16 C
Brasília, BR
terça-feira, setembro 17, 2019

Vaso sanitário de ouro maciço é roubado durante exposição de arte

A obra se chama América e é do artista italiano Maurizio Cattelan. Peça é funcional

Leon Neal/Getty ImagesLEON NEAL/GETTY IMAGES

A polícia inglesa investiga o roubo de uma obra de arte exposta no Palácio Blenheim, em Oxfordshire, na Inglaterra, durante a madrugada do último sábado (14/09/2019). A peça é um vaso sanitário de ouro de 18 quilates. A obra está avaliada em 5 milhões de dólares, segundo a Reuters.

O artista responsável pela obra chamada América é o italiano Maurizio Cattelan. A peça é funcional. O vaso foi instalado no palácio inglês como parte de uma exposição das obras de Cattelan, inaugurada na última quinta-feira (12/09).

Um homem de 66 anos foi preso suspeito de ligação com o crime, mas a obra não foi recuperada, segundo a agência France Presse. “Os criminosos entraram no palácio durante a noite e deixaram o local às 4h50. Ninguém se feriu durante a ação”, informou a polícia. “O roubo causou danos importantes e um vazamento, porque o vaso estava ligado ao encanamento do prédio. Acreditamos que o grupo tenha usado ao menos dois veículos durante o roubo”, disse o inspetor Jesse Milne.

A obra atraiu multidões, em 2016, quando foi exposta no museu Guggenheim de Nova York. A peça foi instalada de modo que o funcionamento fosse completo.

Fonte: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Tensão entre Irã e Arábia Saudita faz disparar preço do petróleo

Cotação do barril disparou quase 20% em Londres, a maior alta em uma sessão desde a Guerra do Golfo em 1991

DivulgaçãoDIVULGAÇÃO

Por volta das 6h30 (horário de Brasília), o barril de Brent do Mar do Norte, referência na Europa, para entrega em novembro registrava alta de 9,52% na comparação com sexta-feira, a US$ 65,97 no Intercontinental Exchange (ICE) de Londres. Ao mesmo tempo, o barril de “light sweet crude” (WTI) para o contrato de outubro subia 8,71%, a US$ 59,63, no New York Mercantile Exchange (Nymex).

No domingo, os preços do petróleo subiram 18% nos mercados globais após a onda de ataques. Os iranianos negam serem os responsáveis pelas ações. O atentado, feito com 10 drones e cuja autoria foi assumida pelos rebeldes houthis do Iêmen, patrocinados pela teocracia iraniana, ameaçam aumentar a tensão no Oriente Médio.

“Uma interrupção no fornecimento nessa escala é um evento extraordinário. Nenhuma interrupção desse tipo ocorreu em décadas”, disse Pavel Molchanov, analista de petróleo da Raymond James, ao jornal Washington Post. “A boa notícia é que há petróleo mais do que suficiente em estoque para evitar a escassez de combustível. Não haverá filas nos postos de gasolina como na década de 1970.”

Com os gigantes do petróleo Venezuela e Irã na maior parte ausentes dos mercados mundiais por causa de sanções americanas, uma interrupção prolongada do fornecimento saudita pode forçar economias industriais como os EUA a explorar reservas de emergência. Existe 1,5 bilhão de barris disponíveis em reservas.

Ainda não está claro como o rei Salman e seu filho, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, responderão ao ataque. Trump declarou apoio para “garantir a segurança da Arábia Saudita”.

David e Golias
Os ataques ao estilo de David e Golias usando drones baratos adicionaram um novo tipo de volatilidade ao Oriente Médio, afirmam analistas. “Tais ataques não apenas danificam a infraestrutura econômica vital, mas aumentam os custos de segurança e espalham o medo, a um custo notavelmente menor”, disse à Associated Press Wim Zwijnenburg, pesquisador sênior de drones da PAX, uma organização de paz holandesa.

A aliança dos houthis com o Irã também levanta a possibilidade de que seu sucesso possa ser compartilhado com outros grupos militantes alinhados ao Irã em outras partes da região. “Essas são lições que podem ser compartilhadas com outros grupos xiitas no Iraque, na Síria e no Líbano”, disse.

Fonte: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Atenção, pais! Jovens usam supercola para lábios ficarem maiores

O desafio começou com uma pessoa no TikTok e tem se espalhado pela internet

Os pais devem ficar atentos a uma nova moda que circula nas redes sociais. Dessa vez, uma blogueira postou um vídeo em que mostra como os lábios dela ficaram maiores ao usar supecola. Nas imagens, que foram postadas no TikTok, a menina aplica um pouco da substância um pouco acima do lábio, usa as mãos para colar uma parte na outra e mostra o resultado.

Logo, vários jovens começaram a fazer o mesmo tipo de procedimento nas redes sociais e viralizou. Vale lembrar que a aplicação de supercola na pele pode causar queimaduras e coceiras. Ao tentar desgrudar a parte colada, a pessoa corre o risco de rasgar a própria pele.

Mulher morre após cinco horas de maratona sexual intensa

Ela e o parceiro usaram drogas para prolongar a relação

iStockISTOCK

Uma mulher de 32 anos morreu após participar de uma maratona sexual na cidade de Cali, na Colômbia. Ela sofreu uma parada cardíaca depois de cinco horas de sexo intenso e sem interrupção. O caso aconteceu na última segunda-feira (18/3).

A vítima, identificada apenas pelo apelido de “A Fera”, passou mal durante o ato. O parceiro dela chegou a chamar o serviço de emergência, porém, o socorro demorou. Ele decidiu levá-la ao hospital no próprio carro, mas a mulher chegou no local sem vida.

De acordo com o jornal colombiano El Periodico, A Fera e o parceiro usaram drogas para prolongar a relação sexual. O homem foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos sobre o caso.

A polícia agora quer saber se a mulher fazia uso constante de drogas, e se as substâncias consumidas por ela foram as responsáveis pela morte. O homem foi liberado após o depoimento.

Fonte: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Casado morre durante sexo em viagem a trabalho e empresa é condenada

Caso foi considerado acidente de trabalho e empregador é responsável financeiramente com a família do homem

IlustraçãoILUSTRAÇÃO

O caso de um homem casado que morreu após sofrer um ataque cardíaco enquanto fazia sexo durante uma viagem de negócios foi considerado acidente de trabalho pela Justiça da França. Segundo informações do jornal The Times, de Londres, a empresa em que o engenheiro trabalhava se tornou financeiramente responsável e deve arcar com custos.

Xavier X foi encontrado morto em seu quarto de hotel na cidade francesa de Meung-sur-Loire, pouco tempo depois de fazer sexo com uma mulher que ele havia acado de conhecer. O caso ocorreu em 2013, mas permaneceu na Justiça até este ano.

Os advogados da empresa de construção ferroviária parisiense TSO afirmavam que Xavier não cumpria com obrigações de trabalho no momento em que teve o ataque cardíaco e ainda frisou que o caso aconteceu às 2h da manhã.

Os juízes do tribunal de apelação fizeram um relatório e decidiram que o homem estava em missão pela empresa e que, assim, “teria direito à proteção do empregador durante o período”. Os magistrados sustentaram o pedido com base em uma decisão da corte de 2016, que afirmava que “um encontro sexual é um ato de vida normal, assim como tomar banho ou se alimentar”.

Sendo assim, a Justiça aceitou o pedido de que a morte de Xavier foi, oficialmente, um caso de acidente de trabalho. A família do homem, que não teve o sobrenome revelado, irá receber dinheiro do estado e do empregador. A mulher e os filhos do engenheiro terão um benefício mensal de até 80% do salário dele até a idade mínima para aposentadoria. Após esse tempo, eles receberão uma pensão vitalícia de valor não informado.

O empregador de Xavier lutou contra a decisão, mas perdeu em todas as etapas.

Fonte: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Suprema Corte dos EUA autoriza Trump a negar asilo a centro-americanos

Tribunal, em uma breve decisão por escrito, reverteu decisões de instâncias inferiores que impediam o governo de restringir o asilo

A Suprema Corte dos Estados Unidos autorizou que o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negue por ora asilo a centro-americanos que cruzem a fronteira de outros países a caminho de solo americano. A decisão representa um impulso nos esforços da Casa Branca para endurecer a fronteira sul do país.

O tribunal, em uma breve decisão por escrito, reverteu decisões de instâncias inferiores que impediam a administração Trump de levar a cabo restrições ao asilo. A política, uma das várias adotadas pelo presidente para conter a imigração da América Latina, requer que os candidatos a refugiados busquem asilo em um país seguro no qual entrem, antes de chegar aos EUA. Além disso, veta que eles peçam refúgio nos EUA caso não tenham feito o trajeto determinado. Para aqueles que seguem por terra a partir de El Salvador, Guatemala ou Honduras, isso em geral significa pedir asilo no México.

A decisão da Suprema Corte, de apenas um parágrafo, não demonstra o raciocínio legal na qual foi baseada. Com ela, de qualquer modo, o governo pode implementar sua política, enquanto procede o litígio sobre o tema.

Fonte: Metropoles

Pitbull faz o que a população deseja e não pode fazer: castra estuprador

Homem acusado de estupro é castrado por pitbull ao ser pego por gangue

Nas imagens, ainda é possível ver que o rapaz é segurado pelas pernas, enquanto é atacado pelo cão

istock/imagem ilustrativaISTOCK/IMAGEM ILUSTRATIVA

Um homem, que teria sido acusado de estuprar mulheres na Cidade do México, no México, foi pego torturada e castrado por uma gangue local. Em um vídeo divulgado na internet, o acusado aparece nu e mordido várias vezes nos órgãos genitais por um pitbull. Nas imagens, ainda é possível ver que o rapaz é segurado pelas pernas, enquanto é atacado pelo cão.

Segundo o jornal El Heraldo de Mexico, na gravação ainda é possível ouvir o homem gritar: “Pare, me deixe! Me solte”. Em seguida, colocam um pano na boca da vítima para que ela pare de gritar. O vídeo dura, pelo menos, 30 segundos.

Ainda de acordo com a imprensa mexicana, o grupo responsável pela tortura é formado por narcotraficantes. A polícia ainda não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: Metropoles

Taliban ameaça EUA após fim do diálogo: “Vão sofrer mais que ninguém”

AFG - CABUL/AFEGANISTÃO/ATENTADO/TALIBÃ - INTERNACIONAL - Funeral coletivo após o atentado terrorista ocorrido na manhã de ontem (28), em Cabul, no Afeganistão. Neste domingo (28), o ministro do Interior do Afeganistão afirmou que pelo menos 103 pessoas foram mortas após o atentado perpetrado pelo Talibã, ao atualizar as consequências da tragédia neste domingo. 28/01/2018 - Foto: RAHMAT GUL/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O objetivo das negociações que se arrastam há mais de um ano é pôr fim à mais longa guerra em que os EUA já se envolveram: 18 anos

RAHMAT GUL/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDORAHMAT GUL/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O grupo terrorista Taliban afirmou, neste domingo (08/09/2019), que os Estados Unidos “vão sofrer mais do que ninguém”, depois que o presidente Donald Trump suspendeu, de repente, as conversas em curso.

O objetivo destas negociações que se arrastam há mais de um ano é pôr fim à mais longa guerra em que os Estados Unidos já se envolveram: o confronto já dura 18 anos.

“Ainda (…) acreditamos que o lado americano voltará a esta posição (…) Nossa luta durante os últimos 18 anos tinha de ter mostrado aos americanos que não ficaremos satisfeitos até vermos o fim completo da ocupação”, tuitou o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, reagiu, afirmando neste domingo que os EUA estão dispostos a reabrir as negociações, se os talibãs mudarem de atitude e respeitarem seus acordos.

Pompeo disse também que o presidente Donald Trump “ainda não decidiu”, se levará adiante a decisão de retirar os milhares de soldados americanos estacionados no Afeganistão, conforme previsto no projeto de acordo em discussão com os talibãs.

Em julho, o grupo praticou um atentado na capital do Afeganistão, Cabul, que matou 65 pessoas. Um carro-bomba explodiu e o grupo informou que a intenção era atingir um prédio do ministério da Defesa.

Fonte: Metropoles

Indonésia introduz pena de morte e castração química contra pedófilos

O Presidente indonésio aprovou hoje novas penas para os condenados por abuso sexual de crianças, designadamente a castração química e uma pena máxima de morte, após o brutal caso de violação em grupo e assassínio de uma menina.

© SUHAIB SALEM / REUTERS

© JASON REED / REUTERS

Os pedófilos condenados poderão igualmente ser obrigados a usar dispositivos de vigilância eletrónicos após a libertação da prisão, de acordo com as novas regras introduzidas por um decreto de emergência.

“Estas normas destinam-se a ultrapassar a crise causada pela violência sexual sobre crianças”, disse hoje o Presidente, Joko Widodo, no palácio presidencial, em Jacarta.

“Os crimes sexuais contra crianças são crimes extraordinários, porque ameaçam as vidas de crianças”, acrescentou.

O decreto presidencial coloca imediatamente em vigor as novas punições, embora o parlamento possa posteriormente chumbá-lo.

Widodo foi levado a agir na sequência do assassínio, após violação em grupo, em abril, de uma menina de 14 anos, atacada por um bando de rapazes bêbedos quando ia da escola para casa, na ilha ocidental de Sumatra.

O seu corpo foi encontrado três dias depois num bosque, atado e nu. Sete adolescentes com 16 e 17 anos foram detidos no início deste mês pelo crime.

O ataque desencadeou um debate nacional sobre violência sexual, apelos para o endurecimento das penas para agressores sexuais e protestos na capital.

O caso foi comparado com a fatal violação em grupo de uma estudante indiana num autocarro em Nova Deli, em 2012, que originou protestos em massa e levou a um endurecimento das leis aplicáveis a violações na Índia.

A Indonésia vai ser criticada por alargar o uso da pena de morte, até agora aplicada a traficantes de droga, e que desencadeou a indignação internacional quando, no ano passado, matou sete estrangeiros condenados por tráfico de droga colocando-os perante um esquadrão de fuzilamento.

Ao abrigo das leis anteriores, a pena máxima por violação — incluindo de menores — era 14 anos de prisão.

Ao introduzir a castração química, a Indonésia junta-se a um pequeno grupo de países do mundo que usa tal punição, em que se inclui a Polónia e alguns estados federados dos Estados Unidos. Em 2011, a Coreia do Sul tornou-se o primeiro país asiático a legalizar essa prática.

Widodo não forneceu mais pormenores sobre a identificação de suspeitos através de dispositivos de controlo e vigilância.

A imprensa local tinha antes noticiado que poderia ser implantado um ‘microchip’ nas pernas de agressores sexuais ao serem colocados em liberdade.

Fonte: SIC Noticias

Índia perde contato com sonda durante pouso na Lua

7 fatos: Índia a caminho da Lua

Últimas atualizações

“Há altos e baixos na vida. Nós estamos orgulhosos da ISRO [agência espacial indiana]”, diz primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, após cientistas perderem sinal de módulo durante pouso lunar.

“A descida do módulo Vikram estava normal até uma altitude de 2.1 km. Então nós perdemos comunicação. Os dados estão sendo analisados”, diz o chefe da ISRO, Kailasavadivoo Sivan.

Cientistas da ISRO perderam contato com o módulo de pouso a cerca de 1km da superfície lunar. Na sede da agência espacial, especialistas olham apreensivos para os computadores.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, chega na sede da Organização de Pesquisa Espacial da Índia (ISRO) para acompanhar o pouso da sonda.

Primeiro-ministro Narendra Modi acompanha pouso de sonda indiana na Lua.

Primeiro-ministro Narendra Modi acompanha pouso de sonda indiana na Lua. (Foto: Reprodução/ISRO)

O colunista @cassioleandro explica o atual estágio dos trabalhos e a expectativa.

Vídeo incorporado

Nosso colunista Cássio Barbosa explica um dos pontos principais de interesse do mundo nesta missão indiana:

“Essa será a primeira missão de pouso lunar da Índia, mas também é a primeira missão da história a estudar um dos polos lunares, no caso o polo sul. Os polos são locais de difícil acesso pelas naves, por isso sempre ficou em segundo plano, mas é neles que estão os depósitos de gelo da Lua. Com a ajuda da própria Chandrayaan-1, depósitos de gelo foram encontrados em crateras nos polos da Lua em que a luz do Sol nunca consegue iluminar. Desse jeito, o gelo vindo de cometas que se chocaram com a Lua no passado ainda deve estar lá, intocado. É desse reservatório que missões futuras de colonização devem retirar a água para abastecer as bases. E é esse o interesse do mundo todo nesta missão.”

Em teste, o jipe Pragyan (sabedoria em sânscrito) desce do módulo lunar.

Jipe Pragyan na rampa de descida do módulo Vikram

Jipe Pragyan na rampa de descida do módulo Vikram (Foto: Indian Space Research Organisation – GODL)

Fonte: G1