23.2 C
Brasília, BR
quinta-feira, abril 2, 2020

Senado aprova extensão de auxílio de R$ 600 a mais de 30 categorias

Crédito: Reprodução/ YouTube

O Senado aprovou na tarde de hoje (1º) um Projeto de Lei (PL) que acrescenta dezenas de categorias entre as elegíveis a receber o auxílio de R$ 600 mensais, conhecido como “coronavoucher”, pelo período de três meses. A aprovação ocorreu por unanimidade, com 79 votos favoráveis. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

O PL aprovado hoje é complementar ao projeto aprovado pelo Congresso na última segunda-feira (30), que aprova o pagamento do auxílio a autônomos e informais. Esse projeto foi sancionado no fim da tarde pelo presidente da República, segundo informações do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE). Entre outros critérios, o beneficiário deve ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

O parecer ficou a cargo do senador Esperidião Amin (PP-SC). Ele relatou o projeto de Randolfe Rodrigues (Rede-AP), mas aglutinando as ideias de dez outros Projetos de Lei com temas correlatos. De acordo com o substitutivo apresentado pelo relator, são incluídas mais de 30 categorias que incluem motoristas de táxi e de aplicativos, caminhoneiros, músicos, ambulantes, feirantes, garçons, dentre outros.

“Ampliamos o alcance, estabelecemos regras mais claras para atender os mais carentes e, finalmente, procuramos agilizar a forma de pagar”, disse Amin, em declaração divulgada à imprensa.

Para evitar a concentração do pagamento em poucos bancos, o projeto prevê a extensão do pagamento a todas as instituições financeiras e não financeiras de transferência de capital, como agências lotéricas e agências dos Correios. As fintechs, empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros digitalmente (como empréstimos e cartões de crédito), também estão autorizadas a fazer o pagamento.

Outro dispositivo incluído no projeto estipula que homens que criam sozinhos os filhos, o chamado provedor de família monoparental, têm direito a duas cotas do auxílio, ou seja R$ 1.200. No PL aprovado anteriormente e recém-sancionado, o recebimento das duas cotas só está autorizado a mulheres que vivem em situação monoparental.

Confira as categorias incluídas no PL aprovado hoje no Senado:

– Pescadores profissionais artesanais e os aquicultores, os agricultores familiares registrados no Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF);
– os técnicos agrícolas;
– os cooperados ou associados em cooperativa ou associação de catadores e catadoras de materiais recicláveis;
– os taxistas e os mototaxistas; os motoristas de aplicativo; os motoristas de transporte escolar; os caminhoneiros; os entregadores de aplicativo;
– as diaristas;
– os agentes de turismo e os guias de turismo;
– os trabalhadores das artes e da cultura, entre eles, os autores e artistas, de qualquer área, setor ou linguagem artística, incluindo intérpretes e executantes, e os técnicos em espetáculos de diversões;
– os mineiros; os garimpeiros, definidos como aqueles que, individualmente ou em forma associativa, atuem diretamente no processo da extração de substâncias minerais garimpáveis;
– os ministros de culto, missionários, teólogos e profissionais assemelhados;
– os profissionais autônomos da educação física; os trabalhadores do esporte, entre eles, atletas, para-atletas, técnicos, preparadores físicos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, árbitros e auxiliares de arbitragem, de qualquer modalidade, incluindo aqueles trabalhadores envolvidos na realização das competições;
– os feirantes, os barraqueiros de praia; os ambulantes, os feirantes, os camelôs, as baianas de acarajé, os garçons, os marisqueiros, os catadores de caranguejos;
– as manicures e pedicures;
– os sócios de pessoas jurídicas inativas, dispensada a apresentação da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS).

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: IstoÉ

Onda de furtos durante a quarentena preocupa comerciantes do DF

Lojas de conveniência e de departamento têm sido alvos frequentes. Em um dos casos mais recentes, criminosos fizeram “limpa” em boate

PMDF/DIVULGAÇÃO

 

Os bandidos estão aproveitando a quarentena, com comércio praticamente todo fechado, para arrombar lojas no DF. Os crimes têm sido recorrentes nos últimos dias, o que preocupa e muito os empresários do setor. Em quatro dias, foram ao menos seis ocorrências desta modalidade registrados pela PMDF.

“Nós obedecemos o decreto. Está tudo fechado. Um funcionário foi pegar uma caixa de ferramentas na boate e encontrou boa parte queimada e tudo foi roubado. Levaram todas as bebidas, os equipamentos de som. Deixaram só corote e catuaba. Levaram vodca, uísque, tudo”, lamentou o proprietário do estabelecimento, Bruno Rodriguez.

Com o palco queimado, sem o som e sem as bebidas, a estimativa de Rodriguez é que o prejuízo seja de R$ 200 mil. “Começou a onda de assaltos, porque as ruas estão desertas. Essa boate está lá há 15 anos, só mudou o nome e foi reformada. Nunca havia tido um assalto, nem de carro. Nada”, relatou o dono do local.

As lojas de departamento também têm sido alvo frequente de arrombamentos. Uma quadrilha especializada em assalto às Lojas Americanas foi presa pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) nessa segunda-feira (30/03). Com o grupo, os PMs apreenderam dezenas de celulares, máquinas de cortar cabelo e outros produtos vendidos na rede.

De acordo com a corporação, nos últimos dias, foram três roubos com o mesmo modus operandi. No total, quatro pessoas foram detidas, sendo dois adolescentes. Eles portavam um revólver calibre .38 e uma espingarda de fabricação artesanal.

 

Também na madrugada desta segunda, um homem foi encaminhado à 20ª Delegacia de Polícia (Gama) após suspeita de tentativa de furto, registrada na quadra 12, do Setor Central da região administrativa. A PMDF prendeu o criminoso em flagrante.

No endereço, a equipe localizou um homem agachado próximo ao estabelecimento. Ao avistar a viatura, o suspeito tentou fugir. Porém, foi detido ainda na rodoviária do Gama. Posteriormente, os PMs verificaram que um cadeado da loja já havia sido rompido e uma das grades estava aberta. Além disso, objetos possivelmente utilizados na tentativa de arrombamento foram apreendidos, como: uma chave de fenda de 25 cm engatada em um cadeado e uma faca.

Em seguida, os policiais militares realizaram contato com a proprietária do estabelecimento e as partes foram encaminhadas à delegacia. A ocorrência ficou em apuração.

Ao Metrópoles, o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF), Francisco Maia, disse que o setor está enxergando a situação com muita preocupação. “Estamos em contato direto com as forças de segurança. Existe um núcleo na Polícia Civil que mapeia isso. Estamos preocupados com postos de gasolina, por exemplo. Os ladrões estão cometendo furtos e isso tudo é muito sério. Estamos acompanhando toda a situação.”

A possibilidade de o governador Ibaneis Rocha ampliar por mais 15 dias o prazo de quarentena no DF pode agravar o cenário, em sua opinião. “Estamos tomando as providências juntamente com a polícia pensando em dias futuros. Criamos um protocolo nos mercados para dar mais segurança aos consumidores e aos empresários dos estabelecimentos. Pedimos que coloquem as mercadorias mais procuradas à frente. Assim, os clientes não passam muito tempo dentro do mercado. Não sabemos o que o estresse de mais duas semanas vai provocar nessas pessoas se elas começarem a passar fome”, esclareceu o presidente da instituição.

O Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista-DF), informou que está acompanhando com preocupação as ocorrências. “Pedimos aos comerciantes que foram lesados e tiveram os estabelecimentos arrombados que procurem e registrem ocorrência na Delegacia de Polícia Civil. A polícia é a responsável por tomar as providências com base no relato das vítimas.”

O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil (Sindepo), Rafael Sampaio, disse que a corporação acompanha os casos. Segundo ele, alguns crimes diminuíram por causa da queda no fluxo de pessoas. A exemplo de roubo a pedestres e estupro.

Menos pessoas circulando nas ruas faz com que essas modalidades diminuam. Já os crimes patrimoniais, a exemplo do que ocorreu em outros países, havia uma espera de que aumentassem. A economia parou. As pessoas ficam sem emprego e isso faz com que muitos pratiquem crimes até mesmo para sobreviver. Além disso, muitos condenados foram colocados em liberdade por conta das medidas judiciais. A tendência é aumentarem os furtos em comércio e roubo em lojas abertas

PRESIDENTE DO SINDEPO, RAFAEL SAMPAIO

Santa Maria

Os comerciantes da Entrequadra 207/208 Sul também registraram furtos no período de uma semana. Nos postos, segundo o sindicato dos proprietários, foram ao menos três lojas de conveniência arrombadas nos últimos dias.

Na sexta-feira (27/03), três homens suspeitos de violar várias lojas em Santa Maria também foram presos em flagrante quando saíam de um bar na QR 212. As portas do local estavam arrombadas. Os policiais que atenderam a ocorrência suspeitaram que os homens detidos também são responsáveis pelo arrombamento de uma clínica veterinária localizada na mesma região.

Próximo do local onde eles acabaram detidos, as equipes encontraram vários equipamentos de informática escondidos no mato, além de um botijão de gás, um compressor, um forno de micro-ondas e um aparelho para medir pressão. A suspeita é de que o material seja de algum estabelecimento comercial furtado nas proximidades pelo trio. Com eles, os policiais encontraram nove porções de cocaína. Os homens foram encaminhados para a 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria).

Na noite da última quinta-feira ( 26/03), militares do 9º Batalhão da Polícia Militar prenderam dois homens que tentaram furtar a loja de eletrodomésticos Novo Mundo, no Gama.

DIVULGAÇÃO/PMDFLoja-Novo-Mundo-do-Gama
Fachada da Loja Novo Mundo, no Gama. Três homens tentaram forçar a abertura da loja na última quinta-feira (26/03)

A equipe fazia patrulhamento na região quando surpreenderam três homens que forçavam a abertura da porta da loja. A equipe desceu para abordá-los quando um deles fugiu. Com os suspeitos foram encontradas uma barra de ferro e uma talhadeira. Os homens foram levados para a 20ª DP (Gama).

Policiamento ininterrupto

De acordo com os últimos dados do Balanço Criminal do DF, divulgados pela Secretaria de Segurança (SSP-DF), até fevereiro deste ano, foram registradas 259 ocorrências de roubo em comércio em toda a capital federal. Foram 139 em janeiro, e, 120 em fevereiro. Os dados de março ainda não foram somados.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que o policiamento é realizado de forma ininterrupta por todo o DF e reforçou que, nessa segunda-feira (30/03), policiais militares detiveram um grupo de quatro homens que praticavam roubos na área do Plano Piloto.
“Vários outros autores de roubo ou furto foram detidos pela PMDF neste primeiro semestre de 2020. A PMDF reitera que a reincidência criminal é um dos maiores desafios enfrentados pelas equipes nas ruas, já que autores de crimes retornam às ruas de forma rápida, sem a ressocialização necessária”, diz trecho do texto.
Fonte: Metropoles

Coronavírus: alunos do DF se adaptam à rotina de estudos on-line

Com os colégios fechados devido à pandemia, crianças e adolescentes aproveitam videoaulas e plataformas de ensino oferecidas pelas escolas

Estudo-on-line-Maristão-DF-2

ARQUIVO PESSOAL

Devido à pandemia do novo coronavírus e com o intuito de tentar conter a disseminação da doença, diversas medidas foram adotadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) no início de março. Entre as quais está a suspensão de aulas presenciais – que podem permanecer proibidas por mais 15 dias, conforme antecipado pelo Metrópoles na segunda-feira (30/03). Com isso, as escolas foram obrigadas a fechar as portas e milhões de estudantes receberam orientação para permanecerem em casa.

Como os últimos anos escolares já são considerados desgastantes para os jovens que vão prestar vestibular, muitos precisam, na atual situação, se reorganizar a fim de manter a frequência de estudos e não perder o ritmo de preparação para as provas.

Maria Luiza Asfora Lira (foto de destaque), 17 anos, é estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio Maristão, na Asa Sul. As aulas dela foram suspensas por mais de 20 dias.

“Aula presencial faz falta, mas os professores estão colocando todas as atividades com bastante dinamismo na internet e substituindo o que a gente precisa”, destacou.

Maria Luiza quer fazer faculdade de economia. “Quero passar na Universidade de Brasília (UnB), sou muito focada e não quero perder o ritmo, porque sei que, se eu parar, não vou conseguir retomar novamente. Separei um ambiente em casa só para estudar e passo boa parte do dia me dedicando. As videoaulas estão me ajudando bastante. Conseguimos interagir com os professores e isso alivia a preocupação”, ressaltou.

O adolescente Otávio Mendonça Costa, 17, também está no 3º ano do Maristão. Ele relata que, no primeiro momento, a notícia de que não haveria aula por um período tão longo foi um choque. “Os professores publicam a videoaula para os estudantes tirarem dúvidas e interagirem por meio de um fórum de troca de mensagens, como se fosse uma rede social”, explicou.

Otávio descreveu o que muda quando se estuda em casa. “Aqui tem mais distrações e preguiça, a gente olha para a TV e para o celular e dá vontade de não estudar. Mas como a escola começou com as aulas on-line, acredito que teremos motivação maior para participar”, comentou.

“Até agora, só tivemos aulas gravadas e, a partir da semana que vem, elas serão ao vivo. A plataforma que usamos funciona muito bem e o conteúdo está sendo repassado a contento. A nossa maior preocupação agora é com as datas de provas para o ensino superior e a falta de informações por parte das instituições que ainda não definiram novos calendários de provas”, acrescentou.

Na rotina, Otávio está tentando manter o mesmo horário de estudos de uma semana comum. Ele acompanha as videoaulas durante a manhã e, à tarde, costuma realizar as questões indicadas pelos professores.

Segundo o coordenador pedagógico do ensino médio do Maristão, Matheus Kaiser, a escola está tentando trabalhar com a realidade que tem. “Não estamos fazendo muitas previsões para o futuro. Ao invés disso, nós utilizamos plataformas e aplicativos com professores que já possuem habilidades para atuar e operar no meio digital”, assegurou.

A instituição utiliza a plataforma Blackboard. “O nosso material está sendo postado. Temos aulas ao vivo e gravadas, fora atividades, testes e processos avaliativos, tudo disponível virtualmente. São muitas metodologias e instrumentos variáveis a serem utilizados neste momento. Acreditamos que o processo de aprendizagem precisa de motivação e que os alunos se sintam estimulados. Nosso objetivo é não deixá-los prejudicados durante o período”, completou.

Os pequenos do Colégio Marista (Maristinha), da educação infantil, também estão sendo abastecidos de informações. Eles contam com brincadeiras, jogos e atividades lúdicas que podem ser realizadas de acordo com a rotina da família. Os alunos do ensino fundamental anos iniciais (do 1º ao 5º ano) têm contato com os professores pelas plataformas digitais e todos os dias exploram duas disciplinas diferentes que fazem parte do currículo.

Já os estudantes do ensino fundamental dos anos finais e ensino médio (idades entre 12 e 18 anos, em média) precisam manter, diariamente, a atenção na rotina e dedicação ao conteúdo repassado pelos docentes.

A modalidade de aulas domiciliares está prevista para ocorrer até 5 de abril, mas pode ser alterada de acordo com as orientações de autoridades do Estado e sanitárias.

Quarentena

Segundo a professora de química Daniela Trovão, 40, alguns dias depois de o colégio ter entrado em quarentena, docentes e direção já se mobilizaram para dar início às atividades via internet.

“Independentemente de valer como dia letivo ou não, achamos importante entrar com a atividade para que os meninos não saíssem do ritmo.”

De acordo com a professora, em um primeiro momento, os conteúdos seriam para reforçar o que já estavam trabalhando. Com o retorno positivo, passaram a fazer videoaulas com novas matérias. “Começamos a executar isso on-line e temos uma atuação bacana dos alunos. Não são todos que entram, mas também estamos tirando relatórios dos que estão participando e acionando os que não estão ativos. Não queremos deixar a peteca cair”, pontuou.

Veja o conteúdo produzido pela professora Daniela para alunos do 1º e 3º anos do ensino médio:

Classroom

A modalidade de ensino on-line tem sido grande aliada no período de quarentena. A plataforma Classroom, utilizada pelo Colégio Objetivo DF, auxilia os professores a repassarem um conteúdo mais explicativo aos estudantes e serve de apoio para os alunos neste momento de aprendizagem em casa.

Segundo a instituição, os docentes fazem lives pelo YouTube das 9h às 18h. Dessa forma, os alunos podem tirar dúvidas on-line. O retorno é positivo, com diversos adolescentes interessados e participando da atividade.

REPRODUÇÃO/YOUTUBEEstudo-on-line-Objetivo-DF1
Educadores do Colégio Objetivo DF fazem live no Youtube com os alunos

Professora de sociologia do Objetivo, Maria Clara Araújo, 21, dá aulas nas unidades de Taguatinga Norte e Sul e em Águas Claras.

“Todos os docentes estão fazendo conteúdos de qualidade para tentar suprimir um pouco a falta que a presença do professor em sala faz. As dinâmicas das lives estão bem atrativas. Os alunos estão gostando muito. É importante até para se distraírem da sensação de isolamento e das notícias ruins reforçando a todo momento tudo o que estamos passando”, assinalou.

Assista a uma das lives dos professores do Objetivo DF no Youtube:

Aluno do 3º ano do ensino médio, Victor Fernandes Xavier aprova a metodologia adotada pela escola. “É uma experiência muito válida, mas requer certo autodidatismo. O colégio está fazendo a sua parte. O problema maior é por que não é suficiente para repor as aulas que estamos perdendo. Entendemos como uma tentativa”, avaliou.

Em sua nova rotina, Victor, que deseja cursar ciências sociais, escolheu estudar nos horários das aulas e dar mais atenção às disciplinas que têm mais peso para o curso, além de se dedicar àquelas que sente mais dificuldade. “Estou focado”, frisou.

Outros colégios, como o Leonardo da Vinci e a Casa Thomas Jefferson – que dá aulas de inglês – iniciarão as aulas ao vivo a partir de segunda-feira (30/03).

Rede pública

Apesar de as escolas da rede pública de ensino ainda não terem adotado o modelo on-line, professores e alunos do Centro Educacional 6 (CED 6) de Ceilândia estão se comunicando e trocando dicas sobre a rotina de estudos em aplicativos de mensagens.

O docente Kléber Caverna, como é conhecido, mandou vídeo aos alunos para incentivá-los. “A dica é para que revejam o que já foi trabalhado. Também podem assistir a um bom filme sobre questões históricas, além de aulas na internet”, disse o educador.

Aluno do 3º ano do CED 6, Matheus Andrade também se manifestou sobre a rotina no período de quarentena: “Tem sido um pouco complicada porque não tem o auxílio de um professor para tirar dúvidas. Estou contando com a ajuda das apostilas e videoaulas. Consigo estudar, mas não é a mesma coisa que estar em sala de aula”.

Outros professores do CED 6 também estão publicando conteúdos no Instagram

Assista:

Conselho de Educação

Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEE-DF) estuda implementar o ensino a distância na Conselho de Educação (CEDF) da rede pública. A medida foi aprovada pelo Conselho de Educação (CEDF) na última terça-feira (24/03).

Segundo estimativa da pasta, se o decreto que suspendeu temporariamente o ano letivo nas escolas públicas e privadas for prorrogado, a modalidade on-line poderá ser adotada a partir de 6 de abril. Com a indefinição da quarentena, há também a possibilidade de o ano letivo nas redes de ensino avançar para 2021.

Inicialmente, as aulas on-line devem ser levadas a 80 mil estudantes do ensino médio, sendo estendidas, posteriormente, aos anos finais e iniciais do ensino fundamental.

Na rede pública, serão viabilizadas aulas on-line por meio da plataforma Moodle, que poderá ser acessada pelo computador ou por aplicativo para celular.

O estudante entrará, com login e senha, numa versão virtual de sua escola, e poderá visualizar sua turma e os componentes curriculares. As aulas serão desenvolvidas por meio de atividades e recursos diversos.

A depender da estrutura de conectividade, será possível desenvolver tarefas de modo on-line ou off-line. Assim, professores e estudantes poderão estar juntos durante os 50 minutos de aula.

Há também a opção de os alunos baixarem (fazer download) as atividades e desenvolvê-las no tempo e espaço que melhor atenderem as condições de cada escola e estudante, sendo possível disponibilizar outros vídeos da internet, além de materiais produzidos pelos docentes.

Para o diretor do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF), Samuel Fernandes, o ensino a distância (EAD) pode ser útil neste momento de pandemia, mas não é a melhor solução.

“O EAD cumpre um papel específico no processo educativo, porém, não supre a necessidade de situações de aprendizagem dos estudantes da educação básica no que se refere a aulas presenciais”, salienta.

Ainda segundo o sindicalista, “o problema da EAD na rede pública de ensino básico não é somente o fato de boa parte de o seu público estudantil não ter acesso à internet. Defendemos que, após o fim da pandemia, seja reorganizado um novo calendário e discutido com a categoria”.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Covid-19: microempresa do DF não pagará nota fiscal até dezembro

Prazo para emissão gratuita ao GDF terminaria em 31 de março, mas, para diminuir custos durante crise, governo estendeu data para dezembro

 

Para atravessar a crise econômica gerada pelo novo coronavírus, 135 mil microempreendedores individuais (MEIs) terão o prazo para emitir gratuitamente notas fiscais prorrogado para 31 de dezembro de 2020.

Caso o prazo não fosse prorrogado, os custos de operação dos pequenos iriam subir em plena crise, pois seriam obrigadas a adquirir novos programas de emissão de notas e certificado digital ou talonários para declaração física.

Além da crise de saúde pública, o coronavírus tem acabado com empregos e afundando brasilienses na incerteza.

Outros estados estão tomando medidas econômicas contra os efeitos da doença. Em Goiás, o governador Ronaldo Caiado (DEM) prorrogou o vencimento do IPVA.
Fonte: Metropoles

Contra o coronavírus, militares higienizam metrô no DF

Exército fez a desinfecção da Estação Central, localizada na Rodoviária do Plano, na noite sábado, fora do horário de circulação dos trens

Comando Conjunto Planalto realiza a desinfecção da Estação Central do metrô em Brasília, dando continuidade às ações de prevenção e enfrentamento ao coronavírus em locais de grande circulação de passageiros.

Para conter a disseminação do novo coronavírus, o Comando Conjunto Planalto fez a desinfecção da Estação Central do Metrô-DF, no centro de Brasília. O trabalho de segurança sanitária teve início a partir das 23h de sábado (28/03).

A ação faz parte da operação do Exército Brasileiro de prevenção e enfrentamento da Covid-19 nos pontos de grande circulação de pessoas. Até a manhã de domingo, o DF tinha registrado 260 casos confirmados de coronavírus.

A limpeza foi feita fora do horário de funcionamento. Por isso, a aplicação de produtos químicos pode ser realizada de forma segura.

MAIS SOBRE O ASSUNTO

Militares da Companhia de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Exército Brasileiro participaram da ação. O destacamento é subordinado ao Comando de Operações Especiais.

A unidade foi responsável pela segurança em grandes eventos, como a Copa do Mundo no Brasil e os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Mortos por coronavírus no DF serão enterrados em caixões lacrados

Protocolo do governo local prevê ainda que não seja feito velório. Primeira morte na capital foi registrada nesta sexta-feira (27/03)

O Governo do Distrito Federal (GDF) regulamentou, nesta sexta-feira (27/03), o protocolo que deverá ser adotado diante da morte de pacientes contaminados pelo novo coronavírus na capital do país. O objetivo é evitar a disseminação da Covid-19.

O texto determina também que os médicos deverão emitir atestado de óbito sem a necessidade de necropsia do cadáver.

O protocolo estabelece ainda cuidados como o acondicionamento do corpo em uma bolsa sanitária biodegradável e impermeável e o uso de equipamentos especiais para evitar possíveis contaminações.


Foi registrado, nesta sexta-feira (27/03), o primeiro óbito em decorrência das complicações provocadas pelo novo coronavírus no Distrito Federal.

Israel Tiago Martins, 40 anos, era descendente de indígenas. Ele morreu logo após dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho.

Já internado, o quadro evoluiu para síndrome respiratória grave. O paciente apresentava histórico de hipertensão e diabetes.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles

Plano Piloto, Lago Sul e Sudoeste têm 61% de casos de coronavírus

Plano Piloto, Lago Sul, Octogonal/Sudoeste e Águas Claras registram 105 casos da Covid-19

Eixo Rodoviário vazio por causa da quarentena, resultado do novo coronavírus

IGO ESTRELA/METRÓPOLES

 

Os dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no fim da tarde de quinta-feira (26/03), mostram como está a concentração do novo coronavírus na cidade. Quatro regiões concentram 61% dos casos na capital do país: Plano Piloto, Lago Sul e Sudoeste/Octogonal.

  • Plano Piloto: 50 casos
  • Lago Sul: 36
  • Sudoeste/Octogonal: 19

Quando considerada a incidência para casa 100 mil habitantes, as três cidades — que fazem parte da Região Central de Saúde — repetem o perfil, com a diferença que o Lago Sul supera o Plano nessa situação. Veja:

  • Lago Sul: 118,73 para cada 100 mil habitantes
  • Sudoeste/Octogonal: 34,38 para cada 100 mil habitantes
  • Plano Piloto: 21,71 para cada 100 mil habitantes

Se Águas Claras, com 16 casos, for incluída, as quatro regiões chegam a 70,7% dos casos registrados em todo o Distrito Federal.

O documento leva em consideração a situação até as 18h de quinta, quando havia 201 casos confirmados da Covid-19. Os números finais, porém, são feitos com base em 171 pessoas porque 24 são de outras unidades federativas atendidas no DF e seis não informaram o local onde moram.

Chama atenção o fato de 10 regiões não registrarem transmissões: Recanto das Emas, Varjão, Candangolândia, Riacho Fundo II, Estrutural, Saan, Fercal, Santa Maria, Itapoã e Brazlândia.

Mais tarde, na noite de quinta-feira, a secretaria liberou números mais apurados, que falam de 203 de infectados no Distrito Federal. Deles, 161 se encontram com infecções leves e em isolamento domiciliar. Há também seis pessoas em estado grave e outras seis com infecções críticas.

No total, 58,74% dos contaminados no DF são homens e 41,26%, mulheres.

Transmissão comunitária

No total, a pasta considera 31 cidades divididas em sete regiões de saúde. O detalhamento feito pela Secretaria de Saúde também aponta nove casos de transmissão comunitária na capital do país.

Há dois tipos de transmissão: a local e a comunitária. A local ocorre quando as autoridades conseguem rastrear o caminho da infecção: o paciente é infectado por outra pessoa que testou positivo ou esteve em um país onde o vírus está em circulação.
Já na transmissão comunitária, as pessoas que não se encaixam nessas hipóteses procuram a rede de saúde e o resultado do exame dá positivo. Ou seja, não é possível rastrear o caminho da doença.
Fonte: Metropoles

Dez regiões do DF não registraram nenhum caso de coronavírus

Levantamento é feito de acordo com dados da Secretaria de Saúde, divulgados no fim da tarde de quinta-feira (26/03)

Movimentação na Rodoviária do Plano Piloto
RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou no fim da tarde de quinta-feira (26/03) um relatório que detalha como os casos de infectados pelo novo coronavírus estão distribuídos pelas cidades. Chama atenção o fato de 10 regiões não registrarem transmissões: Recanto das Emas, Varjão, Candangolândia, Riacho Fundo II, Estrutural, Saan, Fercal, Santa Maria, Itapoã e Brazlândia.

Mais infectados

No total, a pasta considera 31 cidades divididas em sete regiões de saúde.

Mais tarde, na noite de quinta-feira, a secretaria liberou números mais apurados, que falam de 203 de infectados no Distrito Federal. Deles, 161 se encontram com infecções leves e em isolamento domiciliar. Há também seis pessoas em estado grave e outras seis com infecções críticas.

Um dos casos confirmados é o do policial militar Ari Celso Rocha Lima de Barros. Ele é segurança do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e permanece internado no Hospital de Base, conforme informou o Metrópoles em primeira mão.

Metrópoles preparou para os leitores um resumo sobre a doença. São dicas de prevenção, como são os sintomas e a transmissão, se pode usar barba ou não e a utilização da máscara como equipamento de proteção. Saiba mais sobre o novo coronavírus:

Fonte: Metropoles

Conheça o trabalho dos grupos Samba das Sete Mulheres e Bumba Maria Meu Boi

Grupos formados só por mulheres usam arte como ferramenta de representatividade e protagonismo


Tamatatíua Freire, mais conhecida como Tamá, diretora artística e coordenadora do Bumba Maria Meu Boi (foto: Lisa Veit / Especial pra o CB)
Tamatatíua Freire, mais conhecida como Tamá, diretora artística e coordenadora do Bumba Maria Meu Boi(foto: Lisa Veit / Especial pra o CB)

“Seja uma mulher que levanta outras mulheres” se transformou em um ditado popular de sororidade na luta pelos direitos e conquista de espaços de atuação da mulher. No Distrito Federal, dois grupos, compostos só por mulheres, usam a arte como ferramenta de representatividade, de intervenção e de protagonismo feminino no cenário cultural.

Tamatatíua Freire, mais conhecida com Jamelinha da Mangueira, é historiadora, professora, e diretora artística do projeto Bumba Maria Meu Boi. Filha do mestre Teodoro, Tamá cresceu em uma espécie de colônia cultural do Maranhão, instituída em Sobradinho, e aprendeu desde cedo a preservar e dar continuidade à tradição trazida pela família. “Comecei no boi brincando de índia, depois fui para o cordão tocar matraca e maracá. Depois comecei a compor toadas e atualmente estou na função de cantar”.

onde eu dei visibilidade àquelas mulheres da cultura popular em Sobradinho”, explica.

Junto à Associação de Mulheres de Sobradinho, o projeto conta com oficinas de música, dança, teatro e percussão, que são realizados durante oito meses, culminando na apresentação do Auto do Boi e o centenário do Mestre Teodoro, em setembro e novembro, respectivamente. A saída do Boi maranhense é cheia de música, teatro, dança, batuque e cantos típicos. “A

proposta é formar um grupo com 20 mulheres de todas as idades para compor o Bumba Maria Meu Boi. Estamos fazendo rodas de socialização e troca de vivências. Muitas delas são do Maranhão e já brincaram na infância, o que nos alegrou bastante”, conta a historiadora cultural.

No início do processo as componentes do grupo conheceram os instrumentos musicais, e agora entraram na fase de aprendizado da brincadeira, para que possam escolher em qual papel querem atuar. O próximo passo é construir com as participantes algumas peças do figurino. Sobre a importância do incentivo à participação feminina em atividades de culturas populares a professora tem uma visão bem clara: “As mulheres são muito guerreiras em todos os sentidos. Entretanto, esse protagonismo não aparece porque vivemos numa sociedade ainda muito machista, em pleno século 21. Levá-las a esses espaços da cultura é muito importante para a valorização dessas mulheres”, reflete Tamá.

Samba das sete

Kika Ribeiro, cantora e compositora brasiliense, empresta os vocais e compõe o grupo Samba das Sete Mulheres, outro movimento de muito protagonismo e força feminina com expressão cultural. A proposta agrega dois elementos arraigados na cultura brasileira: samba e culinária, e surgiu do sonho da mãe de santo, Jacilene Monte, também psicanalista, psicopedagoga e terapeuta. “O projeto traz como fundamento o culto e a celebração à ancestralidade afro brasileira, assim como, o empoderamento da mulher negra na cultura afro e no samba”, explica a cantora.

Dando ênfase no caráter multidisciplinar do projeto, a equipe de trabalho é formada por mulheres que atuam em diversas áreas artísticas e profissionais: Kika Ribeiro, atua como intérprete, compositora e cantora; Débora Monte, nutricionista e acadêmica no curso de gastronomia; Cláudia Rodrigues contadora e responsável pela administração do projeto; Keila Rocha, pedagoga, escritora e coaching; assessoria técnica da especialista em projetos Karita Pereira da Silva, da empresa Criativa.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira 

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Correio Brasiliense

Como esta a Região Paranoá e Itapoã em tempos de Coronavírus

Por: Eugênio Piedade

Hoje (24/03) pela manhã na região do Paranoá e Itapoã aconteceu a ação promovida pelo GDF em conjunto com a Administração Regional/UBS 3, DIVAL, DIRAPS LESTE de vacinação dos idosos com idade a partir dos 60 anos.

Os idosos acima de 60 anos estão no grupo de maior risco para o coronavírus, com letalidade de 15% para o grupo acima de 80 anos. Eles também são considerados mais vulneráveis à gripe. Segundo o governo, eles são 20,8 milhões de pessoas no país.

Eu como já tenho 62, fiquei impressionado pela organização da ação no Paranoá, sem filas, cadeiras com a distância de uma entre outra adequada, os atendentes bastante atenciosos e rápidos. Venho aqui parabenizar o Administrador do Paranoá Sergio Damasceno, servidores e pessoas envolvidas, uma organização perfeita.

Órgãos envolvidos, GDF, Administração Regional/UBS 3, DIVAL, DIRAPS LESTE, entre ontem e hoje já vacinados 1.400 idosos, a ação esta contando com o apoio de 30 pessoas.

Nem tudo é de noticia boa, andando pelas ruas das duas cidades (mesmo chovendo), não pude deixar de observar pessoas circulando pelas ruas parecendo estarem em dias comuns, não dando o devido valor a gravidade de saúde que passamos no momento.(vejam videos e fotos).

ITAPOÃ

PARANOÁ

Outra situação que não pude deixar de observar são as vias das duas cidades, mesmo com ações de tapa-buracos executadas recentes pelo GDF na região, a coisa continua muito ruim para as pessoas e carros que circulam por estas vias, buracos que parecem crateras, ondulações irregulares muitas poças d’água.

 

 

              ENTRADA DO ITAPOÃ PELA DF 250

Mesmo com ações constantes do governo, é só chover que toda buraqueira volta, eu mesmo e os dois administradores das cidades já solicitamos ao Secretário de Governo José Humberto que a DF 250 seja recapeada no percurso entre o balão do Paranoá até o Condomínio Entre Lagos, acharmos ser a unica situação que resolverá este grande problema que nossa região passa.

 

O Secretário José Humberto já se comprometeu em atender ao meu pedido, inclusive solicitou ao seu assessor Júnior Carvalho para que faça os estudos necessários para resolver essa situação.

 

Temos certeza que nosso secretário de Governo José Humberto e o nosso Governador Ibaneis, ficarão sensibilizados com a grave situação que passamos e farão de tudo para que nosso pleito passe a ser prioridade nas ações do Governo.

Fonte: http://egnews.com.br