DF estejam novas em todos seus aspectos: jardins, parques, pavimentos, equipamentos públicos, escolas, paradas de ônibus, podas de árvore, bocas de lobo”, pontua o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite.


Limpeza constante

Assim como a Novacap, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) é um braço essencial para a zeladoria do DF. A autarquia promove, diariamente, ações de varrição e catação de resíduos em todo o DF. E também segue um cronograma de remoção de entulhos nos diversos pontos de descarte irregular, além de pintura de meios-fios, lavagens de monumentos e das principais áreas de grande circulação.

425 mil km Total de vias públicas varridas pelo SLU de janeiro a maio deste ano

O trabalho é reconhecido pelo esforço de 4.184 garis. De janeiro a maio deste ano, por exemplo, foram coletadas 328 mil toneladas de lixo domiciliar no DF. Na varrição de rua, calculada por quilometragem, foram 425 mil km quilômetros de vias e logradouros públicos que ficaram mais limpos nesse mesmo período.

“Cuidar da cidade está na essência do SLU, e estamos sempre na rua varrendo, coletando lixo e entulho, pintando meios-fios para garantir mais saúde para a população e uma cidade cada vez mais bonita e que dá orgulho a todos que moram no DF”, aponta o diretor-presidente do SLU, Jair Tannús.

Além do essencial trabalho humano, o SLU investe na modernização de diversos serviços. Foram adquiridos nove caminhões específicos para a varrição mecanizada das ruas, além de 56 sopradores, que facilitam o serviço de varrição e catação.


Obras por toda parte

Obras de drenagem devem durar 90 dias. Depois disso, rua será asfaltada

A Secretaria de Obras reforça esse time da zeladoria. A pasta é responsável por investir na infraestrutura do DF por meio de serviços que envolvem drenagem, pavimentação, construção de calçadas e meios-fios.

Essas obras têm sido executadas pela secretaria em diferentes localidades, como Vicente Pires e Bernardo Sayão, bem como os trabalhos realizados na W3 Sul, onde foram revitalizadas as quadras 511 e 512. As quadras 509 e 510 Sul devem ser entregues na segunda quinzena de agosto, e as demais vão seguir o cronograma de licitações.

W/3 Sul – Revitalização nas calçadas

“Desde o primeiro dia de gestão, a orientação que nos foi dada pelo governador Ibaneis Rocha foi cuidar da cidade, recuperar calçadas, meios-fios, manter o gramado sempre bem-cortado, as árvores podadas”, descreve o secretário de obras, Luciano Carvalho. “Não temos medidos esforços para cuidar da cidade. Prova disso é a revitalização da W3 Sul, há anos abandonada. Também estamos trabalhando duro na melhoria do trânsito, com a construção de dezenas de viadutos, alargamento de vias, entre outras medidas. Assim será durante todo o governo.”

Adote uma Praça

ADOTE UMA PRAÇA - DFÁguasClaras

Nessa missão contínua de cuidar bem da cidade, os setores público e privado também andam de mãos dadas. Administrado pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepe), o programa Adote uma Praça tem firmado parcerias com empresários e moradores da capital para a manutenção e recuperação de locais públicos. São praças, jardins, rotatórias e canteiros de avenidas, becos e parques que estão ou vão ficar com cara nova.

Desde o lançamento, em maio de 2019, o Adote uma Praça recebeu 57 propostas, assinou 33 termos e entregou 12 projetos. Outros 14 estão sendo finalizados. Ao todo, 15 administrações participam do programa.

“O Adote Uma Praça é um exemplo de envolvimento da comunidade e do setor privado nas melhorias da nossa cidade”, conta o titular da pasta, Everardo Gueiros, que lembra: “Não é usado um centavo de dinheiro público nessas melhorias e cuidados. A comunidade e o setor privado investem nisso para conservar e dar uma nova cara para a cidade onde vivem”.  Para ele, o diferencial do programa é mobilizar o senso de pertencimento da comunidade.

Everardo Gueiros (@egfilho) | Twitter
Everardo Gueiros Secretário de Projetos Especiais do GDF

“Muito cidadão adota um espaço público e preserva como se fosse seu, por isso o Adote veio para oficializar esse cuidado”, valoriza. “Tem até um exemplo, no Gama, de uma família que fez um jardim, há mais de 30 anos, em um beco ao lado da casa, e a manutenção do lugar passou de geração em geração. Eles viram uma oportunidade, pelo programa, de regularizar esse cuidado com um bem público. Lembrando que não é usado um centavo de dinheiro público nessas melhorias e cuidados. A comunidade e o setor privado investem nisso para conservar e dar uma nova cara para a cidade onde vivem.”

Mais abrigos de ônibus

DER constrói parada de ônibus e calçada para pacientes da ...

Cuidar dos espaços físicos de quem utiliza o transporte público também é uma etapa importante da zeladoria. E esse trabalho fica a cargo da Secretaria de Mobilidade (Semob), que, em 2020, implantou 91 abrigos de ônibus em 17 regiões administrativas distintas.

Outros 606 abrigos foram revitalizados em 31 RAs. A Semob também publicou uma licitação para construir 525 novos abrigos, reformar e adaptar outros 650 abrigos já existentes e substituir 100.

Ao todo, o DF possui 4.943 pontos de parada, sendo 3.038 abrigos, 1.232 pontos habituais e 673 placas de sinalização da parada.

Sinalização

O Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) também investe em cuidados das vias. De janeiro a julho deste ano, o órgão sinalizou 651 faixas de pedestre, 17.027 lombadas e 32.239 vagas de estacionamento, além de instalar 1.816 placas de sinalização.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Adote-uma-praça.jpg
Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal

Essa e todas as outras ações de ajardinamento são acompanhadas de perto pelo governador Ibaneis Rocha. É comum o chefe do Executivo percorrer as cidades a bordo do seu carro para observar o andamento de obras, a necessidade de reparos e estar mais perto do povo. A blitz do governador já passou por diferentes regiões administrativas. São cuidados que a gestão atual do DF se compromete a manter, dia após dia.

Arte: Agência Brasília

ADOTE UMA PRAÇA

AJARDINAMENTO

CIDADES

GDF PRESENTE

NOVACAP

OBRAS

SECRETARIA DE MOBILIDADE DO DF

SERVIÇO DE LIMPEZA URBANA (SLU)T

APA-BURACO

VICENTE PIRES

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Agência Brasília

Bolsonaro visita polígono da seca e aciona sistema que levará água para 40 mil sertanejos

Presidente foi recebido com festa por multidão, ao desembarcar no Piauí para evento na Bahia

Recebido por uma multidão eufórica no sertão do Piauí e da Bahia, ao visitar a região do polígono da seca nordestino, o presidente Jair Bolsonaro acionou, nesta quinta-feira (30), em Campo Alegre de Lourdes (BA), o Sistema Integrado de Abastecimento de Água. Mais de 40 mil pessoas que dependiam de caminhões-pipa, chafarizes e poços tubulares com água salobra passarão a ter água tratada e abastecimento regular nos municípios baianos de Campo Alegre de Lourdes e Pilão do Arcado.

O empreendimento hídrico recebeu R$ 90 milhões em investimentos do Governo Federal, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Antes de seguir para o local do evento, o presidente Jair Bolsonaro foi recepcionado por uma multidão eufórica, no Aeroporto Internacional Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI). E, ao discursar na cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro destacou a importância de levar água a quem há tantos anos sofre os efeitos da seca.

Notícias Relacionadas

“Daqui vem nossa força, daqui vem aquilo que nós precisamos para continuar buscando o caminho certo para o nosso Brasil. Lá no Sudeste, na minha região, não temos problema de falta de água. E quando nós vemos e sentimos a felicidade de um povo quando chega a água naquela região, isso amolece nossos corações”, disse Bolsonaro.

A captação da água do sistema acionado ocorre no lago de Sobradinho, no município de Pilão Arcado, e a estrutura cruza diversos povoados até chegar a Campo Alegre de Lourdes. No total, 71 comunidades serão beneficiadas nos dois municípios. Na sede e povoados, a água será domiciliar. Em algumas regiões da zona rural, será por chafariz, fonte usada para uso comunitário instalada em pontos estratégicos

A região atendida integra o chamado “polígono da seca” que engloba municípios que sofrem com estiagens prolongadas.

“Ninguém governa sozinho e o nosso país tem um tremendo potencial para ocupar o local que ele merece no cenário mundial. Com a graça de Deus e o apoio do povo, nós chegaremos lá”, ressaltou. “Tenho certeza, nós juntos faremos um Brasil diferente de poucas décadas atrás”.

Veja a recepção ao presidente Jair Bolsonaro:

O empreendimento acionado nesta quinta-feira pelo presidente Bolsonaro, acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, é o maior para abastecimento de água já executado pela Codevasf no norte da Bahia.

Com 477 quilômetros de adutoras e redes de distribuição, a obra é composta por uma Estação de Tratamento de Água (ETA), seis estações elevatórias, duas de pressurização, seis poços de sucção, seis reservatórios elevados e outros seis apoiados, quatro casas de cloração, além de mais de 8 mil ligações domiciliares.

A primeira etapa começou a funcionar em pré-operação em 2019 e passou a levar água a 28 mil pessoas em Campo Alegre de Lourdes e Pilão Arcado, ainda de forma intermitente. Com a conclusão da segunda etapa, mais 11 mil pessoas passam a ser atendidas. E o abastecimento passa a ser regular. (Com informações da Comunicação do Palácio do Planalto)

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Diário do Poder 

A contra gosto de Damares, sede da Funai fica instalada em prédio de luxo e custa R$1 milhão mensais, em Brasília

Aluguel da sede de luxo da Funai custa R$1 milhão mensais, em Brasília

Segundo a própria Funai, aluguel é de R$840 mil, além do condomínio de R$211 mil por mês

Após assumir, em janeiro de 2019, a ministra Damares Alves (Mulher, Direitos Humanos etc) logo descobriu que a Funai em Brasília fica em prédio de luxo, com aluguel mensal de mais de R$1 milhão, incluindo o condomínio de R$211 mil, todo santo mês. Damares mandou a Funai procurar algo mais barato, até em respeito aos funcionários da ponta, onde estão os índios, que trabalham em condições precárias. Mas o Congresso tirou a Funai de Damares e tudo ficou como estava. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

“Eu vi sede da Funai em casinha, caindo”, disse Damares duas semanas após sua posse como ministra. De lá para cá, nada mudou.

Funcionários da Funai usam velhos veículos usados como “escritórios”. As sedes físicas, onde existem, não têm nada, nem ventilador.

Notícias Relacionadas

Por sua assessoria, a Funai garante que seu presidente, Marcelo Xavier, mandou fazer um estudo que indicou ser o aluguel “vantajoso”.

Aprovação de Bolsonaro no Nordeste aumenta quase 10%

Região foi onde o atual presidente teve o maior crescimento na comparação com o mês de abril

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Reprodução

Em um passado não tão distante, mais especificamente durante a CPAC Brasil 2019, que aconteceu em outubro do ano passado em São Paulo, a ministra Damares Alves proferiu a seguinte frase: “quanto mais bate, mais esse governo cresce”. Menos de um ano depois a frase parece fazer um enorme sentido, principalmente se analisarmos os números da última pesquisa Veja/Paraná Pesquisas.

O levantamento divulgado pela revista Veja na semana passada apontou que, apesar de ser alvo de todos os lados, especialmente da grande imprensa, o governo do presidente Jair Bolsonaro tem crescido onde menos se espera, a Região Nordeste, governada em grande parte por políticos de esquerda. É de lá que a aprovação do presidente subiu quase 10% no último levantamento em comparação ao mês de abril.

Leia também1 “Pedra no caminho”, diz Ana Paula Henkel sobre o STF
2 #NaturaNão: Web pede Mion em campanha de O Boticário
3 Jornalista faz desafio a Moraes e recebe apoio da internet
4 Bolsonaro quer dar cargo a Regina Duarte, diz Mario Frias
5 Dias Toffoli defende bloqueio de perfis nas redes sociais

Entre os nordestinos, Bolsonaro aparecia com 30,3% na análise feita há três meses. Já na pesquisa realizada em julho, ele surge com 39,4%, um aumento de 9,1%. Surpreendentemente, foi a região em que o atual presidente mais cresceu, batendo regiões onde o chefe do Executivo teve votação expressiva no pleito de 2018, como o Sul e o Sudeste.

Segundo análise feita pela revista, o salto de aprovação pode ter sido explicado pela criação do auxílio emergencial de 600 reais, ao desenvolvimento do novo programa Renda Brasil, à inauguração de obras da transposição do Rio São Francisco no Ceará e às viagens do presidente pela região.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Pleno News

“Pacto pelo emprego”: Bolsonaro ironiza proposta econômica de Flávio Dino

Presidente não citou nomes, mas criticou o fato de o governador pedir ajuda com o “estado fechado”

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu com ironia à proposta do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), para a elaboração de um “pacto pelo emprego”, unidos estados e a União.

“Tem um governador agora que quer que eu faça um pacto pelo emprego, mas ele continua com o estado dele fechado”, reagiu Bolsonaro, em conversa com apoiadores nesta terça-feira (28/7), sem citar o nome de Dino.

O governador enviou uma carta ao governo federal pedindo uma reunião com os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais.

governador do PCdoB ainda defendeu medidas para as pequenas e médias empresas e um plano de obras públicas, “indispensável para colocar o país no rumo do crescimento”.

Fonte: Metropoles

DEM e MDB deixam bloco do Centrão na Câmara dos Deputados

Liderado por Arthur Lira (PP-AL), aliado do governo, o grupo era formado por 221 parlamentares e foi reduzido para 158

Câmara dos DeputadosNAJARA ARAÚJO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

O DEM e o MDB vão deixar nesta segunda-feira (27/7) o bloco do “Centrão” na Câmara dos Deputados, que fechou apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Comandado por Arthur Lira (PP-AL), o grupo, que antes somava 221 parlamentares, fica reduzido para 158.

Seguem no “blocão” os partidos PP, PL, PSD, Solidariedade, PTB, PROS e Avante. O grupo foi criado em 2019 antes da formação da Comissão Mista do Orçamento (CMO), colegiado que aprova o orçamento federal e ainda cria regras para o pagamento e uso das emendas parlamentares.

Segundo o presidente do MDB e líder da sigla na Casa, Baleia Rossi (SP), a presença do partido no bloco era apenas para ganhar cadeiras nas comissões e que a legenda mantém uma posição “independente”.

Assim como Baleia, o líder do blocão, Arthur Lira (PP-AL), também disse que o grupo foi formado apenas para compor a comissão e reforçou que é “natural” que ele se desfaça. “Ele deveria ter sido desfeito em março, o que não aconteceu por conta da pandemia”, completou.

Coms a saídas do blocão do DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do MDB, comandado por Baleia, acelera-se a discussão sobre o nome do sucessor de Maia. O emedebista é um dos candidatos à vaga, além de Lira, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Marcos Pereira (Republicanos-SP) e Elmar Nascimento (DEM-BA).

Conheça os três aliados ao presidente Jair Bolsonaro para concorrerem à presidência da Câmara dos Deputados

Arthur Lira, Marcos Pereira e Capitão Augusto representam as principais forças de sustentação de Bolsonaro: Centrão, evangélicos e armas

Conheça os três governistas aliados ao presidente Jair Bolsonaro para concorrerem à presidência da Câmara dos Deputados que ocorrerá em fevereiro de 2021.
Os três nomes representam seguimentos importantes no apoio ao governo de Bolsonaro, que são os representantes dos setores, Evangélicos, Bancada da Bala e do Centrão.

O Líder do Centrão, deputado Arthur Lira (PP-AL);

O alagoano Arthur Lira está entre os mais experimentados parlamentares no Congresso. Filho do ex-senador Benedito Lira, ele está em seu terceiro mandato e hoje tem em mãos o protagonismo da articulação política do governo com os deputados, apesar de não ser o líder de fato do governo. Ele é o principal nome do chamado Centrão, uma amontoado de partidos que não possuem uma orientação ideológica específica, mas normalmente transitam entre a direita e a centro-direita e cujo posicionamento em votações costuma depender do grau de participação em cargos e vantagens combinadas com o Poder Executivo.

Sua primeira vitória política se deu aos 23 anos, quando foi eleito vereador em Maceió, pelo PFL, partido que mais tarde se transformou no atual DEM. Na Câmara Municipal de Maceió, ele ficou por dois mandatos. Depois, Lira se elegeu deputado estadual, cumprindo três mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa de Alagoas. A estreia na política nacional se deu em 2011, já pelo PP, partido comandado pelo senador Ciro Nogueira (CE).

Lira também foi alvo da operação Lava Jato. Além de relações com o doleiro Alberto Youssef identificadas pela força-tarefa no início das investigações, ele é réu em dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF). Recentemente ele foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República pelo crime de corrupção passiva.

A acusação se deu no âmbito de um inquérito aberto em setembro de 2017 para apurar propina de R$ 1,6 milhão paga pela Queiroz Galvão, empresa declarada inidônea por fraudes em contratos com a Petrobras. De acordo com a acusação, os pagamentos foram feitos em troca de apoio político para a manutenção de Paulo Roberto Costa na diretoria de Abastecimento da estatal.

Durante o governo de Michel Temer, Lira chegou a pressionar publicamente o presidente por uma reforma ministerial que dividisse principalmente os cargos ocupados pelos tucanos no governo. “Ou muda ou não vota mais nada aqui”, disse na época o parlamentar, referindo-se às pastas de Cidades, Relações Exteriores, Direitos Humanos e Secretaria de Governo, todas nas mãos do PSDB.

Marcos Pereira (Republicanos – SP)

Nascido em Linhares, no norte do Espírito Santo, o deputado Marcos Pereira foi eleito deputado federal por São Paulo em 2018. Em seu primeiro mandato, ele é hoje 1º vice-presidente da Câmara. Ele já foi ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, no governo do ex-presidente Michel Temer, e atualmente é o presidente nacional do Republicanos.

Protestante, Marcos Pereira é também um dos expoentes da bancada evangélica na Câmara. Ele é bispo da Igreja Universal e sua candidatura à sucessão de Rodrigo Maia já recebeu apoio explícito do bispo Edir Macedo, fundador da congregação e dono da TV Record. E foi na igreja e com Edir Macedo que o deputado conseguiu ascensão profissional.

A biografia de Marcos Pereira contém fatos incomuns. Ele não conheceu sua mãe biológica, que era empregada doméstica e engravidou do patrão em São Paulo. Grávida, ela retornou ao Espírito Santo e acabou o abandonando em uma pensão às margens da BR-101, assim que ele nasceu. Aos 5 anos, chegou a ser adotado por um casal, que se separou. Depois disso, cresceu com avó paterna até se casar, com 19 anos.

Ele trabalhou como contador em um escritório, mas já em 1995 chegou ao cargo de diretor administrativo e financeiro da TV Record do Rio de Janeiro, onde permaneceu até o fim de 1999, quando assumiu a Rede Mulher de Televisão.

Pereira também é advogado e professor e já chegou a lecionar direito penal no instituto pertencente ao ministro do STF Gilmar Mendes, o IDP, em Brasília.

Recentemente, ganhou pontos com Bolsonaro ao oferecer aos filhos do presidente, Flávio e Carlos, abrigo no Republicanos no Rio de Janeiro. Os dois deixaram suas legendas, respectivamente o PSL e o PSC, e se filiaram ao partido, que tem a Prefeitura do Rio de Janeiro, com Marcelo Crivella.

O deputado também foi investigado pela operação Lava Jato. Em janeiro de 2018, ele entregou o cargo de ministro ao então presidente Michel Temer, em meio a suspeitas de ter recebido propina dos grupos Odebrecht e JBS. Na época, ele alegou ter deixado a pasta para poder disputar a eleição para deputado federal, mas ainda faltavam dois meses para vencer o prazo de desincompatibilização exigido pela Lei Eleitoral.

Na Lava Jato, executivos da Odebrecht alegaram ter repassado R$ 7 milhões a Marcos Pereira a pedido da campanha da ex-presidente Dilma Rousseff em 2014. O objetivo era fechar o apoio da legenda à reeleição da petista e de Michel Temer. Ele também é citado pelo dono da JBS, Joesley Batista, que, em delação premiada, contou ter repassado a ele R$ 6 milhões.

Capitão Augusto (PL-SP)O deputado federal Capitão Augusto é natural da cidade de Ourinhos, no interior de São Paulo e está em seu segundo mandato na Câmara dos Deputados. Conhecido por sua visão conservadora, ele integra a chamada bancada da bala, formada por defensores da legalização do porte de armas no Brasil, em contraponto ao Estatuto do Desarmamento.

Na Câmara, ele é participante ativo de frentes parlamentares que tratam de temas como segurança pública, rodeios, vaquejadas e em defesa dos chamados Cacs (colecionadores, atiradores e caçadores), que defendem menor rigor no controle de armas no país. Ele é coordenador da Frente Parlamentar da Segurança Pública.

O deputado tem suas origens na Polícia Militar de São Paulo, onde atuava como bombeiro, em Santo André, na Região do ABC Paulista, e como policial rodoviário, em Bauru, no interior do estado.

Ele foi o primeiro a dizer que era candidato a sucessão de Maia, ainda em janeiro, quando já deu início à distribuição de folders aos colegas deputados com suas bandeiras sempre alinhadas ao pensamento do governo e do presidente Jair Bolsonaro.

“Minha bandeira é mais da segurança mesmo. Sou também liberal na economia”, apresenta-se. “Gostaria de trabalhar alinhado com o governo, porque acredito que a gente consiga votar muito mais em menos tempo pautas que são importantes para o país”, disse o deputado, que defende uma revisão imediata no Regimento Interno da Câmara, com o objetivo, segundo ele, de agilizar ao máximo a tramitação de matérias, abreviando as discussões.

“Primeira coisa que tem que ser revista é o Regimento Interno da Câmara, porque ele é totalmente arcaico. Ele tem 50 anos e poucas atualizações. Ele funcionava quando havia poucos partidos, 5 ou seis, no máximo. Agora, nós temos quase 30 partidos. Então é impossível você aprovar projetos na velocidade que o Brasil precisa”, argumenta.

Capitão Augusto chegou à Câmara puxado pela estupenda votação do deputado federal Tiririca. O ex-policial recebeu 46,9 mil votos, representando 0,22% do total de votos válidos da eleição de 2014. Já em 2018, ele se reelegeu com 242.327 votos (1,15% dos votos válidos), ficando entre os 10 mais votados no estado.

O deputado também tenta formar o Partido Militar Brasileiro, que até agora não conseguiu o número necessários de assinaturas para ser criado. No ano passado, após a crise de Bolsonaro com o PSL, a sigla pretendida pelo deputado cedeu a outra pretensa legenda o direito de usar o número 38, caso consiga o registro no Tribunal Superior Eleitoral. Trata-se do Aliança pelo Brasil, partido que o presidente tenta também criar.

Capitão Augusto já havia reivindicado o número na Justiça Eleitoral, antes de Bolsonaro. Contudo, ele garantiu ao presidente que não iria brigar pelo numeral, que faz referência ao calibre de uma das armas mais conhecidas do Brasil, o revólver .38. Na época, ele alegou ter uma segunda opção para a sua sigla: o 64, referente à ditadura de 1964. As duas legendas ainda não conseguiram assinaturas suficientes para o registro na Justiça Eleitoral.

Bolsonaro venceria seis presidenciáveis em 2022, diz pesquisa

Em um eventual segundo turno, sem a participação de Lula (36,4%), Moro seria o candidato mais bem colocado contra o atual presidente

Presidente Jair Bolsonaro no Planalto após orar com pastoresIGO ESTRELA/METRÓPOLES

Se as eleições presidenciais de 2022 fossem disputadas hoje, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ganharia em todos os cenários do primeiro turno. O levantamento do Instituto Paraná Pesquisas foi feito com exclusividade para a revista Veja e publicado nesta sexta-feira (24/7).

Em um eventual segundo turno, sem a participação de Lula (36,4%), Moro seria o candidato mais bem colocado contra Bolsonaro. O chefe do Executivo teria 44,7% dos votos contra 35% do ex-juiz. O ex-ministro já afirmou que não tem intenção de se candidatar nas próximas eleições.

O resultado, no entanto, vai de encontro com a avaliação do presidente feita na mesma pesquisa. O levantamento mostrou que 48,1% dos brasileiros desaprovam a gestão do atual chefe do Executivo e 38% consideram ruim ou péssimo o trabalho de Bolsonaro.