20 C
Brasília, BR
sexta-feira, julho 10, 2020

O presidente da OAB-Subseção do Paranoá e Itapoã, Paulo Alexandre Silva, emite nota de Repudio sobre a regulamentação Fundiária do Paranoá

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção do Paranoá e Itapoã, Paulo Alexandre Silva, emite nota de Repudio sobre a regulamentação Fundiária do Paranoá

Em razão das incorreções consignadas no Informativo da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB), que trata da regularização fundiária do Paranoá e restou veiculado em todos os grupos de aplicativos de mensagens instantâneas da região, cumpre à Subseção da OAB no Paranoá e Itapoã repudiar com veemência tal expediente e afirmar que o seu compromisso institucional é com a defesa da sociedade, que exige de todos, especialmente das autoridades públicas constituídas o respeito incondicional às leis federais e normativos internos da OAB.

Vejam a nota na íntegra: NOTA DE REPÚDIO CODHAB – ÍNTEGRA

Fonte: http://egnews.com.br

ENTREVISTA EXCLUSIVA: Tadeu Filippelli fala ao Olhos de Águia sobre seu retorno à Câmara Federal

Tadeu Filippelli: “Volto à Câmara Federal, pela quarta vez e chego com muita garra para trabalhar.

“Volto à Câmara Federal, pela quarta vez, na minha vida, depois de passar pela Câmara Legislativa, Administração de Cidades, Vice-Governadoria, Assessoria Especial da Presidência da República, vejo um momento importante na história do nosso país !!!!  Esse momento exige que todos nós equilibramos e respeitemos diversos itens que estão sendo feitos, como vezes sem alcançar o resultado esperado, mas tenho certeza que todos eles na busca de soluções contra um inimigo invisível e ainda desconhecido ” Tadeu Filippelli

O MDB do Distrito Federal agora tem seu representante na Câmara Federal, Tadeu Filippelli assume cadeira de Deputado Federal.

A Câmara Federal ganha um parlamentar de alto gabarito vejam sua experiência na politica:

Formado em Engenharia Elétrica na UNB, foi presidente da Shis – Sistema Habitacional de Interesse Social, participou da criação e consolidação de 8 novas cidades: Samambaia, Paranoá, Santa Maria, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, Sobradinho II e Estrutural. Além das Expansões de Ceilândia, Brazlândia, Vila Weslyan, Dnocs e Planaltina, foi administrador de São Sebastião/DF, tornou-se secretário de obras de Joaquim Roriz no momento de grandes transformações no Distrito Federal.
Participou da construção 11 complexos viadutos: Sobradinho, Colorado, TortoC.A., Lago Norte, Santa Maria, Catetinho, Rodoferroviária, Balão do Aeroporto, Viaduto na BR-060 em Taguatinga, Viaduto na BR-060 – Recanto-Samambaia, Complementação do viaduto do Polo JK.
E mais… Três Estações de Tratamento: ETE Norte; ETE Sul; ETE Samambaia.
Além do Hospital do Paranoá, Metrô, Restaurantes Comunitários, Ponte JK, Duplicação da L4 Norte, construção da Biblioteca do Complexo da República e do Museu Nacional. Também revitalizou o sistema viário do Pistão Sul, reformou e ampliou o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, etc.
Hoje é presidente de honra do MDB/DF. Tido como o maior articulador politico do DF. Este é o parlamentar que ira representar Brasília no Congresso Nacional.

O Blog Olhos de Águia foi buscar alguns depoimentos de pessoas da política do DF sobre Filippelli, vejam:

“Filippelli é um grande nome da política do DF, uma liderança incontestável! Com sua volta ao Congresso, Brasília ganha no parlamento um representante experiente, competente e comprometido com as boas causas do Distrito Federal” Sandro Avelar, ex-Secretário de Segurança Pública do DF

“Tadeu FIlippelli escreveu uma história de vida marcada por muito trabalho e muitas entregas para todo o DF e a sua ida para a Câmara Federal reforçará o trabalho da bancada, que contará com um político extremante experiente, que teve passagens expressivas pela casa, agregador e conhecedor de cada pedacinho da nossa cidade” Erika Filippelli, Secretária da Mulher

“Nesse momento impar, que passamos com uma crise epidemiológica e econômica, o retorno para a Câmara Federal de Nelson Tadeu Filippelli foi uma grande sacada do governador Ibaneis Rocha, onde poder contar com a experiência e o conhecimento desse parlamentar na Câmara Federal, ajudará não somente o Brasil como também Brasília. Tadeu Filippelli, pode ser a peça que faltava na Câmara para que o governo de Brasília possa ser destaque no cenário Nacional”, Irany Gomes

Vejam a entrevista exclusiva ao Blog Olhos de Águia

OLHOS DE ÁGUIA: Deputado, como o senhor poderá contribuir na Câmara Federal para o enfrentamento desta pandemia?

TADEU FILIPPELLI: Quem me acompanha sabe que a minha maior preocupação sempre foi – e será – trabalhar com o olhar voltado para as necessidades da população, principalmente as mais necessitadas. Hoje, vivenciando esse cenário atípico de pandemia, irei concentrar todos os meus esforços para tentar minimizar os impactos negativos na esfera do emprego e da renda. Como deputado federal minha maior contribuição será em discutir, propor e aprovar leis que possam, a curto e médio prazo, trazer mais tranquilidade para a vida das pessoas nesse sentido.

OLHOS DE ÁGUIA: Como o senhor analisa o cenário social e econômico no período pós pandemia?

TADEU FILIPPELLI: Estamos lidando com algo novo e imprevisível. A insegurança quanto ao futuro é nítida, mas quando falamos em cenários temos que construir perspectivas diversas, até mesmo para que as ações sejam norteadas visando os melhores caminhos. A verdade é que o mundo não será o mesmo no pós-pandemia, mas apesar das adversidades, sou positivo e tenho fé que vamos superar todas as dificuldades.

OLHOS DE ÁGUIA: Na Câmara Federal, o senhor se unirá a outros 7 parlamentares eleitos por Brasília, como está a sua relação com esses parlamentares?

TADEU FILIPPELLI: Tenho uma boa relação com quase todos, graças a Deus. A interlocução é boa e vamos trabalhar juntos para beneficiar o Distrito Federal, e claro, todo o Brasil.

OLHOS DE ÁGUIA: De todos os parlamentares de Brasília na Câmara, o senhor é o mais experiente, isso pode ajudar nas negociações por mais recursos e melhorias para o Distrito Federal?

TADEU FILIPPELLI: Sem dúvida, a experiência é sempre um ponto a favor. Estou há quase quarenta anos na vida pública, já ocupei os mais diversos cargos. Fui deputado distrital, administrador de São Sebastião, presidente da Shis, secretário de obras por duas vezes e vice-governador. Agora, estou no meu quarto mandato como deputado federal. Tenho certeza que irei contribuir bastante com os meus colegas e também irei aprender com eles.

OLHOS DE ÁGUIA: Deputado, na Câmara o senhor vai trabalhar por Brasília, sendo do MDB mesmo partido do governador Ibaneis, você acredita que terá espaço no GDF? Com sua equipe.

TADEU FILIPPELLI: Ter ou não ter espaço no GDF não é a questão. Como disse anteriormente, a minha preocupação é fazer o melhor pela população da minha cidade. Ter um deputado federal na bancada do MDB na Câmara, evidentemente, fortalece a gestão do governador Ibaneis. Ele sabe que pode contar comigo e estou disposto a buscar os recursos necessários que possam ser um diferencial para o Distrito Federal.

OLHOS DE ÁGUIA: O senhor é a favor da ampliação das parcelas do auxílio emergencial de 600 reais por mais dois meses?

TADEU FILIPPELLI: Diante as dificuldades, como eu poderia ser contrário? Sou a favor. Contudo, a discussão está em torno da definição do valor do auxílio. É evidente que tudo deve ser avaliado, pois a nossa dívida só cresce. Por outro lado, temos que preservar os milhões de trabalhadores informais, microempreendedores, autônomos e tantos outros que foram impactados de maneira extremamente negativa pela chegada do novo coronavírus.

OLHOS DE ÁGUIA: Em entrevista ontem, o presidente da Câmara Rodrigo Maia, falou sobre a possibilidade de entendimento para uma possível redução salarial do poder legislativo, nesse período de pandemia, inclusive dos deputados, o senhor seria a favor?

TADEU FILIPPELLI: Toda a sociedade passa por um momento de sacrifícios extremos. Então, se a redução salarial for uma alternativa plausível, sim, eu seria a favor.

OLHOS DE ÁGUIA: Como o senhor avalia o governo do Presidente Bolsonaro?

TADEU FILIPPELLI: O presidente foi eleito de forma legítima e tem um grande apoio popular. E claro, cada governante tem uma maneira particular de lidar com as suas atribuições, ele como chefe do Executivo tem um estilo próprio. Com a chegada da pandemia, o foco das reformas propostas foi desviado. Como brasileiro, torço para que ele tenha o equilíbrio necessário para conduzir o nosso país.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte:  http://olhosdeaguianoticias.com.br

Hotel Nacional recebe ordem de despejo e hóspedes são retirados do local

Um dos ícones do início da construção de Brasília foi leiloado em 2018 e novos donos tomaram posse nesta quarta-feira (24/06)

Ação de despejo do hotel NacionalRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Os hóspedes do Hotel Nacional foram surpreendidos com a notícia de que precisariam deixar o local. A empresa que venceu o leilão de um dos marcos históricos de Brasília em 2018 decidiu tomar posse do local a partir desta quarta-feira (24/06).

“É uma situação meio constrangedora descer e ser avisado disso. Hoje, era meu último dia aqui e já vou embora então”, disse um hóspede que preferiu não se identificar.

Segundo o advogado da empresa que arrematou o leilão em 2018, Saulo Mesquita, a medida foi necessária, pois os atuais administradores do hotel apresentaram resistência em entregar o local. “O que está acontecendo é o cumprimento de posse”, diz.

Leilão

Em dezembro de 2018, duas empresas de Brasília arremataram em leilão o Hotel Nacional, por R$ 93 milhões. O Grupo Bittar (da família Bittar) e a Luner (construtora dos irmãos Farah), em consórcio, assumiram a operação de um dos mais tradicionais empreendimentos da capital federal.

Pertencente à família Canhedo, o Hotel Nacional foi colocado à venda pela 3ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central de São Paulo. A contragosto dos Canhedo, o Hotel Nacional entrou na massa falida da Petroforte Petróleo Ltda, que era credora das empresas de transporte aéreo e terrestre dos Canhedo.

Glamour

Inaugurado em 1961, o Hotel Nacional se tornou reduto da alta classe, por onde passaram celebridades, personalidades internacionais e figuras políticas.

A suíte presidencial, por exemplo, a qual em 1968 hospedou a rainha da Inglaterra, Elizabeth II, virou residência de um político que protagonizou um dos maiores escândalos de corrupção do Brasil: o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), preso em 2014, no processo do Mensalão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O Hotel Nacional tem 10 andares e 347 apartamentos distribuídos em 43 mil metros quadrados. Também fazem parte da extensa lista de hóspedes ilustres: os ex-presidentes dos Estados Unidos Jimmy Carter e Ronald Reagan; o ex-presidente francês Charles De Gaulle; e a ex-primeira-ministra da Índia Indira Gandhi; e a atriz brasileira Leila Diniz.

Fonte: Metropoles

GDF adia pagamento da 2ª parcela do auxílio emergencial. Veja nova data

Alteração ocorre para reduzir aglomerações, uma vez que os contemplados da primeira parcela ainda estão retirando os cartões

 

Foi adiada, para a próxima semana, a data de liberação da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 408 do Governo do Distrito Federal (GDF). Agora, a distribuição ocorrerá a partir de 30 de junho.

A medida vai ajudar a 3.715 moradores da capital. Têm direito ao benefício pessoas com renda inferior a meio salário mínimo, equivalente a R$ 522,50. Importante ressaltar que quem ganha os R$ 600 do governo federal não receberá os R$ 408 pagos pelo programa do GDF.

A iniciativa pode pagar até três parcelas. Ou seja, os beneficiários poderão receber até R$ 1.224 em três meses.

Para ter acesso ao benefício, é preciso acessar o site: www.rendaemergencial.brb.com.br.

Aulas da rede pública do DF voltam nesta segunda (22). Veja como funcionará

Com alunos reclusos, a Secretaria de Educação investiu em três modalidades para garantir o aprendizado dos estudantes na quarentena

ANDRE BORGES/ESP. METRÓPOLES

Após três meses de paralisação e incertezas, estudantes da rede pública de ensino do Distrito Federal retomam, nesta segunda-feira (22/06), o ano letivo de 2020, que havia sido suspenso em função da pandemia do novo coronavírus.

Vale lembrar que os alunos da rede pública de ensino não terão provas, como as tradicionais aplicadas presencialmente em sala de aula. As avaliações ocorrerão por meio de atividades e tarefas designadas pelos docentes. Elas devem ser apresentadas no período determinado pelos professores.

Nesta semana, as atividades serão consideradas aulas “de acolhimento” aos docentes. A partir do próximo dia 29, a frequência será cobrada e as avaliações poderão começar.

Metrópoles explica como será o ano letivo. Confira como vai funcionar cada modalidade:

1

Teleaula

ANDRE BORGES/ESP. METRÓPOLES

A programação começa com três horas por dia. O conteúdo veiculado mais cedo, por volta das 9h, será para a educação infantil. A programação vai progredindo com o passar dos minutos até chegar ao ensino médio. O cronograma completo foi divulgado.

As teleaulas não vão substituir as presenciais ou contar na frequência dos estudantes. Elas servem para que os alunos não percam conteúdo nesta época de quarentena.

A Secretaria de Educação também fechou parceria com a TV Gênesis e a TV União, que vai exibir o conteúdo, mas ainda sem data marcada para o início das transmissões, e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que cede os estúdios para as gravações. A pasta tenta contratar uma quarta emissora.

Webaula

REPRODUÇÃOgoogle sala de aula reprodução

Os alunos da rede pública de ensino do DF com disponibilidade de computador e internet terão aulas mediadas através da plataforma Google Sala de Aula.

A modalidade permite aferir a presença dos estudantes e a aplicação de avaliações. Os primeiros a testar o formato serão os estudantes do ensino médio, a partir desta segunda-feira (22/06).

Para fazer o uso da plataforma, é preciso registrar login no site. Um código usado no acesso e específico para cada estudante consta no boletim escolar do aluno. Em casos de problema com o cadastro, é preciso comunicar à Secretaria de Educação pelo telefone 156, opção 2.

Conteúdo impresso

VINÍCIUS SANTA ROSA/METRÓPOLES

Apesar de minoria, parte dos estudantes afirmou não ter acesso à internet nem à televisão. Para esse grupo, a Secretaria de Educação informou que produzirá materiais didáticos impressos.

Caberá aos pais e responsáveis dos alunos irem à escola pública para coletar o material. A data da devolução dos exercícios resolvidos será estabelecida pela própria instituição de ensino e professores.

[/relatedposts

Central de dúvidas

Nesta segunda-feira (22), a Secretaria de Educação também vai lançar a página do Escola em Casa DF, abrigada no site da pasta, para ajudar a esclarecer dúvidas dos estudantes e familiares. A página foi feita sobretudo para explicar aos estudantes as opções das aulas mediadas e responder às dúvidas frequentes.

Durante esta semana, a pasta mapeará os pontos positivos e negativos do ensino mediado. “É natural que um programa deste tamanho, feito em pouco mais de cem dias, apresente problemas. Por isso, vamos levantar informações que nos possibilite trabalhar rapidamente sobre soluções”, pontuou o assessor especial da Secretaria de Educação e coordenador do Escola em Casa, David Nogueira.

As unidades escolares terão apoio da Secretaria de Educação do DF para solucionar possíveis problemas, como a ausência dos alunos no ensino mediado. “As escolas devem reportar às coordenações regionais aqueles casos em que não conseguem ter nenhum contato com os estudantes para que possamos adotar as medidas necessárias”, esclareceu Nogueira.

(Com informações da Agência Brasília)

Fonte: Metropoles

Não vai ter prova: pandemia muda avaliação de alunos da rede pública do DF

As aulas a distância começam a contar presença a partir do dia 29 para 456 mil estudantes. Elas serão transmitidas pela TV e pela internet

ANDRÉ BORGES/AGÊNCIA BRASÍLIA

 

As aulas a distância para os alunos da rede pública do DF começam em 10 dias com uma novidade no modelo de avaliação: os estudantes não serão submetidos a provas, aquelas tradicionais aplicadas pelos professores em sala.

O programa Escola em Casa DF, elaborado na gestão do ex-secretário João Pedro Ferraz, exonerado nessa quinta-feira (18/06), deve manter as características idealizadas no comando de Carolina Louzada Petrarca, que assumiu a pasta. Pelas diretrizes, os alunos terão três opções de ensino para que o acesso possa ser universal.

Entre elas, as teleaulas, a plataforma digital e, para quem não tiver acesso a meios digitais, as tarefas impressas entregues pelo colégio. As avaliações serão feitas em casa, com material disponibilizado pelo centro educacional ou entregue na residência, se a opção for por material físico. Nesse último caso, a família recebe o dever e, depois, devolve ao docente.

Com atividades paradas desde 12 de março, os alunos retornarão com a obrigatoriedade de frequência em 29 de junho. Nesta data, os estudantes completarão 109 dias sem ensino presencial.

Somente nas duas últimas semanas a pasta criou 73.660 turmas virtuais, realizou 1,46 milhão de enturmações no Escola em Casa DF e enviou circulares instruindo todas as áreas sobre o uso da plataforma Google Sala de Aula. No dia 22, as primeiras aulas serão exibidas como teste, com cobrança de presença somente no dia 29.

Entre 22 e 29 de junho, todos os alunos e os 30 mil professores da rede devem estar enturmados com o novo modelo. Para cumprir o calendário do ano letivo, os estudantes terão aulas até 28 de janeiro de 2021.

Ainda não há qualquer previsão de retomada das lições nas unidades físicas. Caso isso ocorra, será decidido e anunciado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), em momento oportuno, quando o risco de propagação da Covid-19 estiver afastado.

Sinpro é contra

O Sindicato dos Professores do DF é contra o modelo de ensino a distância por não considerá-lo inclusivo. De acordo com a entidade, 120 mil alunos não têm acesso aos meios tecnológicos. “É uma total exclusão desses alunos. As atividades impressas não irão garantir a aprendizagem desses alunos. O que vai acontecer é a disseminação do vírus com esse vaivém de papéis”, ressaltou o diretor do Sinpro, Samuel Fernandes.

Fonte: Metropoles

Garotas de programa que atendem e vendem cocaína a clientes ricos são alvo de operação da PCDF

Ao todo, cerca de 200 policiais cumprem 35 mandados de busca e apreensão em diversos endereços da capital do país

PCDFRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, nas primeiras horas desta sexta-feira (19/06), uma megaoperação para desmantelar seis grupos criminosos especializados no tráfico de cocaína e drogas sintéticas em áreas nobres de Brasília. Duas dessas quadrilhas são formadas por garotas de programa. Alguns dos alvos mantinham entorpecentes em casa e foram presos em flagrante. São pelo menos 10 detenções.

As mulheres negociavam programas sexuais regados a pó para uma clientela seleta. Ao todo, cerca de 200 policiais cumprem 35 mandados de busca em 10 regiões administrativas.

De acordo com investigações da 5ª DP, não existe conexão entre os núcleos criminosos, mas todos exercem funções parecidas: a distribuição dos entorpecentes para traficantes menores e usuários que ficam na ponta do esquema.

No caso dos dois grupos formados por prostitutas, os bandos contam com a ajuda de transportadores, que sempre são acionados após a negociação do programa com os clientes. Na maioria das vezes, a droga é entregue por taxistas, segundo as apurações policiais.

As garotas de programa faturam alto fazendo uma espécie de venda casada, ou seja, negociam horas de sexo somadas a carreiras de cocaína. Quase todas que são alvo das operações fazem pontos ao longo da via W3 Norte. Os fornecedores que alimentam o mercado do sexo com pó também são monitorados pela PCDF.

Outros grupos

A operação Rede cumpre mandados de busca e apreensão em Águas Claras, Candangolândia, Setor Hoteleiro Norte, Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Planaltina, Brazlândia, Lago Norte e Goiânia (GO). Entre os alvos da operação, está um terceiro grupo especializado na distribuição de drogas na região central de Brasília. Os criminosos adotaram o sistema delívery, fazendo a entrega nas mãos dos usuários.

O quarto grupo na mira da PCDF também é formado por traficantes, mas, ao contrário dos outros três, só negocia a venda e a entrega de cocaína para outros traficantes. O bando não vende no chamado “tráfico de varejo” para usuários finais.

Dois integrantes do grupo teriam, inclusive, ligações com facções criminosas perigosas, como o Comboio do Cão e o Primeiro Comando da Capital (PCC), liderada por Marcos Herbas Camacho, o Marcola, que cumpre pena no Presídio Federal de Brasília.

O quinto grupo desarticulado pela PCDF também é especializado no tráfico de cocaína para pequenos traficantes.

Fonte: Metropoles

GDF Presente recupera 7 quilômetros de estrada rural em Planaltina

Rota é usada para transporte escolar e escoamento de produção agrícola do Núcleo Rural Vale Verde

ROSI ARAÚJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA * | EDIÇÃO: FÁBIO GÓIS
Patrolamento da via e das 16 ruas transversais deve ser concluído até 23 de junho | Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal mantém o GDF Presente a pleno vapor. A partir desta terça-feira (16), equipes do programa estarão por uma semana no Núcleo Rural Vale Verde, em Planaltina, para benfeitorias diversas. Os trabalhos incluem limpeza e nivelamento de 7 quilômetros da estrada rural para viabilizar, com qualidade, o trânsito no local. Planaltina é a mais extensa região administrativa do DF e a que tem a maior área rural.

Leia também

Núcleo Rural Rio Preto terá áreas recapeadas e asfaltadas

GDF monta estrutura para beneficiários do auxílio emergencial em Planaltina

Em razão disso, os serviços fora da zona urbana são constantes. No Vale Verde, as melhorias neste trecho de estrada são ainda mais relevantes porque se trata de um caminho para as unidades de ensino rurais Escola Classe Vale Verde e Morumbi. Além disso, a via dá acesso às 160 propriedades com produção de hortaliças, frutas e animais.

O criador de animais Francisco Gildenir, 43 anos, relatou que a chuva deste ano danificou bastante a via, e que as obras vêm em boa hora. “Ruim estava, agora vai melhorar 100%. Só de passar as máquinas vira outra estrada”, comemorou o trabalhador rural.

O coordenador do Polo Norte do GDF Presente, Ronaldo Alves, explicou que a escolha das áreas rurais tem a ver com as distâncias do núcleo urbano e a dificuldade operacional da administração em atender os moradores.

Obra dá mais segurança para alunos e produtores rurais | Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Agência Brasilia

Bares e restaurantes do DF devem reabrir no dia 25/06 com restrições

Em nota, Abrasel e Sindhobar informaram ter participado de reunião com o governador Ibaneis nesta segunda-feira (15/06)

Comércio do DF fechado por causa do coronavírusHUGO BARRETO/METRÓPOLES

Após reunião presencial comandada nesta segunda-feira (15/06) pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), os bares e restaurantes do Distrito Federal já contam com uma previsão para reabertura: dia 25 de junho. Durante o encontro com o chefe do Executivo local, representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no DF (Abrasel-DF) e do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) afirmaram que a data será confirmada caso o segmento apresente um protocolo de segurança para a retomada das atividades.

Segundo os sindicalistas, os três órgãos farão um estudo até a próxima sexta-feira (19/06), quando a data será ou não confirmada. “Se tudo ocorrer como planejado, os testes de Covid-19 nos funcionários de restaurantes e bares já poderão ser feitos neste final de semana”, continuou Pinheiro. “Caso a parte operacional atrase, a reabertura poderá ficar para a semana seguinte, no dia 1º de julho”, continuou.

De acordo com Jael, o documento já foi protocolado no Palácio do Buriti e, agora, será avaliado tecnicamente pelas autoridades sanitárias locais, a fim de referendar a data prevista.

Demissões

Metrópoles vem noticiando o encerramento das atividades de estabelecimentos do setor e, segundo informações das entidades que representam o ramo, mais de mil casas fecharam as portas definitivamente na capital do país durante a pandemia do novo coronavírus.

Com o fim dos serviços desses locais – muitos tradicionais, que funcionavam havia décadas –, milhares de pessoas perderam seus empregos. O Sindhobar homologou, desde o decreto do Governo do Distrito Federal (GDF) que fechou o comércio em meados de março, em torno de 10 mil demissões.

Mas como existe uma convenção coletiva do órgão que desobriga a homologação em casos assim, o número real pode ser bem maior. A estimativa da Abrasel-DF é de que 14 mil pessoas que trabalham no setor tenham sido dispensadas desde 20 de março.

“Na última semana antes do isolamento social, o faturamento despencou porque o medo já havia começado, sentimos o baque ali. Orientamos que os empresários dessem 15 dias de férias coletivas e, em seguida, veio a Medida Provisória nº 936, que permitiu a suspensão de contratos por 60 dias”, comenta Beto Pinheiro, presidente da Abrasel-DF.

“Eu venho alertando que quando acabasse esse período, se o comércio ainda estivesse fechado, aconteceriam demissões. Tem muita gente fechando porque não tem previsão de retorno“, acrescentou.

Fonte: Metropoles

DF ganha, no Ginásio Nilson Nelson, novo cine drive-in. Confira programação

A Arena Drive Multicultural será inaugurada no Dia dos Namorados, como opção de lazer durante a pandemia do novo coronavírus

Drive-in Nilson NelsonDIVULGAÇÃO

Brasília ganha, a partir desta sexta-feira (12/06), mais um drive-in. Em meio à pandemia de coronavírus, quando o cinema só pode ser visto de dentro do carro, o brasiliense terá um espaço ao ar livre dedicado à projeção de filmes. A novidade está instalada no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson, com 177 vagas para veículos.

As pessoas não podem ficar fora dos carros, mas terão acesso aos banheiros do ginásio, higienizados conforme normas previstas em decreto do GDF, a fim de garantir a segurança dos usuários.

“Estamos nos adaptando ao momento para promover algum tipo de lazer e entretenimento para o brasiliense. Acreditamos que sair de casa, com segurança, para assistir a um filme, por exemplo, será uma diversão para todas as idades e diferentes públicos” explicou Richard Dubois, diretor presidente da Arena Bsb.

Programação

Os portões serão abertos com 15 minutos para entrada e fechados no início do filme. Quem chegar atrasado, mesmo com ingresso, não entra mais.

A primeira sessão será às 17h50, com o filme Shakespeare Apaixonado. Às 20h, começa Um Lugar Chamado Notting Hill . Às 22h15, passa na tela o filme Aliados.

É importante não se atrasar para não entrar em filas e perder os filmes. Os ingressos custam R$ 130 e a meia entrada, usando o voucher EstreiaArena, R$ 65. Eles podem ser comprados no site ingresse.com.

Fonte: Metropoles