23.5 C
Brasília, BR
segunda-feira, setembro 21, 2020

Susana Werner, esposa de Júlio César, se declara para Bolsonaro: “Assumida”

Em um perfil de fofoca, que repercutiu o vídeo, Susana virou alvo de diversas críticas

Susana Werner, esposa do ex-goleiro Júlio César, deu o que falar neste sábado (23/05), ao usar sua conta do Instagram para declarar apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Nos Stories, ela mostrou imagem do presidente durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, que teve os vídeos liberados nessa última sexta (22). “Vi um presidente indignado com tudo o que tem de errado. Virei Fã. Bolsominia assumida”, disse.

EG NEWS

CODIV-19 e os crimes contra a honra

 

ENSAIO JURÍDICO n. 09/2020
CODIV-19 E OS CRIMES CONTRA A HONRA
Inicialmente, insta alertar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, em 11 de março de 2020, que a contaminação pelo Coronavírus, causador da COVID-19, caracteriza pandemia, ou seja, uma epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população localizada numa grande região geográfica como, por exemplo, um continente, ou mesmo em todo o Planeta.
Convém, ainda, esclarecer, nestas considerações introdutórias, que a pandemia de COVID-19 é uma doença respiratória aguda causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2), que, em resumo, se transmite por meio de gotículas de saliva, espirros, acessos de tosse, contato próximo e superfícies contaminada e pode ser considerada uma doença grave, considerando que não há registros de tratamento ou vacinas pelo mundo.
Assim, é de suma importância que a população da região que se encontra quase que em sua totalidade em isolamento social não dissemine informações não verdadeiras, equivocadas ou distorcidas da realidade ou mesmo informações verdadeiras que possam constranger a imagem de terceiros, em especial, pelo compartilhamento de mensagens
via aplicativos de mensagens instantâneas (locais de grande circulação de pessoas neste
momento), sendo esta uma via que facilita a divulgação.
Neste Ínterim, a conduta de divulgar a condição de portador do Vírus de qualquer pessoa, em tese, configura injúria praticada contra o portador da enfermidade infecciosa e o tipo penal estaria configurado se considerado o animus do agente em proceder com o constrangimento da vítima perante terceiros, ofendendo sua dignidade. Além disso, também em tese, tal conduta configura o tipo penal consistente na difamação, porquanto,
neste caso, há a constatação de uma dupla lesividade, eis que não é apenas uma lesão da honra subjetiva ou dignidade pessoal (art. 140 do CP – injúria), mas também da honra
objetiva ou reputação (art. 139 do CP – difamação), onde há a possibilidade de responsabilidade jurídico-penal ao agente autor do delito e as penas são de detenção de 1 a 6 meses, mais multa e de detenção de três meses a um ano de prisão e multa, respectivamente.
Vale ressaltar que a pena pode ser aumentada se a ofensa for praticada i) na presença de várias pessoas (doutrina à acima de 3 pessoas) ou por meio que facilite a divulgação; ii) via meios que facilitem a divulgação (ex: redes sociais); iii) contra maior de 60 ou deficiente, salvo na injúria, que quando dirigida a idoso é uma qualificadora presente no Estatuto do Idoso.
De outro lado, vale registrar, também, que o descumprimento de regras que visam proteger a incolumidade pública está sujeito à multa e outras medidas judiciais de emergência, em destaque porquanto são crimes contra a saúde pública propagar doenças (artigo 267 do Código Penal) e descumprir determinações do poder público para evitar propagação de doença contagiosas (artigo 268 do Código Penal). Se qualquer pessoa imputar a outra o fato definido nos tipos penas acima descritos, sabendo que a situação é falsa e não ocorreu, o caso melhor se amolda ao crime tipificado no código Penal como o delito de calúnia, sendo esta considerada a infração mais grave dos crimes contra a honra, pois praticada com vontade única exclusiva de alcançar seu objetivo de denegrir a imagem da vítima.
Todos os crimes contra a honra acima descritos são enfrentadas por meio de Queixa-Crime em Ação Penal Privada, ou seja, não há a intervenção da polícia judiciária, e sim, apenas a triangulação processual pelos órgãos que compõem o sistema justiça, isto é, o Advogado, o Ministério Público e o Judiciário.
O certo é que, em tempos de confinamento e enfrentamento ao COVID-19, necessitamos da atualização legislativa Federal em face daquele que discrimina, divulga o resultado dos exames sem autorização e constrange terceiros perante a sociedade, pois, ao que parece, o melhor assento do tipo penal deve figurar junto a Lei n. 12.984, de 2 junho de 2014, que define o crime de discriminação dos portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV) e doentes de AIDS, considerando que, ao meu ver, o tipo penal deveria ser constar em um dos seus incisos a questão de divulgar a condição do portador de moléstia grave com intuito de ofender-lhe a dignidade, dando-lhe, também, a condição de ação penal Privada para inauguração a persecução penal e sua ação sancionadora do Estado.
Brasilia (DF), 25 de março de 2020.
Paulo Alexandre é advogado
Endereço eletrônico: pauloalexsil@gmail.com

Postagem: http://egnews.com.br

Carla Zambelli assume posto de congressista mais influente das redes, diz FSB

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP). O partido tem 8 dos 20 congressistas mais influentes nas redes sociais de fevereiro
Deputada Carla Zambelli (PSL-SP).
O partido tem 8 dos 20 congressistas mais influentes nas redes sociais de fevereiro

deputada Carla Zambelli (PSL-SP) foi a congressista mais influente nas redes sociais em fevereiro. O ex-partido do presidente Jair Bolsonaro abriga também os outros 2 congressistas que fecharam o pódio no quesito: Eduardo Bolsonaro (SP) e Bia Kicis (DF).

Os dados são do Levantamento FSB Influência Congresso, índice de performance nas redes sociais desenvolvido pela FSB Comunicação. Eis a íntegra (1 MB), obtida com exclusividade pelo Poder360.

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que recentemente retomou a liderança do partido na Câmara, caiu para a 6ª posição na lista.

A pesquisa ressalta que a ex-aliada do presidente Bolsonaro liderou o ranking por diversas semanas em 2019. Em fevereiro, ela foi ultrapassada por duas deputadas de oposição: Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Jandira Feghali (PC do B-RJ).

Saiba quem foram os 20 congressistas mais influentes em fevereiro:

© Fornecido por Poder360 slash-corrigido

Esta é a 1ª vez que o Rio de Janeiro tem mais nomes na lista (7) que São Paulo (5), Estado com a maior bancada de congressistas.

O levantamento indica ainda que congressistas de PT e PSL lideraram no número de publicações em fevereiro. Os petistas foram responsáveis por 24,2% das postagens, e os pesselistas, por 15,2%. O 3º colocado, o PP, ficou com 5,95% do total.

Contudo, o PSL concentrou 40,7% de todas as interações (curtidas, comentários, compartilhamentos), mais de 3 vezes o volume de interações registrado nos perfis dos petistas (12,2%).

Eis outros destaques do levantamento:

  • número de seguidores: ao longo do 1º ano do governo Bolsonaro, o número de seguidores de todos os congressistas passou de 108,5 milhões para 140,5 milhões –crescimento de 29,5% no período.
  • redes preferidas: no 1º mês de legislatura de 2020, os congressistas mantiveram o Facebook como a rede social mais usada. Na sequência, está o Instagram –pela 1ª vez com mais postagens que o Twitter.
  • interações: foram 91,7 milhões em fevereiro, o que leva à média de 3,1 milhões por dia e de 37 por segundo.

Metodologia

O FSB Influência Congresso monitorou as postagens dos deputados federais e senadores de 1º a 29 de fevereiro, 24 horas por dia. O levantamento captura e analisa o grau de engajamento de todas as publicações feitas pelos congressistas em páginas públicas do Facebook, em contas “business” do Instagram e no Twitter.

A nota de cada congressista do ranking considera o número de seguidores, a quantidade de publicações, o alcance das publicações e o engajamento (curtidas, comentários e compartilhamentos) em cada rede social. São aplicados pesos diferentes a cada item, assim como para cada uma das 3 redes sociais analisadas.

Informações deste post foram publicadas antes pelo Drive, com exclusividade. A newsletter é produzida para assinantes pela equipe de jornalistas do Poder360. Conheça mais o Drive aqui e saiba como receber com antecedência todas as principais informações do poder e da política.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Poder 360

 

Perda total em Explosão da panificadora Pão Chic do Condomínio Mansões Entre Lagos

Na madrugada deste sábado 07/03 aconteceu por volta de 01:20h uma grande explosão em uma padaria (Pão Chique) localizada no comércio local da Etapa 1, do Condomínio Mansões Entre Lagos, Região administrativa do Itapoã, felizmente não houveram vítimas, a destruição foi total.

O prédio abriga a padaria na loja térreo e na parte superior apartamentos onde moram funcionários, nada aconteceu aos funcionários, somente o susto e correria.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) foi de imediato acionado no entanto não conseguiu salvar o maquinário e estoque da loja, o fogo alastrou-se rapidamente.

Após a saída do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) o fogo voltou a alastrar-se onde o proprietário (Julio) voltou a solicitar a presença dos bombeiros

 

 

Vejam o Boletim Informativo do CBDF:

*Explosão da panificadora Pão Chic do Entre Lagos.

Bombeiros apagam incêndio e edifício comercial, após explosão
O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) atendeu essa ocorrência empregando 06 (seis) viaturas e 25 (vinte e cinco) militares.
O incêndio aconteceu em uma panificadora localizada no comércio local da Etapa 1, do Condomínio Entre Lagos, Região administrativa do Paranoá-DF, às 01h18 (07/03).

Assim que nossas equipes chegaram ao local encontraram um cenário de destruição, que sugere que antes das chamas tenha acontecido uma grande explosão, acompanhada de muito fogo e muita fumaça. Além da fachada destruída as portas do estabelecimento foram arrancadas, uma delas foi arremessada a cerca de 50 metros de distância do comércio.
Diante da gravidade da cena, os militares então se dividiram em equipes de busca e salvamento e de combate ao incêndio. As equipes de busca e salvamento vasculharam o ambiente sinistrado assim como o andar superior ao comércio, local este composto de dois apartamentos onde viviam duas famílias, que após ouvirem o barulho da explosão, rapidamente deixaram o local.
Concomitante a busca por vítimas, outra equipe de militares já providenciava o combate ao incêndio, fase em que o isolaram no andar térreo e ali mesmo o extinguiram. O combate as chamas durou cerca de 15 minutos, sendo seguido pela fase do rescaldo. Toda a operação durou cerca de uma hora e meia.
A edificação era constituída da loja e de dois apartamentos, somente a loja foi consumida pelo fogo.
O proprietário do imóvel, que reside próximo ao local, acompanhou toda a atuação dos militares.
Não houve feridos.
A perícia de incêndio do CBMDF foi acionada e a Defesa Civil foi solicitada para avaliar se houve dano a estrutura do prédio. CBMDF

Fonte: http://egnews.com.br

 

Conheça Dataniel Duarte o novo Presidente do CD- Arniqueira/CDDF

Dataniel Duarte, maranhense de Lago da Pedra, 34 anos casado com Erimar e com um filho Daniel, há 40 anos morando em Brasília, e há 18 anos na Arniqueira, chegou à Brasília com o intuito de continuar os estudos e trabalhar.

Graduado em Farmácia, especializado em Análises Clínicas, pós- graduado em História Contemporânea Brasileira, Servidor da Câmara dos Deputados e da Secretária de Saúde – DF ( aposentado), vice- presidente do SindCâmara, Presidente do Conselho Gestor de Saúde de Águas Claras, Diretor Administrativo na Prefeitura Comunitária de Arniqueira, Vice-presidente da Associação da feira permanente de Arniqueira, membro da Executiva do Sindilegis( sindicato dos servidores da Câmara, Senado e TCU), Diretor Jurídico do Sindsaúde, Presidente do Conselho fiscal da Cooperativa de crédito da saúde-DF, sócio proprietário do Laboratório São Marcos, trabalhou no HFAB- Hosp da Força Aérea (1981 – 1997), Hosp Golden Garden( 1986- 1997), SESI ( 1997 – 2007) e membro titular da Executiva do Cidadania e Presidente do Diretório da zonal da 15° zona eleitoral.

Dataniel é muito ligado a família e tem certeza que para o exito de qualquer sonho ou sucesso profissional a família tem que estar em primeiro lugar. Sempre que pode recarrega suas forças ao lado de sua mãe e família.

Dentre as ações que desenvolve na cidade, a criação da Feira Permanente da nova R.A (Arniqueira) é um dos seus maiores objetivos, luta para trazer melhorias e o desenvolvimento para a região onde mora.

“Venho notando o interesse e dedicação do amigo Dataniel nas ações do CDDF, fico muito feliz pela atitude do Diretor de Inovação Dian Alves e da ex-presidente Katileide em coloca-lo à frente do CD- ARNIQUEIRA/AREAL/ADE, quem ganha é a população da região, parabéns”, disse Eugênio Piedade presidente do CDDF.

“No ano passado tive o prazer de ser convidado pelo meu amigo Dian, a participar deste grande movimento criado pelo nosso presidente Eugênio Piedade, que foi o CDDF, iniciei como Diretor de Capitação de recursos, depois passamos a vice-presidente e agora orgulhosamente recebemos o convite para assumir a presidência do CDAA (Arniqueira, ADE e Areal)”, falou Dataniel Duarte.

 

Fonte: http://egnews.com.br

CDDF: Quem é VIVI DOURADO (21964), candidata a conselheira tutelar – Cruzeiro

Viviane Ferreira Dourado, a “Vivi Dourado ”, é designer gráfica, graduada pela Universidade de Brasília (UnB), além de artista plástica e artesã – sua principal fonte de renda. É casada, tem uma filha e mora no Cruzeiro desde que nasceu, há 45 anos.

Vivi Dourado ficou bem conhecida em todo o DF, homenageada inclusive em muitas reportagens, em razão do seu projeto voluntário de revitalização das paradas de ônibus do Cruzeiro. Suas pinturas encantam não apenas os passageiros de ônibus, mas todos os moradores que se orgulham de verem a da história do bairro _ e de seus principais personagens _ retratados com singular beleza e criatividade.

Em virtude de sua destacada atuação na vida cultural do Cruzeiro e de Brasília, Vivi Dourado foi eleita Conselheira de Cultura e hoje também faz parte do Conselheiro de Desenvolvimento de Cidades, do Instituto Aruc Cultural e Diretora de Capacitação do CDC-CDDF. Em 2019 atuou também no Cruzeiro como Educadora Social Voluntária, com atividades de apoio a Pessoas Com Deficiência.

Antes disso, a irrequieta Vivi já havia dado aulas para famílias em situação de rua/vulnerabilidade, onde pôde demonstrar sua intensa dedicação em favor das pessoas mais carentes, especialmente crianças e adolescentes.

Também ministrou aulas/ oficinas de pinturas para crianças, no Portal da Luz, no Colégio Cemic, CEF 1, paras as crianças da Creche Vicente de Paulo, no Cruzeiro.

Ao se apresentar agora como candidata a conselheira tutelar do Cruzeiro, Vivi Dourado garante que “é um sonho a ser realizado”. Ressalta que pretende atuar com determinação e equilíbrio na defesa dos direitos fundamentais das crianças e adolescentes. Para isso, conta com a experiência de ter trabalhado na Delegacia Regional do Trabalho (DRT-DF), de 2004 a 2009, no Combate do Trabalho Infantil, Jovem Aprendiz e Pessoas com Deficiência/SRTE-DF.

“Espero ser eleita com o apoio da comunidade e ajudar esses jovens a se afastarem das drogas, fumo, e outros vícios, como alcoolismo da criminalidade e de quaisquer riscos à formação integral deles como indivíduos dignos de respeito e carinho”, anuncia, confiante nas parcerias que irá buscar para o sucesso desse novo desafio.

Contatos: camisetaspuff@gmail.com , Vivi Dourado II (facebook) 61 (982588183)

DIA 6 DE OUTUBRO, Vote : Vivi Dourado, (21964) Cruzeiro;
“Apesar de facultativo é nossa obrigação e dever pensar nas nossas CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Faça parte desse importante processo de escolha.” DIZ VIVI DOURADO

TJ mantém condenação de funerárias por troca de corpo em velório

Tribunal decide que empresas devem pagar por danos morais. Recurso reconheceu vínculo conjugal de ex-companheira do falecido

Michael Melo/MetrópolesMICHAEL MELO/METRÓPOLES

A 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal, do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), manteve condenação das funerárias Bom Senhor e HR Serviços Póstumos ao pagamento de danos morais em razão de as empresas terem trocado o corpo de falecido durante velório no cemitério Campo da Esperança. Na ocasião, o colegiado estendeu, ainda, a indenização à ex-companheira do morto.

O filho e a ex-companheira de um dos finados disseram que, no dia do funeral, o corpo foi trocado pelo de uma pessoa desconhecida. “O que abalou consideravelmente” os autores da ação, diz o documento. No velório, estavam presentes familiares e amigos.

O juízo de 1ª instância julgou parcialmente procedente o pedido e condenou as empresas a indenizarem o filho do falecido. Porém, negaram esse direito à ex-companheira. A justificativa era de que não havia, nos autos, comprovação de união estável.

Recurso

Entretanto, com a apresentação de recurso, o colegiado reconheceu o vínculo conjugal. Isso por causa da existência de filhos comuns ao casal. Assim, no julgamento do caso, o relator entendeu haver falha das empresas na realização dos serviços póstumos.

Por isso, diante das provas apresentadas pelos requerentes, o erro foi caracterizado pela negligência quanto à preparação dos caixões. Consequentemente, na troca dos corpos antes do traslado ao cemitério.

“A situação causou extremo desconforto e abalo psicológico para a viúva e os familiares, que se depararam com o cadáver de outra pessoa, num momento de fragilidade e dor”, declarou o magistrado.

FONTE: METROPOLES Com informações do TJDFT)

Conheça as 19 possíveis vitimas de Marinésio

Duas mulheres que foram estupradas irão à 6ª DP a fim de identificar o carro, bem como ao DPE para reconhecer o maníaco

Rafaela Felicciano/MetrópolesRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

As duas vítimas que disseram ter sido atacadas por Marinésio Olinto, 41 anos, em 2017 e 2018, após serem obrigadas por ele a embarcar num carro vermelho, farão o reconhecimento do veículo e do maníaco, sob forte esquema de segurança, nesta quinta-feira (05/09/2019). As identificações estavam marcadas para as 13h, na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), mas novo esquema definido pela Polícia Civil separou as ações.

Assim, as duas mulheres – de 17 e 46 anos – irão à 6ª DP para verificar se o carro vermelho – que pertence ao irmão de Marinésio – era o mesmo usado no dia dos estupros atribuídos a ele. O reconhecimento do maníaco ocorrerá no Departamento de Polícia Especializada (DPE), onde há controle no acesso de quem entra e sai, o que evitaria a presença de populares.

As denunciantes já identificaram, por meio de imagens na imprensa, o assassino de Letícia Curado, 26, e de Genir Pereira, 47, como sendo o autor da violência sexual praticada contra elas. O relato das duas é idêntico em vários aspectos. Ambas citaram o carro vermelho e disseram ter sido levadas para uma área de pinheiros no Paranoá e estupradas no mencionado local.

Há expectativa de que os laudos cadavéricos sobre a morte de Letícia fiquem prontos ainda nesta semana. Os investigadores terão acesso aos exames do carro e do lugar onde o corpo da vítima foi encontrado. Um dos documentos indicará se a funcionária do Ministério da Educação sofreu violência sexual. Os resultados vão definir o indiciamento e os crimes a que o maníaco responderá em relação à morte da jovem, que também era advogada.

Nos casos referentes à colaboradora do MEC e à diarista Genir Pereira de Sousa, 47, em 2 de junho, o homem é assassino confesso. Porém, outras 17 mulheres podem ter sido vítimas do cozinheiro.

As denúncias contra Marinésio cresceram depois de sua prisão e de os investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) descobrirem que o criminoso usava outros carros, além da Blazer prata encontrada dois dias após o desaparecimento de Letícia: um Fiat Palio vermelho e um VW Gol preto.

Na Blazer, os agentes encontraram pertences de Letícia Curado. Em um primeiro momento, Marinésio negou o crime. Disse ter comprado de terceiros o celular da advogada – o aparelho estava no banco de trás do veículo. Porém, no porta-luvas, havia uma bolsa com fichário e material escolar, além de um relógio – objetos pessoais da vítima. Em 26 de agosto, três dias após a jovem desaparecer, o corpo dela foi encontrado.

Desde então, a lista de acusações contra Marinésio inclui assassinato, estupro e assédio sexual. Entre as semelhanças que o colocam como suspeito dos casos, está o modus operandi adotado por ele. Aos investigadores da PCDF, o maníaco revelou que tinha o hábito de pegar o carro nos dias de folga e circular pelo DF atrás de mulheres.

Contou ainda que costumava abordar aquelas que estavam sozinhas em paradas de ônibus. Na versão dada aos policiais, o homem ressaltou que era praxe oferecer carona de Planaltina para a Rodoviária do Plano Piloto e, no trajeto, assediar as vítimas. Morador do Vale do Amanhecer, atualmente está detido no DPE.

1) Letícia de Sousa Curado – Desaparecida após sair para o trabalho, em 23 de agosto de 2019, a advogada e funcionária terceirizada do Ministério da Educação (MEC) foi encontrada morta três dias depois. Seu cadáver estava dentro de uma manilha perto da fábrica de sementes Pioneer, na DF-250, na região de Planaltina, onde ela morava. Em depoimento, o cozinheiro assumiu o crime e disse ter matado a jovem enforcada. Letícia tinha 26 anos;

FACEBOOK/REPRODUÇÃOFacebook/Reprodução
Letícia deixou um filho pequeno, de 3 anos

2) Genir Pereira de Sousa – Desaparecida em 2 de junho deste ano, após sair do trabalho. Foi encontrada morta 10 dias depois. Empregada doméstica, a vítima de 47 anos foi vista, momentos antes de desaparecer, caminhando até parada de ônibus no Paranoá. Câmeras de segurança flagraram o carro de Marinésio rondando Genir no dia do desaparecimento;

REPRODUÇÃO/FACEBOOKReprodução/Facebook
Genir: o maníaco também confessou a morte da auxiliar de cozinha

3) Gisvania Pereira dos Santos Silva, 34 anos – Ela foi filmada pela última vez às 4h40 do dia 6 de outubro de 2018 por câmeras de segurança de um posto de gasolina em Sobradinho, região onde morava com os pais e a filha, de 15 anos. No vídeo, Gisvania estava acompanhada de um homem. Ele foi identificado à época, mas a polícia descartou a participação dele no sumiço da mulher, pois ela saiu sozinha do posto;

REPRODUÇÃOReprodução
Gisvania foi vista pela última vez em posto de gasolina em Sobradinho

4) Irmãs atacadas – As vítimas, de 18 e 21 anos, contaram ter fugido de Marinésio um dia depois de ele ter matado Letícia, em Planaltina. Segundo o relato, elas foram atacadas pelo maníaco no dia 24 de agosto, na Rodoviária de Planaltina, menos de 24 horas após o assassinato de Letícia. No trajeto, o suspeito teria assediado as jovens, que conseguiram fugir após uma delas pegar uma panela que estava no banco de trás e ameaçar quebrar o carro dele;

JP RODRIGUES/METRÓPOLESJP Rodrigues/Metrópoles

5) Adolescente de 17 anos – Jovem diz ter sido estuprada, abandonada e chamada de “lixo”. Ela também foi abordada pelo cozinheiro em parada de ônibus. Para que entrasse no carro, o maníaco a ameaçou de morte com uma faca. A vítima foi levada à região de pinheirais, no Paranoá, onde foi abusada pelo suspeito. A adolescente foi a primeira a denunciar que Marinésio usava carro diferente da Blazer prata apreendida;

Rafaela Felicciano/Metrópoles

6) Moradora do Paranoá, de 42 anos – Segundo a vítima, que pediu para não ter o nome divulgado, ela chegou a tentar o suicídio duas vezes devido ao trauma causado pela violência sofrida: afirma ter sido estuprada e espancada. A vítima parou de trabalhar e fez acompanhamento psiquiátrico. Hoje, tem depressão e síndrome do pânico. O caso ocorreu em 2017. Naquele ano, Marinésio teria ameaçado a mulher de morte após ela tentar escapar do veículo do algoz. Aos investigadores, a vítima relatou que o maníaco estava em um carro vermelho;

ALLANE MORAES/ ESP. PARA O METRÓPOLESAllane Moraes/ Esp. para o Metrópoles

7) Lays Dias Gomes, 25 anos – Desapareceu no dia 7 de julho de 2018, após sair de casa rumo a uma parada de ônibus, em Samambaia. A única notícia que a família recebeu sobre Lays foi a de que a jovem trabalhava como garota de programa em movimentado ponto de prostituição de Taguatinga.

Quando tomou conhecimento do fato, Léia Vieira, a prima, chegou a ir até o local conversar com colegas da desaparecida, mas nenhuma informação que a levasse à prima foi encontrada. Ocorre, no entanto, que as garotas de programa com quem a desaparecida dividia ponto reconheceram Marinésio com sendo um frequentador assíduo do local;

MATERIAL CEDIDO AO METRÓPOLESMaterial cedido ao Metrópoles

8) Vítima desaparecida no Paranoá – Caso de 2014 foi reaberto após semelhanças com modo de agir de Marinésio. A polícia não divulgou o nome nem mais informações;

9) Vítima desaparecida em Sobradinho – Essa ocorrência, entre 2014 e 2015, foi reaberta agora após semelhanças com o modus operandi de Marinésio. O nome da vítima não foi divulgado pela polícia;

10) Babá moradora da Fercal – Antonia Rosa Rodrigues Amaro desapareceu há um ano e meio após ter se dirigido a uma parada de ônibus. Ela era babá em uma casa do Lago Sul. A Polícia Civil do DF acredita que o cozinheiro tenha envolvimento com o sumiço dela;

11) Mulher de 23 anos – Segundo o depoimento da vítima, Marinésio a abordou na Rodoviária do Plano Piloto e se apresentou como motorista de transporte pirata – chamados de “loteiros”. A jovem revelou que iria ao Vale do Amanhecer, e o suspeito disse que o local era um dos pontos de sua rota. No meio do caminho, de acordo com a vítima, o suspeito a teria assediado e colocado a mão na perna esquerda da jovem. Para fugir, ela pulou do carro em movimento;

12) Marília de Lurdes Ferreira – Desaparecida em agosto de 2012, ela foi achada morta um mês depois, na linha férrea dos arredores do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). De acordo com familiares, Marília desapareceu após deixar o local de trabalho em direção a uma parada de ônibus para pegar transporte até agência da Caixa Econômica Federal, mas nunca chegou ao destino. A família acredita que ela tenha sido sequestrada por um motorista de transporte pirata;
MATERIAL CEDIDO AO METRÓPOLESMaterial cedido ao Metrópoles

13) Caroline Macêdo Santos – A adolescente de 15 anos foi encontrada morta no Lago Paranoá em maio do ano passado. A jovem era amiga da filha de Marinésio dos Santos Olinto e morava a 800 metros da casa do cozinheiro, no Vale do Amanhecer. Caso foi reaberto após prisão do maníaco;

FACEBOOK/REPRODUÇÃOFacebook/Reprodução
Caroline era muito amiga da filha do maníaco e morava a 800 metros da casa deles, no Vale do Amanhecer

14) Fabiana Santa Alves, 27 anos – Trabalhava como garçonete em um estabelecimento na Estrutural e teria sido deixada pelo namorado dentro de um ônibus rumo ao Paranoá. Após o desaparecimento, em 2013, a família passou a desconfiar do rapaz, mas nunca teve retorno da Divisão de Repressão a Sequestro (DRS), onde o inquérito segue em aberto;

ARQUIVO PESSOALArquivo pessoal
Fabiana desapareceu em 2013

15) Moradora de Planaltina de 50 anos – Disse ter sido abordada pelo cozinheiro quando ia até uma parada de ônibus na Rua Piauí, na mesma região administrativa. Recorda-se que o homem passou com a Blazer prata gritando: “Rodoviária do Plano Piloto”. Por se tratar de um local onde o transporte é deficitário, resolveu embarcar no carro do cozinheiro.

A mulher conta que, quando se aproximaram de alguns pés de eucalipto na estrada, o motorista desviou. Neste momento, o carro foi parado por policiais. Marinésio disse que ela era uma prostituta e os policiais acreditaram na história contada pelo agressor, que decidiu abandoná-la no local;

JP RODRIGUES/ METRÓPOLESJP RODRIGUES/ METRÓPOLES

16) Confeiteira de 39 anos – Foi abordada pelo homem quando procurava transporte para sair de Sobradinho e chegar a Planaltina. De acordo com o relato, após embarcar na Blazer prata de Marinésio, ele começou a assediá-la. Após o suspeito ter dito a ela que os dois iam ficar juntos, a vítima fingiu concordar até que Marinésio parasse o carro. Quando ele parou, próximo ao Polo de Cinema, em Sobradinho, em uma região deserta, a mulher afirma que saiu correndo e conseguiu escapar. Com medo, chegou a se mudar do DF para fugir do homem;

17) Janaína Dias Lopes, 25 anos – Diz ter sido atacada pelo suspeito em 2015, próximo à parada de ônibus do Hospital Regional de Planaltina (HRP). O maníaco, segundo conta, usou uma faca para a obrigar a entrar em seu carro. Ele teria dirigido até matagal nos arredores, onde tentou estuprá-la e a enforcou. A vítima fingiu-se de morta para se livrar do suspeito;

ARQUIVO PESSOALArquivo Pessoal

18) Empregada doméstica de 46 anos – Coincidindo com depoimentos de mais duas mulheres, a vítima, que pediu para não ser identificada, afirmou que o maníaco usava um carro vermelho quando ofereceu carona para ela, no dia 14 de abril deste ano. Ainda de acordo com a mulher, ela só escapou porque fingiu ser uma ex-presidiária da Colmeia, na Papuda;

ANA KAROLLINE RODRIGUES/METRÓPOLESAna Karolline Rodrigues/Metrópoles

19) Jovem de 21 anos – Conta que foi abordada pelo maníaco quando ele estava em um Gol preto. O depoimento bate com a informação dada pelo irmão do assassino confesso. A estudante, que pediu para não ter o nome revelado, procurou inicialmente outra delegacia do DF para fazer a denúncia, mas foi encaminhada para a unidade de Planaltina (31ª DP), onde contou aos policiais sobre o caso de assédio que relata ter sofrido em novembro de 2017.

Fonte: Metropoles

Moradores reclamam das alterações nas linhas de ônibus de Ceilândia

Brasília(DF), 6/9/2018 - DF na Real - ônibus - Ana Carolina da Costa Rosário tem que sair de casa às 5h para chegar ao IFB, onde estuda, às 7h30. Ela sai do Riacho fundo II e vai para Planaltina - pega dois onibus. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

DFTrans anunciou, nesta quinta-feira (14/3), que irá promover uma reorganização nos itinerários da cidade. Decisão desagradou os usuários

Rafaela Felicciano/Metrópoles

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES
Victor Fuzeira

 

As mudanças anunciadas pelo Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) em linhas de ônibus de Ceilândia provocaram reação imediata de usuários. Um abaixo-assinado está sendo organizado para tentar barrar as alterações nos itinerários, que começam a valer a partir deste sábado (16/3).

O DFTrans justificou que as medidas anunciadas nesta quinta-feira (14) são “necessárias para otimizar a operação do sistema, que, atualmente, registra algumas linhas sobrepostas e com um tempo de percurso maior para os usuários”.

A estudante Marta Beserra, 38 anos, reclama que a comunidade não foi ouvida pelo DFTrans. Ela faz o uso de dois coletivos com itinerários diferentes para levar os pais em hospitais do Plano Piloto, onde fazem tratamento contra câncer.

“O 333.8, por exemplo, eu pego há três anos e meio. Isso quando ele resolve passar. Essas linhas foram resultado de um abaixo-assinado pleiteado pelos moradores em 1997 e hoje estão tirando de nós sem nos convocar”, queixa-se.

Segundo Marta, a mudança pode colocar em risco até mesmo a segurança dos passageiros. “Terei que andar mais para poder pegar as novas linhas e temos inúmeros assaltos por aqui. Isso ninguém pensou na hora em que decidiram mudar”.

Quem também reclama é Ana Luísa Barbosa, 18. De segunda a sexta-feira, a jovem precisa pegar o ônibus das linhas 333.8 (P1/Taguatinga) e 385.2 (QNR/Rodoviária do Plano Piloto) para ir até a faculdade onde estuda, localizada em Taguatinga. A primeira terá seu horário alterado e o outro trajeto será suspenso pelo DFTrans.

“Essas linhas passam perto daqui. Eu chegou 23h em casa. Se transferir lá para baixo terei que subir andando uma quadra e meia tarde da noite. É perigoso”, disse ao Metrópoles.

Ana Luísa e Marta estão fazendo um abaixo-assinado para que o órgão reveja as decisões. “Hoje já colhemos assinaturas dentro do ônibus e na cidade. Muita gente quer assinar, outros preferem não se comprometer. Estamos tentando organizar, ainda, um protesto. Nos contaram nessa terça (12) que já ia mudar no sábado (16). Nem deram tempo para nos programarmos”, explicou Ana Luísa.

Procurada pelo reportagem, o DFTrans disse que a reorganização nas linhas é resultado “de pesquisas de campo, além de análise de dados eletrônicos obtidos pelo sistema de informação e reuniões com a comunidade”.

“As principais alterações estão voltadas para melhorar o aproveitamento da frota, reduzindo custos e aumentando a oferta e opções de viagens aos passageiros”, acrescentou, em nota, o órgão.

Confira o que muda a partir deste sábado (16/3)
Linhas novas
0.906-Terminal QNR (Setor O – Expansão – Via M2) / Esplanada (Estrutural)
Tarifa: R$ 5
928.2-QNR 5 (Cond. Sol Nascente – P1/P2 Norte) / Taguacenter
Tarifa: R$ 2,50

Linhas com itinerário alterado
333.2 (Terminal QNR/Taguatinga Centro)
0.344  QNR 5 (P2 Norte – Sol Nascente Trecho III) / Taguatinga (Católica)
0.350 (QNR 5/ Trecho III do Setor Habitacional Sol Nascente (Expansão Setor O) / Taguatinga Sul (Pista Estádio – Areal)
928.1 Setor Habitacional Sol Nascente / Ceilândia Centro (P2 – P1 Norte – Via Estádio)
333.8 Condomínio Sol Nascente (P1 N. – M3) / Taguatinga (Estádio – Shopping – Católica)
0.930 (QNR 5 (Via Estádio) / Esplanada (EPTG – W3 Sul)

Linhas que serão suspensas
0.044 Condomínio Sol Nascente / Setor O (Expansão – M1) / Taguatinga Centro (Estádio – Taguatinga Shopping)
314.1 (QNR – Setor O (Expansão) / Rodoviária do Plano Piloto (ParkShopping – Zoológico)
385.2 (QNR 5 (P1 N – P1 S – Pista do Estádio) / Rodoviária do Plano Piloto (ParkShopping – Zoológico)
0.352 (QNR 5 / Taguatinga Sul (Católica)
0.332 (QNR 5 (Expansão) / Taguatinga Sul (Areal)
333.0 (QNR 5 / Taguatinga Sul (Pistão Sul) / Areal (QS 11)

Fonte: Metropolis

Antenados lança a campanha “De Olho no Futuro

Antenados lança a campanha “De Olho no Futuro, Sólon presidente”, para a eleição de Absalão Ferreira Calado, que concorre à presidência da cooperativa dos feirantes da Feira dos Importados (Cooperfim). A eleição acontece em março e Antenados será o grande responsável por coordenar essa campanha.
Absalão Ferreira é natural de São Paulo. Tem 57 anos, é casado, mora em Taguatinga/DF e é formado em Direito pela Faculdade Unieuro.
Conhecido como Sólon, ele foi um dos fundadores da Feira dos Importados. Muito determinado e ousado, Sólon trabalha neste ramo desde a sua adolescência. Sempre engajado na luta pelos interesses dos feirantes, Sólon fez parte da comissão que decidiu a atual localização da Feira dos Importados.
Com vasta experiência no seguimento cooperativo, Sólon possui grande habilidade no meio político. Além disso, se sente preparado e tem fatores fundamentais para o cargo de presidente da Cooperativa. Foi ele que, com muita luta, trouxe grandes conquistas para a Feira dos Importados, entre elas, a compra da área da feira (única privada do Brasil), a cobertura da feira, a consolidação do modelo cooperativo como meio de lutar em prol dos interesses dos feirantes, patrocínios de empresas privadas na área de propaganda, construção dos banheiros privados e construção do estacionamento privativo (com renda revertida para a feira).
Eleito duas vezes, Sólon assumiu o primeiro mandato pela cooperativa (Cooperfim) e o segundo pela a Associação da Feira dos Importados (Afim).  E, por conhecer tão bem as demandas e os anseios dos feirantes da Feira dos Importados, visando o bem-estar e a melhoria para todos, inclusive para o consumidor que frequenta a feira, Sólon mais uma vez é candidato. Sua meta é continuar trabalhando em prol de todos os cooperados que ali buscam exercer seus trabalhos no dia a dia, promover um ambiente saudável que cada vez mais agrade o público que transita pela Feira dos Importados, em busca de mercadorias. Em média 35 mil pessoas passam pelo local diariamente, de acordo com informações da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).
A campanha para Cooperfim 2019, será realizada com transparência e responsabilidade, por Antenados sob o comando das sócias e diretoras do grupo, Beth Caomon e Mônica Lemets, juntamente com a  equipe.
De olho no futuro, Sólon para presidente da Cooperfim!
Fonte: Laezia