21.9 C
Brasília, BR
quarta-feira, novembro 25, 2020

Detran abre nesta 4ª vagas para vistoria


O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) abre nesta quarta-feira (25/11), a partir das 19h, o agendamento para o mutirão de vistorias de veículos que ocorrerá no próximo sábado (28/11). O proprietário interessado em realizar o serviço deverá acessar o Portal do Detran-DF e realizar o agendamento, escolhendo o local e o horário.

Para o mutirão do próximo sábado serão disponibilizadas 680 vagas. O serviço será realizado, das 7h às 12h, nos postos do Detran-DF localizados no Paranoá, Gama, Setor de Cargas (antiga Vadel), Shopping Popular e na Cidade do Automóvel. Já em Taguatinga, as vistorias ocorrerão à tarde, das 13h30 às 18h30. O atendimento será realizado apenas para os veículos agendados.

Agendamento para o mutirão de vistorias do próximo sábado:

Data: 25/11

Horário: A partir das 19h

Local: Portal de Serviços do Detran-DF

* Com informações do Detran-DF

Fonte: Governo DF

Detran abre nesta 4ª feira vagas para vistoria


O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) abre nesta quarta-feira (25/11), a partir das 19h, o agendamento para o mutirão de vistorias de veículos que ocorrerá no próximo sábado (28/11). O proprietário interessado em realizar o serviço deverá acessar o Portal do Detran-DF e realizar o agendamento, escolhendo o local e o horário.

Para o mutirão do próximo sábado serão disponibilizadas 680 vagas. O serviço será realizado, das 7h às 12h, nos postos do Detran-DF localizados no Paranoá, Gama, Setor de Cargas (antiga Vadel), Shopping Popular e na Cidade do Automóvel. Já em Taguatinga, as vistorias ocorrerão à tarde, das 13h30 às 18h30. O atendimento será realizado apenas para os veículos agendados.

Agendamento para o mutirão de vistorias do próximo sábado:

Data: 25/11

Horário: A partir das 19h

Local: Portal de Serviços do Detran-DF

* Com informações do Detran-DF

Fonte: Governo DF

Rede pública de ensino: inscrições para vagas em 2021

Foto: Arquivo Mary Leal/ Ascom/SEEDF*


2021 será ano de muita diversão e aprendizado para crianças de 0 a 5 anos matriculadas na rede pública de ensino do DF. Um dos carros-chefes do projeto pedagógico será o “Brincar como Direito dos Bebês, das Crianças Bem Pequenas e das Crianças Pequenas”, idealizado pela Diretoria de Educação Infantil. Como o próprio nome diz, a ideia será explorar as brincadeiras em seus mais diversos aspectos para ajudar no desenvolvimento dos pequenos.

O objetivo desse projeto é mostrar que a brincadeira é fator fundamental para o desenvolvimento sadio da criança, pois é por meio dela que há aprendizado, experiências com o mundo, relações sociais, desenvolvimento da autonomia de ação, organização das emoções, além de estimular a aprendizagem da linguagem e a habilidade motora. Essa orientaçãé levada aos pais, profissionais da educação, bem como as sugestões de atividades com os pequenos estudantes.

Foto: Arquivo Mary Leal/ Ascom/SEEDF*

A importância do brincar é muitas vezes banalizada na sociedade, mas é essencial na formação da criança. O projeto traz ações que oportunizam esses momentos e fundamentam para as famílias os motivos e a importância das brincadeiras, destaca a diretora de Educação Infantil, da SEEDF, Andréia Martinez.

O projeto foi idealizado a partir das experiências e situações que os profissionais da rede pública de ensino vivenciaram durante a pandemia e as expectativas a respeito das necessidades das crianças para 2021.

Além disso, 18 unidades da SEEDF também estão participando de uma pesquisa da Associação Brasileira de Brinquedoteca (ABBri), que mostra como diagnóstico preliminar a necessidade do estímulo das brincadeiras, especialmente no contexto social de isolamento vivido durante a pandemia da Covid-19.

As atividades propostas no Brincar como Direito dos Bebês, das Crianças Bem Pequenas e das Crianças Pequenas” podem ser realizadas tanto de forma presencial com a interação direta criança/professor, quanto no contexto de ensino remoto com a mediação dos pais e responsáveis no processo.

 ✎◞ Plenarinha

A Plenarinha já vai para a sua nona edição em 2021, e faz  parte dos eixos de trabalho para a Educação Infantil. Esse projeto pedagógico visa fortalecer o protagonismo infantil nas unidades de ensino públicas do DF e nas instituições parceiras que ofertam a educação infantil e o 1º ano de ensino fundamental.

Foto: Arquivo Mary Leal/Ascom/SEEDF*

Os pequenos são estimulados a entrar no mundo das histórias para conhecer, ouvir, sentir, contar, imaginar e criar suas próprias fábulas, por meio de brincadeiras e vivências. As atividades ocorrem ao longo do ano nas unidades escolares e parceiras da rede pública. As atividades surgem a partir da leitura de livros e seguem com outras ações lúdicas livres.

 ✎◞ Inspiração

O ano de 2021 vem chegando ainda com algumas incertezas para a humanidade. Não se sabe até quando o isolamento vai durar, se será parcial ou não, e como se dará a retomada das atividades sociais devido aos casos da Covid-19. Apesar disso, a SEEDF tem uma certeza: a aprendizagem nunca pode parar.

A história do ensino no Jardim de Infância, da 404 Norte, mostra que é possível seguir com o processo de ensino de maneira criativa e interativa, independente do contexto social em que vivemos. Em 2020, eles implementaram o Projeto Rádio Live Jardim para incentivar os professores a uma formação continuada que permitisse ampliar e adequar as suas práticas pedagógicas, os recursos digitais no contexto da sala de aula na plataforma virtual.

A escola propiciou um ambiente interativo entre os professores, estudantes e famílias utilizando as transmissões de vídeos. A Rádio Live Jardim trabalhou juntamente com os eixos transversais do Currículo em Movimento da Educação Infantil da SEEDF: Educação para a Diversidade, Cidadania e Educação para os Direitos Humanos e Educação para a Sustentabilidade no ambiente digital.

O projeto favoreceu a comunicação pela linguagem oral entre as próprias crianças e com os adultos por meio da expressão dos seus pensamentos. As crianças vivenciaram uma prática educativa direcionada às múltiplas linguagens, que se apoiam nos direitos de conviver, brincar, participar, explorar, expressar e se conhecer, bem como o fortalecimento dos seus direitos de aprendizagens e desenvolvimento, conta a vice-diretora da unidade, Maria Fernanda de Freitas.

A Rádio Live Jardim vai continuar em 2021 com formato atualizado, de acordo com as necessidades que surgirem ao longo do próximo ano. O programa faz parte do planejamento pedagógico do Jardim de Infância, da 404 Norte, que inclui ferramentas tecnológicas e o ambiente virtual na realidade educacional da unidade.

Foto: Arquivo/Vladimir Luz/ Ascom/SEEDF*
 ✎◞ Alimentação saudável

Os hábitos alimentares voltados para manter a saúde dos estudantes e da família seguem em 2021. A educação alimentar e nutricional é trabalhada de maneira multidisciplinar na rede pública de ensino do DF. As creches e escolas levam informações aos estudantes durante o ano voltado para esse tema.

Um exemplo dessa integração escola, alunos e família está no Centro de Educação Infantil (CEI), Tocando o Mundo, que fica no Gama.

O local é parceiro da SEEDF e atende crianças a partir de 2 anos. Eles desenvolveram atividades em conjunto nos aspectos pedagógico e nutricional: brigadeiro de cenoura na Páscoa, bolo temático sobre o Dia da Consciência Negra e por aí afora.

Em 2021 vamos aprimorar nossos projetos e continuar trabalhando a temática da importância da saúde”, destaca a nutricionista do CEI Tocando o Mundo, Hellen Sanlai. Nesse ano, eles produziram vídeos chamando os pais e crianças a fazerem receitas, desafios de brincadeiras lúdicas e muito mais. A criançada colocou a mão na massa, como na família de Thaíse Alves, que é mãe da pequena Jhenifer, 4 anos. Ela estuda no CEI Tocando o Mundo e participou das várias propostas feitas pela unidade educacional.

Fizemos as receitas, participamos dos desafios e seguimos desenvolvendo as tarefas ao longo desse ano. A Jhenifer amava fazer as receitas, e eu também! A creche colocava as atividades nas redes sociais da escola e na plataforma on-line da Secretaria de Educação. Eu percebi a evolução da minha filha durante o ano e me senti muito apoiada, conta Thaíse.

 ✎◞ Formação continuada

A Diretoria de Educação Infantil da SEEDF também seguirá com formações para os professores dessa etapa de ensino, em 2021. São cursos, encontros e palestras organizados pela própria Diretoria, pelas coordenações regionais de ensino e pela Subsecretaria de Formação Continuada dos Profissionais da Educação (EAPE).

* Com informações da Secretaria de Educação

* Fotos produzidas antes da Pandemia

Fonte: Governo DF

Semana de Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis


As Unidades Básicas de Saúde 1, da Candangolândia e Estrutural, além da UBS 2 do Riacho Fundo I – que fazem parte da Região de Saúde Centro-Sul -, prepararam uma programação especial para a Semana Distrital de Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Serão aplicados testes rápidos para detecção das doenças sexualmente transmissíveis com distribuição de preservativos e orientações sobre a prevenção das infecções, como o HIV, sífilis, hepatites B e C.

“As ações em alusão à Semana de Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis, realizadas dentro ou fora das unidades, mostram a importância sobre testar com regularidade doenças endêmicas e de evolução silenciosa”, destaca a superintendente da região de saúde Centro-Sul, Flávia Oliveira Costa. A gestora alerta que algumas infecções “se tratadas em tempo podem ser curadas”.

A gestora acredita, ainda, que as ações “extramuro” possibilitam acesso à saúde por pessoas com dificuldade de deixar o trabalho para procurar a UBS.

Na Região Central, a UBS 1 do Varjão também está com atividades programadas para o dia 27 de novembro, das 7h às 16h30.

Lembrando que as UBSs atendem exclusivamente moradores que fazem parte das áreas de cobertura de cada uma. Todas as unidades básicas oferecem testes rápidos para detecção de Infecções Sexualmente Transmissíveis.

*Com informações da Secretaria de Saúde
Fonte: Governo DF

Gestores dos colégios cívico-militares fazem balanço do projeto educativo

No Colégio Cívico Militar Centro Educacional 308, do Recanto das Emas, o retorno das crianças, segundo a Polícia Militar, tem sido bastante positivo | Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília


No Colégio Cívico Militar Centro Educacional 308, do Recanto das Emas, o retorno das crianças, segundo a Polícia Militar, tem sido bastante positivo | Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O secretário de Segurança Pública do DF Delegado Anderson Torres, esteve presente, nesta terça-feira (24), em reunião com Gestores Pedagógicos e Disciplinares dos Colégios Cívico-Militares do Distrito Federal. O projeto de gestão compartilhada — parceria entre a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) e a Secretaria de Educação (SEE) — é destinado a estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e ensino médio.

O encontro foi palco para balanço sobre a trajetória do projeto até aqui. O secretário, Anderson Torres, parabenizou os gestores das escolas e fala da importância do projeto. “Fico muito feliz com esse projeto. A gente acredita muito nele. Ele tem uma ligação direta com a segurança pública. Não só com a segurança pública de hoje, mas com a do futuro. A gente está plantando para colher nas próximas gerações”.

Com o objetivo de proporcionar uma educação de qualidade aos estudantes da rede pública de ensino, as pastas de Segurança e Educação realizam ações conjuntas e constroem estratégias voltadas ao policiamento comunitário e ao enfrentamento da violência no ambiente escolar, promovendo uma cultura de paz.

A SSP/DF é responsável pela gestão disciplinar, com o emprego do efetivo da Polícia Militar do Distrito Federal – PMDF e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal – CBMDF na coordenação de atividades extracurriculares e nas ações disciplinares voltadas à formação cívica, moral e ética do corpo discente, objetivando o bem-estar social. Já a SEEDF é responsável pela gestão administrativa e pedagógica das UEs, e pelo cumprimento do Projeto Político-Pedagógico, conforme Leis de Diretrizes Educacionais.

Fico muito feliz com esse projeto. A gente acredita muito nele. Ele tem uma ligação direta com a segurança pública. Não só com a segurança pública de hoje, mas com a do futuro. A gente está plantando para colher nas próximas geraçõesAnderson Torres, secretário de Segurança Pública

De acordo com o subsecretário de Escolas de Gestão Compartilhada da SSP/DF, Alexandre Ferro, a presença dos militares nas escolas é fundamental. “Vejo a satisfação dos pais, dos alunos e dos professores. Isso é uma injeção de motivação para todos nós”. Ferro explica que um dos objetivos da reunião é o de levantar demandas a serem consideradas no planejamento dos projetos das escolas para 2021, de forma integrada com os gestores. Experiências exitosas e boas práticas do funcionamento desta integração também fez parte da pauta.

O 2º Ten. da PMDF, Ivan Pereira da Silva, da CEF 308 do Recanto das Emas conta sua experiência. “Estou no projeto há aproximadamente um ano e sinto sua importância refletida nas crianças que demonstram o apego a nossa rotina diária e aquela vontade de reaver aquela atividade, pois encontraram valores que não tinham tido até então. São valores que, infelizmente, têm se perdido em alguns aspectos na sociedade e a gente tenta reaver isso na escola. Esperamos que, com essa base, o aluno possa dar prosseguimento seguro na sua carreira escolar”, fala.

O encontro foi palco para balanço sobre a trajetória do projeto até agora | Foto: Divulgação/SSP

Já o Capitão do Corpo de Bombeiros, Comandante Disciplinar do Colégio Cívico-Militar Centro de Ensino Fundamental 407, Pollari, nota a diferença dos alunos na escola. “Nossa importância lá tem sido imensa. Resgatamos muitos alunos em situação de vulnerabilidade. Eles gostam da nossa presença, a escola também, os professores que fazem parte do nosso cotidiano. A gente só tem é que agradecer essa oportunidade”, afirma.

Vejo a satisfação dos pais, dos alunos e dos professores. Isso é uma injeção de motivação para todos nósAlexandre Ferro, subsecretário de Escolas de Gestão Compartilhada

O subsecretario de Educação Básica, Tiago Cortinaz da Silva, falou do esforço de todos, nessa época de pandemia: “infelizmente, nesse ano de 2020, a pandemia levou ao fechamento das nossas unidades escolares fixas, tivemos que convertê-las em unidades escolares virtuais. Muito rapidamente tivemos que nos adaptar. Agradeço aos gestores, aos diretores das escolas, que se empenharam nesta mudança. Esperamos, para 2021, conseguir mais avanços nas nossas escolas compartilhadas, no que diz respeito a educação. E, a parceria com a Segurança é importante para darmos continuidade a esse projeto”.

Andreia de Oliveira, Diretora do CEF 01 do Núcleo Bandeirante fala de sua experiência. “Nossa escola antes era chamada de Sapão. Tinha uma imagem muito ruim. Os pais não queriam colocar os filhos, eles tinham medo. Era uma escola onde eram registrados muitos casos de violência, de drogas, roubos, pequenos furtos, brigas. Desde o ano passado, quando começou a gestão compartilhada, a gente viu uma mudança significativa na questão do comportamento, nas atitudes dos estudantes e essa parceria foi crucial nesta mudança. Os militares trabalham na questão dos valores, das rotinas, e mais ou menos em dois meses, a escola já ficou com ‘outra cara’. Os pais então observaram as crianças mais disciplinadas e gostaram disso”, relata.

Também presentes ao evento, o chefe da Casa Militar, Coronel Danilo Oliveira Nunes; o secretário executivo da SSP/DF, Júlio Danilo; o secretário executivo de Gestão Integrada da SSP/DF, Alciomar Goersch; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, William Augusto Bomfim.

Em outubro de 2019, foi publicada uma portaria que, elaborada por representantes das secretarias de Educação (SEE) e de Segurança Pública (SSP), regulamenta o modelo compartilhado de ensino. Com a mudança, as escolas de gestão compartilhada passaram à categoria de Colégio Cívico-Militar do Distrito Federal (CCMDF).

Atualmente, mais de dezesseis mil alunos estudam nas dez unidades de escolas com o modelo adotado. São elas:

Centro Educacional 03 de Sobradinho;
Centro Educacional 308 do Recanto das Emas;
Centro Educacional 01 da Estrutural;
Centro Educacional 07 da Ceilândia;
Centro Educacional Condomínio Estância III de Planaltina;
Centro Educacional 01 do Itapoã;
Centro de Ensino Fundamental 19 de Taguatinga;
Centro de Ensino Fundamental 01 do Núcleo Bandeirante;
Centro de Ensino Fundamental 407 de Samambaia e
Centro de Ensino Fundamental 01 do Riacho Fundo II

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Fonte: Governo DF

Vagas pagam até R$ 4,7 mil de salário


Saladeiro, secretário bilíngue, lavador de pratos. Essas são apenas algumas das 67 profissões que estão com vagas de emprego abertas nas agências do trabalhador do Distrito Federal, nesta quarta-feira (25). Juntas, somam 684 oportunidades, com salários entre R$ 13,64 ao dia e R$ 4.750 mensais, mais benefícios. Há espaço para contratação de pessoas de todos os níveis de escolaridade.

Entre as profissões que exigem nível fundamental de escolaridade, a que oferece o melhor salário, no valor de R$ 3 mil, mais benefícios, é a de laboratorista de concreto, com duas vagas. Por R$ 100 a menos, seis oportunidades contemplam motorista carreteiro. Ainda estão sendo procurados pelo mercado de trabalho, neste perfil, mecânicos, açougueiros, acabadores de mármore e granito, ajudantes de serralheiro, auxiliares de expedição, carpinteiros, vendedores, entre outros.

Para quem tem nível médio de ensino, algumas das opções são balconista (18), fiscal de prevenção de perdas (10), gerente (5), promotor de vendas (2) e representante comercial autônomo (10). Nestas profissões, os salários oferecidos variam entre R$ 1.045 e R$ 3,5 mil, este último oferecido a gerente de vendas.

Vinte e uma vagas estão abertas para quem tem nível superior. Uma para analista de telecomunicação, uma para coordenador de RH, cinco para enfermeiros, uma para esteticista, 10 para nutricionistas e três para operador de telemarketing especializado nas áreas de estatística, recursos humanos e comunicação social. As remunerações variam entre R$ 23,07 ao dia e R$ 4.750 mensais, mais benefícios.

Para os interessados em concorrer a qualquer uma delas, basta procurar uma das 15 agências do trabalhador em funcionamento no DF. Outra possibilidade é o aplicativo Sine Fácil que, em virtude da pandemia de Covid-19, também disponibiliza o serviço.

Empreendedores que desejam buscar profissionais também podem utilizar os serviços das agências do trabalhador. Além do cadastro de vagas, é possível usar os espaços físicos para seleção dos candidatos encaminhados. Para isso, basta acessar o site da Secretaria do Trabalho e preencher o formulário na aba empregador.

Confira aqui as vagas disponíveis.

Fonte: Governo DF

Usuários da rodoviária de Planaltina comemoram internet gratuita

A dona de casa Izabel Alves, 54 anos, agradece o fato de agora ter internet de graça no telefone celular, no Terminal de Planaltina | Foto: Acácio Pinheiro


Foto: Acácio Pinheiro
A dona de casa Izabel Alves, 54 anos, agradece o fato de agora ter internet de graça no telefone celular, no Terminal de Planaltina | Foto: Acácio Pinheiro

Usuária do Terminal Rodoviário de Planaltina, Izabel Alves, 54 anos, agora tem internet de graça no telefone celular. Nesta terça-feira (25), o terminal recebeu um ponto do Wi-Fi Social – projeto da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secti). A conexão, sem custo para o Governo do Distrito Federal (GDF) ou para o internauta, já existe em 38 locais e contabilizou mais de 25 milhões de acessos.

“Eu não tinha dinheiro para colocar crédito no meu celular”, contou Izabel. “Para quem não tem condições financeiras, como eu, essa internet de graça é muito importante. Além de me comunicar com as pessoas, também posso resolver problemas que eu não conseguia antes”, comemorou a dona de casa.

25 milhõesé o número de acessos no Wi-Fi Social

Cobrador de ônibus há cinco anos, André Santos, 45 anos, também ficou contente com a novidade tecnológica. “Passamos muito tempo na rodoviária. Apesar de ser corrido, quando temos um tempinho podemos mandar mensagens para familiares e amigos, assim como acessar sites de notícias para ficarmos bem informados”, comentou.

Mais pontos 

Segundo o secretário da Secti, Gilvan Máximo, a meta é chegar em mais 150 pontos fixos espalhados pelo DF. “A internet já funciona em mais de 500 ônibus, com o objetivo de levar a conexão gratuita em 2.500 veículos. Queremos promover uma verdadeira revolução tecnológica em Brasília”, destacou.

Célio Rodrigues, administrador de Planaltina ressaltou a importância do programa Wi-Fi Social para o avanço tecnológico da cidade. “É uma forma de democratizar o acesso das pessoas carentes e necessitadas à internet. A comunidade da região só tem a agradecer a essa gestão”, valorizou o responsável pela cidade.

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília
Cobrador de ônibus há cinco anos, André Santos, 45 anos, também ficou contente com a novidade tecnológica | Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Como se conectar 

Para se conectar ao Wi-Fi Social é preciso fazer um cadastro com nome, e-mail, número de celular e CPF. A alternativa é acessar por meio do login em plataformas de redes sociais. O serviço garante o direito à privacidade individual, à neutralidade da rede e à proteção de dados pessoais. o custo de instalação e manutenção das redes é de responsabilidade das empresas credenciadas no programa que, em contrapartida, podem explorar modalidades de publicidade digital quando aparelhos se conectam às suas redes.

Confira os pontos em operação, teste e instalação.  

Ações em Planaltina 

O líder do governo, deputado Cláudio Abrantes, também prestigiou o evento. O distrital lembrou de outras ações que o poder Executivo local tem realizado em Planaltina. “Temos visto grandes investimentos na cidade, como a UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e a UBS [Unidade Básica de Saúde]; cobertura de cinco quadras esportivas de escolas. infraestrutura e iluminação, entre outros”, lembrou.

A cidade também será a primeira a receber um Centro de Monitoramento Remoto (CMR), instalado no 14º Batalhão da Polícia Militar (14º BPM). O lançamento faz parte do pacote de ações para a região, a primeira a receber o projeto Cidade da Segurança Pública, entre os dias 25 e 29 deste mês. Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), a ação itinerante faz parte do programa DF mais Seguro. O trabalho é integrado com todas as forças de segurança locais.

Fonte: Governo DF

Diplomas de Honra ao Mérito para 148 brigadistas

Os brigadistas florestais receberam do GDF, na manhã desta terça-feira (24), diplomas de Honra ao Mérito. Eles foram entregues pelo presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, e pelo secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho | Foto: Divulgação


Foto: Divulgação
Os brigadistas florestais receberam do GDF, na manhã desta terça-feira (24), diplomas de Honra ao Mérito. Eles foram entregues pelo presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, e pelo secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho | Foto: Divulgação

Muito gratificante. Foi assim que a brigadista florestal Juliana Salles dos Santos, que estreou este ano na equipe do Instituto Brasília Ambiental, definiu a experiência de combater o fogo nos parques e Unidades de Conservação do Distrito Federal. Ela e mais 147 brigadistas florestais receberam do GDF, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e do Brasília Ambiental, na manhã desta terça-feira, (24), diplomas de Honra ao Mérito. Por medida de prevenção, devido à pandemia, a solenidade ocorreu em duas etapas. A primeira, às 8h30, no Parque Ecológico de Águas Claras, e a segunda, às 10h30, no Jardim Botânico de Brasília (JBB).

Para Juliana, que já tinha experiência como voluntária no combate ao fogo na Chapada dos Veadeiros, a solenidade encerrou uma atividade pela qual tem gratidão. “Agradeço muito por esta oportunidade que foi marcante na minha vida. Participei de uma equipe que me deu muito apoio e, em nenhum momento, pelo fato de eu ser mulher, me deixou de fora de qualquer operação”, afirmou.

A atuação desses profissionais foi fundamental para a redução, pela metade, das áreas queimadas, em comparação a 2019. O Parque Ecológico de Águas Claras e o Jardim Botânico foram escolhidos para os eventos pelo fato de terem sido “fogo zero”, ou seja, duas unidades ecológicas nas quais não houve registro de focos de incêndio. Foi também uma forma de dividir as equipes e evitar aglomeração, em função da pandemia da Covid-19. O chefe de brigada florestal da equipe do parque de Águas Claras, Flávio Henrique, ressaltou o sucesso da empreitada. “Este ano fizemos aceiros preventivos que funcionaram bem, inclusive junto com a população que frequenta o parque e que atua como uma guardiã desse espaço ecológico. Como resultado não tivemos nenhum foco de incêndio no parque”, comemorou.

Agradeço muito por esta oportunidade que foi marcante na minha vida. Participei de uma equipe que me deu muito apoio e, em nenhum momento, pelo fato de eu ser mulher, me deixou de fora de qualquer operaçãoJuliana Salles, brigadista florestal

Respeitando regras de proteção e o distanciamento social, os brigadistas foram chamados nominalmente para receber diplomas de Ordem ao Mérito entregues pelo secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho, e pelo presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão. “Os brigadistas merecem o nosso respeito, nossa homenagem e reconhecimento. Estamos caminhando para, em 2021, fazer um trabalho melhor ainda e espero repetir esse feito aproveitando a experiência de vocês, para que possamos sair na frente com as prevenções, cuidando dos parques.”, afirmou Sarney Filho, na cerimônia de entrega dos certificados.
O secretário ressaltou que o trabalho realizado no DF se tornou referência nacional na prevenção e combate ao fogo. “Tivemos aumento de queimadas em todos os biomas brasileiros, inclusive no Cerrado, Pantanal e Amazônia. E, em Brasília, podemos dizer que foi uma exceção. Conseguimos reduzir a perda da biodiversidade em quatro mil hectares, 50% menos que o ano passado, embora a situação climática estivesse mais adversa. Mas o trabalho desenvolvido pelo Brasília Ambiental, com a Secretaria do Meio Ambiente, com o apoio do governador Ibaneis Rocha, foi importante e os resultados estão aí. Queremos continuar sendo referência nacional e, para isso vocês, brigadistas, foram importantes, não só no combate às queimadas, mas na prevenção”, afirmou. O secretário agradeceu, também, a parceria do Corpo de Bombeiros do DF. 

As adversidades do período e as perspectivas para o futuro foram destacadas pelo presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão. “Foram guerreiros que enfrentaram na pandemia, um período atípico, a situação dos incêndios, e não poderíamos deixar de agradecer e reconhecer a importância dos nossos brigadistas florestais. Desde março, criamos uma diretoria específica para atender às demandas do setor e, com isso, avançamos muito na redução das queimadas. Já estamos trabalhando no planejamento para 2021 a pauta de proteção das unidades de Conservação é prioridade para o Brasília Ambiental”, anunciou Trinchão.

Homenageados

As homenagens começaram pelas mulheres da equipe. Este ano, o Brasília Ambiental contou com quatro integrantes do sexo feminino, como a brigadista Juliana Salles dos Santos, que atuou na base da brigada no Parque Ecológico Águas Claras. O objetivo no próximo ano é aumentar ainda mais a participação feminina. “O trabalho não é fácil, exige muito da gente, principalmente no combate ao fogo, mas nós, mulheres, damos conta de realizar esse serviço. Nunca sofri preconceito da equipe por ser mulher, todos sempre foram muito parceiros”. Para Juliana a motivação na escolha da profissão veio quando ela fez um trabalho voluntário em um incêndio na Chapada dos Veadeiros. “Quando vi a proporção do fogo percebi que minha ajuda poderia ser muito maior. Aí decidi: é o que quero fazer”, enfatizou.

Esse também é o primeiro ano da brigadista Fernanda Alves Ferreira, que deixou outras opções de trabalho para se dedicar no combate ao fogo profissionalmente. “Poder ajudar a proteger a natureza e os animais, para que os parques possam ser preservados e aproveitados pela população, é gratificante. Moro em chácara e já ajudava a apagar fogo perto de casa, foi daí que veio a motivação para fazer o curso e poder trabalhar na área. Quando veio a oportunidade para ser brigadista, me candidatei”, conta.

Foto: Divulgação
A homenagem aos brigadistas vem como um reconhecimento pelo esforço e excelente trabalho | Foto: Divulgação

O brigadista Gilberto Castro é veterano no combate ao fogo e entende bem a importância do trabalho que realiza para a preservação do Cerrado. “Eu amo minha profissão. O trabalho de um brigadista florestal é fundamental para a proteção do meio ambiente e dos parques. Sem nosso trabalho na prevenção e combate o nível das queimadas seria muito mais alto”, ressaltou. Ele defendeu que a contratação do serviço ocorra o mais cedo possível, para reforçar principalmente no período de prevenção. 

Missão cumprida

Com uma equipe maior e as contratações feitas mais cedo, o trabalho do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (PPCIF), coordenado pela Sema e em parceria de outros órgãos do GDF, pode ser mais efetivo. O resultado foi a redução das ocorrências de incêndios, que caíram pela metade. “Conseguimos contratar pela primeira vez 148 brigadistas, no período certo. Tivemos o apoio do governo, dos parceiros. E apesar de estarmos vivendo um ano muito difícil com pandemia, incêndios florestais no Brasil todo, aqui no DF conseguimos uma redução significativa para preservação do nosso Cerrado. O trabalho de vigilância dos brigadistas foi fundamental para alcançar essa redução de área queimada.” Disse Carolina Schubart, especialista da Sema e coordenadora do PPCIF.

A homenagem aos brigadistas vem como um reconhecimento pelo esforço e excelente trabalho realizado, enfatizou o diretor da Diretoria de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (DPCIF) do Brasília Ambiental, Pedro Cardoso. “Os brigadistas se empenharam muito, sábados, domingos, feriados, todos os dias, para apagar os incêndios essa temporada. Esse certificado é um reconhecimento do governo pelo trabalho prestado e esperamos que ano que vem eles voltem com mais força ainda para termos um resultado positivo como em 2020. Conseguimos reduzir as áreas queimadas e ocorrências nos parques, tão importantes para a população do Distrito Federal que a gente precisa cuidar e preservar muito bem. Consideramos que nossa missão foi cumprida!” reforçou.

Para Cláudio Trinchão, os brigadistas foram 148 guerreiros que se dispuseram a enfrentar, em plena pandemia, um período atípico e diferenciado, os incêndios florestais, e o fizeram com total êxito. “Estamos aqui para agradecer e reconhecer a importância do trabalho dos nossos brigadistas florestais”, destacou o gestor, pedindo uma salva de palmas de todos aos homenageados. Ele chamou a atenção para o trabalho estratégico de planejamento realizado este ano pelo órgão, com Secretaria de Meio Ambiente (Sema), que coordena o Programa de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PPCIF) e a criação da Diretoria de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (DPCIF), do Instituto.

Também estiveram presentes na solenidade os administradores de Águas Claras, André Queiroz; do Jardim Botânico,  Antônio de Pádua; a deputada federal Flávia Arruda; a diretora do JBB, Aline de Pieri;  o coronel do Corpo de Bombeiros do DF, Vicente Tomaz de Aquino Júnior; o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros; e a superintendente de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água (Sucon) do Instituto, Rejane Pieratti.

*Com informações da Sema e do Brasília Ambiental

Fonte: Governo DF

Entulho reciclado ajuda na manutenção de vias

Todos os meses, pelo menos seis toneladas de materiais como pedras, pedaços de tijolos e telhas, são recolhidas e encaminhadas de forma regularizada à Unidade de Recebimento de Entulhos do SLU | Foto: Divulgação/GDF Presente


Todos os meses, pelo menos seis toneladas de materiais como pedras, pedaços de tijolos e telhas, são recolhidas e encaminhadas de forma regularizada à Unidade de Recebimento de Entulhos do SLU | Foto: Divulgação/GDF Presente

O que seria entulho descartado no meio ambiente transformou-se em investimento sustentável e economia para os cofres públicos do Governo do Distrito Federal (GDF). Isso porque a Unidade de Recebimento de Entulhos (URE) do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) passou a reciclar resíduos da construção civil que, depois, são utilizados na recuperação de vias da área rural sem asfalto nas regiões administrativas do DF.

Todos os meses, pelo menos seis toneladas de materiais como pedras, pedaços de tijolos e telhas, são recolhidas e encaminhadas de forma regularizada à URE. Lá, se transformam em agregados de resíduos como areia, cascalho de demolição, cascalho de concreto, pedrisco e brita e são destinados a obras públicas do DF.

De janeiro a outubro deste ano, mais de 19 mil toneladas de agregado britado já foram doadas para 16 administrações regionais e órgãos públicos, como o Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF) e as secretarias de Obras e de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

“Essa doação é importante por dois aspectos: deixamos de aterrar material que tem valor e, também, beneficiamos a cidade em obras públicas, ampliando seu uso e poupando recursos naturais”, afirma o diretor-presidente do SLU, Jair Tannús.

19 mil toneladasde agregado britado já foram doadas pelo SLU em 2020 para 16 administrações regionais e órgãos públicos

Esta semana, o patrolamento e ajustes de vias sem pavimentação atendem demandas antigas de moradores e estão sendo feitos no Condomínio Mansões do Amanhecer, em Planaltina | Foto: Divulgação/GDF Presente

Planaltina

Esta semana, o patrolamento e ajustes de vias sem pavimentação atendem demandas antigas de moradores e estão sendo feitos no Condomínio Mansões do Amanhecer, em Planaltina. Nas seis ruas do setor está prevista a utilização de 60 caminhões de agregado britado cedido pelo SLU e transportado da URE, que fica no antigo lixão da Estrutural, à regiões administrativa, pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e pelas equipes do GDF Presente.

O produto faz as vezes do cascalho – cuja extração oferece riscos ambientais e precisa de autorização do Ibama – e ajuda a dar firmeza ao solo nas estradas de terra. É colocado na via após o patrolamento – que é o nivelamento do terreno – e espalhado pela patrol motoniveladora. Depois, é molhado pelo caminhão pipa para ajudar na sua compactação ao solo. “É ainda mais eficaz que o cascalho, por produzir menos poeira, e indiscutivelmente mais sustentável”, afirma o administrador regional de Planaltina, Antônio Célio Rodrigues.

Estamos dando um destino nobre para um material que seria lixoRonaldo Alves, coordenador do Polo Norte do GDF Presente

Além de Planaltina, já passaram por obras de patrolamento com o entulho reciclado as regiões administrativas do Sol Nascente/Pôr do Sol, Estrutural, Gama, Itapoã,  Park Way, Núcleo Bandeirante, Paranoá, São Sebastião, Riacho Fundo II, Brazlândia, Vicente Pires, Jardim Botânico, Samambaia, Recanto das Emas e Guará.

Coordenador do Polo Norte – núcleo do GDF Presente do qual Planaltina faz parte – Ronaldo Alves acredita que há um ponto a ser destacado no trabalho feito e doado pelo SLU: a sustentabilidade. “Estamos dando um destino nobre para um material que seria lixo”, observa.

Fonte: Governo DF

Estrutural e Ceilândia ganham unidades do Espaço Criança

As salas são equipadas com livros e brinquedos doados por embaixadas e pela sociedade civil | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde


As salas são equipadas com livros e brinquedos doados por embaixadas e pela sociedade civil | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

A inauguração de dois espaços infantis nesta terça-feira (24) marcou a conclusão da iniciativa Adote um Espaço Criança, vinculada à campanha Vem Brincar Comigo – que, ao longo dos últimos meses, equipou unidades básicas de saúde (UBSs) e espaços do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) para receberem crianças com conforto e descontração.

Foram abertos os espaços da UBS de Ceilândia Norte e da UBS 2 da Estrutural, que receberam doações da Delegação da União Europeia. Durante os eventos, estiveram presentes a primeira-dama do DF e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha; a chefe do Escritório de Assuntos Internacionais (EAI), Renata Zuquim; o embaixador da Delegação da União Europeia, Ygnacio Ybáñez, e a subchefe de Políticas Sociais e Primeira Infância, Anucha Soares.

As salas do Espaço Criança têm mesas e cadeiras infantis, brinquedos lúdicos, quadro-negro, cantinho da leitura, conjuntos de giz de cera e de lápis de cor, entre outros atrativos para que as crianças se distraiam enquanto aguardam atendimento da família.

Lazer e aprendizagem

“Nossa população é uma das mais carentes do Distrito Federal”, disse o gerente da UBS 2 da Estrutural, Henrique Coimbra Guimarães. “Agradeço muito a criação deste espaço, que vai proporcionar momentos de lazer e diversão para a criançada. Muitas das crianças que são atendidas aqui não têm acesso a livros e nem brinquedos, então será de grande valia o nosso Espaço Criança.”

“Muitas das crianças que são atendidas aqui não têm acesso a livros e nem brinquedos, então será de grande valia o nosso Espaço Criança” Henrique Coimbra Guimarães, gerente da UBS 2 da Estrutural

Com doações das embaixadas, foram montados 19 ambientes ao todo, entre unidades de UBS e de Cras. Para Renata Zuquim, a importância da ação se mostra pela integração e cooperação local e internacional. “São secretarias, órgãos internos do GDF, embaixadas e a população do Distrito Federal se mobilizando em prol das crianças, que são nosso futuro”, afirmou, lembrando que a sociedade civil também tem colaborado com a ação.

Vem Brincar Comigo

Implementada por meio de parceria entre o EAI e a Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, a iniciativa Adote um Espaço Criança faz parte da campanha Vem Brincar Comigo, idealizada pela primeira-dama do DF. Já foram contempladas as regiões de Taguatinga, Paranoá, Candangolândia, Sobradinho, Asa Sul, Gama, Planaltina, Estrutural, Samambaia, Santa Maria, Varjão e Riacho Fundo.

 “A gente diz que aqui no DF a brincadeira de criança é coisa séria”, destaca Mayara Noronha Rocha. “O principal é que, quando as famílias buscam o Cras, elas precisam de um lugar para deixar a criança. Nesse espaço, ela se desenvolve ao mesmo tempo em que o atendimento acontece de forma tranquila.”

“O principal é que, quando as famílias buscam o Cras, elas precisam de um lugar para deixar a criança” Mayara Noronha Rocha, primeira-dama do DF e secretária de Desenvolvimento Social

O embaixador da Delegação da União Europeia aproveitou a oportunidade para agradecer também aos profissionais de saúde. “Neste momento, vocês são a nossa garantia do futuro”, ressaltou. “É um prazer poder ajudar e fortalecer essa relação entre a Europa e Brasília, que nos recebe muito bem”.

Além da Delegação da União Europeia, participam dessa iniciativa China, que equipou dez espaços (cinco UBSs e cinco unidades do Cras), Irlanda, Itália, Armênia, Uruguai, Singapura, África do Sul e Timor Leste.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde e do EAI

Fonte: Governo DF