19.2 C
Brasília, BR
terça-feira, maio 26, 2020

Opinião sobre Governabilidade por Alexandre Garcia

Sinceramente?
Que Bolsonaro caia logo e não deixem Mourão assumir.
Façam novas eleições, burlem as urnas e deem logo a vitória para Ciro, Haddad, Moro, Doria, ou qualquer outro vigarista.
Assim o Brasil volta a ser o que era e a imprensa para de encher o saco.
Assim os idiotas se calam e voltam a postar nas redes sociais, apenas suas opiniões sobre futebol, novelas, BBB e música ruim.
Que o novo presidente não dê entrevistas diárias, não se importe com a opinião da população e continue o legado de FHC, Lula e Dilma. Pode acreditar que o Brasil suporta.
Que voltem logo os escândalos de corrupção permitida, assim como a grande farra dos cartões corporativos.
Que amigos e afilhados políticos, sem NENHUMA qualidade técnica, invadam os altos cargos de estatais e que volte assim a reinar mensalões, petrolões e tudo que a mídia aprova e o povo descolado finge que não existe, afinal assim fica tudo bem.
E se acabar o dinheiro???? Oras, é só mandar imprimir mais.
Não tem risco algum de inflação, pois Amoedo, especulador financeiro, e possível ministro, garante isso.
Para que reduzir o número de homicídios e criminalidade? Vamos voltar à liderança do horror. Ninguém se importa e o STF fica feliz.
Japão, Israel e EUA são capitalistas cruéis e não merecem nossa confiança. Vamos apoiar a China, nossa grande parceira, e voltar a injetar dinheiro público em toda e qualquer ditadura de republiquetas.
Vamos encher de dinheiro as ONGs e os bolsos de artistas da MPB, que assim voltam a compor suas merdas super valorizadas e manter suas viagens pelo mundo às custas do dinheiro público. O Instagram precisa dessas imagens.
Quanto às TVs e jornais, especialmente Globo, o novo presidente tem de gastar em publicidade os bilhões da Saúde, para assim manter os altos salários de apresentadores que fingem se importar com o estúpido povo que acredita neles.
Acabou o dinheiro? Amoedo garante, eu já disse: é só imprimir mais. Vamos deixar a mídia feliz e amiga de nosso novo presidente.
O MST precisa voltar a invadir terras sem intervenção da polícia, assim como os sindicatos necessitam cobrar parcelas mensais do trabalhador para financiar o luxo de seus dirigentes. Parem de incomodá-los.
O BNDES tem de voltar a emprestar dinheiro para países “amigos” e empresas “bacanas”, sem cobrar juros e sem nenhuma garantia de pagamento.
Dinheiro não falta, mas se acabar, já sabem: é só imprimir mais e mais e mais…
Precisamos voltar a ter 29 ministérios, cada um dedicado a um partido, para que escolham seus ministros tranquilamente.
A polícia precisa de novos comandos para que a apreensão de drogas diminua, assim como a repressão ao crime, pois precisamos de paz, não de guerras contra facções.
O possível e hipotético futuro Ministro da Justiça e Segurança Pública, Freixo, garante que esse é o caminho.
O novo presidente precisa saber “dialogar” com Senado e Congresso, não negando nenhum benefício a esse grupo de nobres trabalhadores que só querem o bem do Brasil. Merecem aumento de salário, aumento de assessores, vantagens, auxílios, não devemos barrá-los, pois estão lutando pelo Brasil.
Se acabar o dinheiro, é só imprimir, poxa!
Quanto à educação, essa não precisa de nada. É só manter os reitores do PSOL, a UNE do PCdoB e o sagrado método Paulo Freire. E também ensinar mesmo sobre ideologia de gênero para que nossas crianças cresçam sabendo que podem mudar de sexo a hora que desejarem. E mais: nossos últimos lugares no ranking mundial de educação devem ser mantidos.
Ahhhh, que futuro grandioso!!!
Que venha FHC, Lula, Witzel, Haddad, Moro, Doria, ou qualquer outro vigarista, pois o Brasil precisa voltar a ser Brasil.
Poucas pessoas vão ler até o final, pois a grande maioria são analfabetos funcionais. ! Gostam de figurinhas !

Alexandre Garcia!

Postagem: http://egnews.com.br

Alimentação Saudável, a sua principal aliada contra COVID-19

Que tal mudar para uma alimentação saudável e auxiliar o seu organismo aumentando sua imunidade?

Uma alimentação equilibrada é um dos pilares para a boa saúde. E os cuidados com ela devem ser redobrados neste período do ano. Não só por conta do clima, que, com o início do outono, está mais seco e frio, mas porque a grande maioria das pessoas vai ficar confinada em casa, devido ao isolamento social que a pandemia causada pelo novo coronavírus impõe.

Lançamento Be Nutri: Moqueca de Tilápia

CLIQUE AQUI E CONHEÇA OS NOSSOS CARDÁPIOS SAUDÁVEIS

Com a combinação dessas duas situações, porém, podem surgir problemas como obesidade, ansiedade e baixa no sistema imunológico.

“Neste período de isolamento social, é de suma importância manter uma alimentação saudável, com alimentos naturais, uma dieta com baixa caloria, mas sem grandes restrições, para não haver risco de prejuízos à imunidade. Ainda assim, é recomendável buscar orientação nutricional, para que se façam os devidos ajustes caso a caso”, indica a nutricionista Paula Gomes Aguiar.

Já a médica, terapeuta ayurvédica e professora de ioga Marcela Thiemi lembra que nesta época do ano há um aumento das doenças respiratórias e que alguns alimentos podem ajudar bastante nesse sentido.

“Não existe um alimento específico que auxilia o nosso sistema imune a funcionar melhor. Imunidade é uma construção. Temos alimentos com poder anti-inflamatório e antioxidante como as vitaminas e os minerais, por exemplo, e que agem como combustíveis para as nossas células – entre elas, as de defesa. Se a gente tiver essa alimentação equilibrada, vamos ter um bom sistema imunológico”, esclarece.

Aquela velha máxima de “quanto mais cores no nosso prato, melhor”, sempre vale. Frutas, verduras, legumes, sementes, hortaliças, cereais e oleaginosas – se possível in natura e orgânicos – também são grandes aliados.

Perigos

Por outro lado, é importante evitar os grandes vilões alimentares – e isso não vale apenas para a quarentena. Entre eles, estão os ultraprocessados e industrializados, como ressalta Marcela. </CW>
“Esses alimentos passam por vários processos até chegarem às prateleiras dos supermercados. Adicionam gorduras, açúcares e aditivos químicos para torná-los mais saborosos. Os principais exemplos são biscoitos recheados, os alimentos ricos em farinha refinada como o pão branco, sucos prontos, sorvetes, bolos industrializados, temperos industrializados e macarrão instantâneo”, enumera.

Ansiedade

Ficar dentro de casa durante tempo pode aumentar a ansiedade. E muita gente acaba descontando essa ânsia justamente na comida. A nutricionista Paula Aguiar indica o consumo de chás calmantes, como maracujá, melissa e camomila. “Vale também evitar o consumo excessivo de café, pois ele tem grande concentração de cafeína, que aumenta a ansiedade”, orienta a profissional.

Já a médica, terapeuta ayurvédica e professora de ioga Marcela Thiemi sugere alimentos ricos em triptofano, que é o precursor da produção da serotonina (neurotransmissor que regula o sono, o humor e o apetite). Abacate e leguminosas (feijão e lentilha), além de peixes (salmão e atum) e algumas oleaginosas (amêndoas e pistache) são ricos em triptofano.

Ela ainda enfatiza que outros cuidados devem ser levados em conta na hora de tratar a ansiedade, como atividades físicas e boas horas de sono.

“Temos que entender que, ainda mais neste momento, a alimentação tem a ver também com tudo o que os nossos olhos conseguem ver e com o que a nossa boca coloca pra dentro. É importante a gente evitar esse hiperestímulo, essa enxurrada de fake news, de notícias trágicas. Tudo isso é consumido de certa maneira. Temos que pensar na alimentação de uma maneira global”, analisa.

A ansiedade ainda pode levar a outro problema: o ganho de peso e todas as implicações que isso acarreta. Por isso, Marcela salienta a importância de se praticarem atividades físicas mesmo dentro de casa.

“Tem que entender porque esse ganho de peso ocorreu. É porque a gente está comendo demais e gastando de menos ou porque a gente está comendo a mesma coisa e parou de gastar? Está comendo demais por medo, ansiedade? É fundamental tratar a coisa como um todo. A saúde mental, a física, a alimentação. Uma coisa depende da outra”, resume a médica.

Por ANA CLARA BRANT

Postagem: http://egnews.com.br

O que considerar ao comprar o primeiro apartamento em Brasília

Fonte: Pixabay

Para um comprador que está considerando adquirir um apartamento pela primeira vez, o processo de compra de um imóvel pode parecer um pouco intimidador. Sim, existem muitas etapas para comprar a casa que você deseja chamar de lar, e podemos dividi-las em partes gerenciáveis.

Como em qualquer projeto, você ganha a confiança e o desejo de aprender mais quando dá um passo de cada vez e alcança seus objetivos de maneira organizada. Portanto, neste artigo, discutiremos as etapas principais para comprar sua primeira casa com confiança, visitando apartamentos à venda em Brasília e verificando qual deles é a melhor opção para você!

Vamos começar sua próxima aventura? Acompanhe nossas dicas para que em breve você possa sonhar com as suas novas chaves em mãos! Confira!

  1. Saiba o que você quer num imóvel

As melhores aventuras começam com alguns sonhos sérios. Imagine para onde você gostaria de ir, como estará gastando seu tempo e o que significa mais para você em termos de estilo de vida e conveniência. Onde é a melhor localização? Como será a vida nos próximos 5 a 10 anos? O que você vai estar fazendo? Quão grande é a sua família? Este é o primeiro passo. Sonhe com todos os muitos fatores da sua vida e como eles afetarão a decisão de um local e estilo de casa.

  1. Visite o bairro em que deseja morar

Descubra como a casa pode aumentar seu nível de prazer e de qualidade de vida. Você deseja um local conveniente para amigos, trabalho, escola, compras e atividades? Olhe para um mapa e destaque as áreas em que você mais estará frequentando. Em seguida, desenhe um círculo para indicar a área que proporcionaria acesso conveniente aos locais mais visitados. Confira a experiência do trajeto para ver se é aceitável para você. Depois de restringir os bairros que se alinham à atividade da sua vida, você pode começar a se concentrar em ruas ou quarteirões mais específicos. Você terá tempo para sonhar um pouco aqui também, e a ideia é visualizar como seria viver lá e se parece certo para você. Você também pode verificar os bairros durante diferentes horários do dia para ver como é a rotina do local e se isso lhe é confortável.

  1. Coloque suas finanças em dia

Enquanto você está sonhando, jogue um pouco de realismo. Economize o que puder para um adiantamento financeiro, que pode variar de 10% a 50% do preço de compra do seu primeiro apartamento. Também é bom economizar algumas despesas inesperadas que podem advir com a propriedade de uma casa. Poupar é uma coisa boa, mas não fique muito nervoso por não ter o suficiente. Faça o seu melhor e, mais tarde, você conversará com seu agente de empréstimos hipotecários sobre a criação do melhor plano de financiamento.

  1. Saiba o que você precisa e seja eficiente

Mesmo antes de começar a buscar seu novo apartamento com a ajuda de um corretor de imóveis, você pode começar a pensar em qual estilo de moradia será melhor para você. Se você está alugando, pode fazer uma lista do que gostou e gostaria de repetir. Se você deseja algo mais silencioso, mais espaçoso ou mais privado, faça anotações sobre suas preferências e recursos obrigatórios. Esta lista será valiosa para ajudá-lo a permanecer no caminho certo e encontrar o lar certo para esta nova fase da sua vida. Consulte frequentemente sua lista de prioridades para não perder algo realmente importante em favor de um recurso que parece incrível no momento, mas pode ser desnecessário.

  1. Busque informações com um consultor de financiamento

Ao comprar seu primeiro apartamento, o seu guia para o aspecto financeiro deve ser um agente de empréstimos bancários. Essa pessoa é um participante importante em sua equipe e começará a trabalhar com você nos estágios iniciais de planejamento. Como a maioria dos compradores de imóveis iniciantes precisa de um empréstimo para comprar sua casa, há um trabalho que você pode fazer com antecedência para tornar a peça financeira menos estressante. Um corretor de investimento experiente o ajudará a encontrar os melhores empréstimos e taxas  mesmo quando você achava que isso seria difícil de conseguir. Eles têm um entendimento completo dos vários tipos de empréstimos disponíveis, estrutura de taxas, como se qualificar e como solucionar possíveis problemas. Contate alguém por indicação, que seja da sua confiança!

  1. Contate um agente imobiliário

Seu corretor de imóveis será seu advogado e ajudará você em todas as etapas desta grande compra. Seu trabalho é entender e expressar claramente suas prioridades, para que seu agente imobiliário possa orientá-lo e ajudá-lo a encontrar a melhor casa pelo melhor preço. Agora é a hora de encontrar o corretor de imóveis experiente e discutir sua lista de prioridades. É essencial que você encontre um corretor de imóveis que conheça o mercado local e possa trabalhar bem com você como cliente. Se você não possui um corretor de imóveis preferido, peça recomendações!

  1. Busque por imóveis e organize sua mudança!

Após realizar várias visitas, faça uma proposta e aguarde o fechamento do contrato de compra do seu novo apartamento! Selar o acordo em uma casa nova pode induzir esse sentimento entusiasmado de antecipação e aventura. Você pensou em tudo, fez uma ótima escolha, recebeu financiamento, inspecionou a casa e agora seu corretor de imóveis e mais próximo o guiarão pelos detalhes finais. Nesse momento, o vendedor limpou e desocupou a propriedade, e você passou pela casa para fazer uma inspeção visual confirmando que ela está na condição esperada e que todos os componentes acordados ainda estão na casa. Quando tudo estiver assinado e você estiver com suas chaves em mãos, comemore a sua conquista! E, como faria em qualquer ocasião alegre, aproveite ao máximo seu novo lar, deixe-o com a sua cara e tire muitas e muitas fotos para registrar essa incrível lembrança da conquista do seu primeiro apartamento ao longo de sua vida!

Se você gostou deste artigo e está pronto para embarcar em sua jornada de caça a apartamentos, compartilhe-o com amigos que também possam ter interesse nestas dicas preciosas!

Redator: Leonardo Borges

Fonte: http://egnews.com.br

Alerta! Conheça 7 hábitos que engordam

Muitas vezes, por mais que uma pessoa se empenhe em manter o seu peso ideal, seja por meio de dietas, atividades físicas ou os dois combinados, a balança acaba não colaborando e revela o ganho de alguns quilinhos indesejáveis.

Esse “engordar” é o acúmulo energético em certas regiões do corpo, devido ao estoque de carboidratos e gorduras. Isso se deve em grande parte à aquisição de mais calorias do que o organismo precisa, através da alimentação.

No entanto, é bom lembrar que nem tudo é simples quanto parece. Afinal, existem outros fatores que influenciam no ganho de peso e eles estão relacionados a hábitos que temos no nosso dia a dia e que muitas vezes passam despercebidos.

Confira com a gente 7 hábitos que engordam e saiba, de maneira saudável, como manter seu peso ideal e seu metabolismo devidamente equilibrado!

1. SEDENTARISMO

Tão presente na vida das pessoas, o sedentarismo é um verdadeiro inimigo para a nossa saúde. Infelizmente, a tendência é que esse hábito ruim se torne cada vez mais frequente entre as gerações, visto que o avanço tecnológico, ao mesmo tempo que é extremamente útil e dispõe-nos de muitas facilidades, acaba nos trazendo alguns prejuízos.

Por exemplo, são inúmeras as pessoas que trocam uma caminhada pela rapidez que o carro proporciona ao fazer um trajeto curto até um mercado próximo. Esse vício impede que o corpo faça exercícios e queime calorias, algo que é essencial para o funcionamento do metabolismo. Assim, há um acúmulo de energia desnecessária em forma de gordura.

2. DORMIR MAL

Diversos estudos comprovam que o hábito de dormir mal é ruim para o organismo em muitos sentidos. No entanto, recentemente, pesquisas também avaliaram as consequências de uma noite mal dormida no aumento do peso corporal.

Quando acordamos várias vezes pela madrugada ou quando não mantemos uma rotina de descanso, nosso corpo acaba ficando desequilibrado. Afinal, funcionamos como um verdadeiro relógio e, dessa forma, o organismo acaba perdendo a noção dos horários que devemos nos alimentar e em quais proporções. Assim, além de pularmos refeições cruciais, como o café da manhã, acabamos comendo mais do que deveríamos de uma só vez.

3. COMER DISTRAÍDO

Comer distraído também é outro costume que nos leva a engordar. Isso porque, quando comemos prestando atenção a outras atividades, seja ao assistir televisão, jogar vídeo-game ou mexer no celular, acabamos perdendo a noção do quanto comemos e enganamos o organismo quanto à sensação de saciedade.

Para se ter uma ideia geral, pesquisas afirmam que ingerimos quase 50% a mais do que deveríamos por refeição quando estamos comendo distraídos, o que indica o potencial que esse mal hábito possui na nossa saúde.

4. COMER ANTES DE DORMIR

Quem nunca tomou um leite quentinho com bolachas doces antes de pegar no sono, não é mesmo? Pois saiba que, para quem deseja manter o peso ideal ou emagrecer, essa é uma prática totalmente inadequada.

Ao comer antes de dormir não damos tempo suficiente para que a digestão se concretize de forma natural. Então, o organismo acelera o processo e o alimento acaba não sendo aproveitado, e sim estocado em forma de reserva, o que aumenta a massa corporal.

5. ESTRESSE E ANSIEDADE

Estresse, junto com o sedentarismo, infelizmente, é outro problema que enfrentamos no nosso cotidiano. O excesso de compromissos e responsabilidades, associados à pressão e à cobrança acabam por deixar nosso corpo em estado de alerta, o famoso estresse. Esse estado não é saudável, pois, entre outras consequências negativas, acaba liberando um hormônio chamado cortisol, atuante no acúmulo de gorduras pelo corpo.

A ansiedade é outro fator extremamente comum e que está diretamente relacionado ao estresse. Muitas pessoas, como forma de tentar abafar essa sensação, acabam descontando na alimentação, beliscando comidas que não são saudáveis e comendo exageradamente.

6. BEBER POUCA ÁGUA

Além de hidratar o corpo, a água é essencial para o equilíbrio do nosso organismo. Afinal, quando bebemos água, consequentemente há eliminação de toxinas e de líquidos retidos.

As toxinas são adquiridas principalmente quando nossa dieta está incorreta, ou seja, resumida a frituras, doces e muita carne vermelha, o que sobrecarrega o fígado e acumula gordura corporal.

Além disso, a retenção de líquidos acontece quando colocamos muito sal na comida. Os reflexos são percebidos quando nossa pressão arterial fica muito alta e quando ficamos inchados em partes do corpo, como as pernas. Esse inchaço também é atuante no ganho de peso.

Bebendo no mínimo 2 litros de água por dia é possível evitar problemas que podem afetar nosso organismo e manter o peso corporal equilibrado.

7. COMER DEPRESSA

Seja pela pressa do dia a dia ou então por um vício que adquirimos, comer depressa é muito comum entre as pessoas e é também uma das causas quando o assunto é ganho de peso indesejável.

Quando comemos rápido, o alimento não é mastigado o suficiente, o que prejudica a digestão. Além disso, esse hábito não proporciona a sensação de saciedade e mais comida é ingerida, o que gera um acúmulo de energia em grande quantidades.

O ideal é levarmos cerca de 20 minutos para comer, mastigando bem entre cada deglutição e não se distraindo com outras atividades.

COMO MANTER O PESO IDEAL DE FORMA SAUDÁVEL

Da mesma forma que existem hábitos que podem aumentar excessivamente nossa massa corporal, existem outros que, por outro lado, acabam por ajudar na diminuição de peso ou na manutenção da massa corporal de forma equilibrada.

A prática de atividades físicas é uma das recomendações para esse caso, pois além de melhorar o condicionamento físico, acaba queimando as calorias excedentes e diminui o estresse e a ansiedade. Associada a uma melhoria física, está uma dieta equilibrada. Procure comer mais verduras, alimentos cozidos ou assados em vez de fritos, e opte por frutas e alimentos integrais sempre que puder.

Por fim, atente-se aos horários em que for comer e alimente-se com moderação e controle, não se distraindo e não comendo mais do que o devido.

Os hábitos que engordam estão presentes nas vidas de todas as pessoas, mas, felizmente, eles podem ser facilmente solucionados e substituídos por hábitos saudáveis. Por fim, atente-se aos horários em que for comer e alimente-se com moderação e controle.

Em caso de problemas mais específicos quanto ao ganho de peso, não hesite em consultar um nutricionista ou seu médico de confiança!

Já colocou nossas dicas em prática no seu dia a dia? Conte-nos suas experiências nos comentários abaixo, ela é muito importante para nós!

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Runway

Irritação e fome excessiva: veja sinais de depressão infantil na quarentena

Apetite em excesso e aumento da agitação são alguns dos sintomas que devem deixar os pais em alerta no período de isolamento

Mãe e filhaILUSTRAÇÃO/YANKA ROMÃO

A suspensão das aulas, a ausência de contato físico e a incerteza em relação ao futuro devido ao isolamento social ocasionado pela pandemia do novo coronavírus prejudica a saúde mental em diversos sentidos. E não apenas a dos pais, como também a das crianças.

Este mês, um pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) com cerca de 400 médicos de 23 estados e do Distrito Federal constatou um aumento de 89,2% no agravamento de quadros psiquiátricos devido à Covid-19.

Segundo o levantamento, divulgado na última segunda-feira (11/05), 47,9% dos médicos entrevistados receberam mais pacientes após o início da pandemia. Entre eles, estão crianças que não conseguiram se adaptar a essa nova realidade.

A psiquiatra paulista Denise Gobo explica que as consequências do confinamento repercutem no público infantil de diversas formas. Uma das mais decisivas é a maneira como os pais explicam a atual situação aos filhos.

O excesso de trabalho em casa pode ser outro fator agravante. “Aquelas crianças nas quais os responsáveis não conseguem ter um tempo de qualidade tendem a se sentir mais inseguras”, alerta.

Ausência de contato

Levantar cedo, andar de bicicleta e brincar com os pais eram atividades comuns na vida do pequeno Theodoro Techuk, de 5 anos. Sua mãe, a advogada Michelle Techuk, de 40 anos, relembra que a rotina do pequeno era bem agitada antes da pandemia. Por isso, foi difícil explicar “o novo normal” ao filho.

“Tentei falar sobre o confinamento de uma maneira suave, por ele ainda ser muito pequeno. Theodoro sentiu mais na questão do contato direto, de abraçar e beijar. Por ser muito afetuoso, ele tem sofrido bastante com essa restrição”, lamenta.

Segundo a brasilense, o menino sempre foi uma criança tranquila no dia a dia. No entanto, desde o início do confinamento, comportamentos incomuns passaram a fazer parte do cotidiano da família.

“O Theodoro está no auge do estresse. Ele grita sem motivo, come demasiadamente, chama a escola de chata e não quer fazer as tarefas. Em qualquer situação, chora. E, principalmente, está exigindo a minha atenção 24h do dia”, relata Michele.

A advogada diz que não conseguiu manter o home office pela necessidade de dedicação que Theodoro impõe. Ela tem se refugiado no seu escritório com todos os cuidados necessários. Quando chega em casa, as saídas que encontra para acalmar o filho do tédio são variadas.

“Às vezes, coloco Theodoro dentro do carro, de máscara. Dou uma volta pela cidade e ponho um som bem alto para ele dançar. Invisto nas brincadeiras para evitar eletrônicos”, diz.

ARQUIVO PESSOALMichelle-e-Theodoro
Michelle diz que o filho, Theodoro, sente falta dos beijos e abraços
Mãe de três

Com idades e vontades diferentes, a conteudista Luíza Ribeiro, 35 anos, está sentindo na pele como é equilibrar a saúde emocional dos três filhos Benjamin Ribeiro, 9 anos; Constança Ribeiro, 7 anos; e Guadalupe Ribeiro, 4 anos.

Antes do decreto de isolamento, a rotina do clã já intensa, ainda que os três passassem a maior parte do tempo na escola. No início, eles encararam a quarentena como se fossem férias, mas logo tomaram dimensão da situação.

“Um dia, encontrei o Benjamin muito triste. Ele não queria conversar e falar qual era o motivo. Depois, meu filho explicou que sentia falta de brincar com crianças da idade dele. Aquilo partiu meu coração”, relembra a mãe.

Luíza enfatiza que o convívio entre os irmãos tem intensificado as brigas e o estresse, por estarem dividindo o mesmo ambiente. A conteudista conta que a comida em exagero é o momento de conforto dos pequenos.

ARQUIVO PESSOALMãe-de-três
“O meu estresse também está muito evidente, e acabo gritando demais com eles. Consequentemente, eles se exaltam entre si”, lamenta Luíza Ribeiro

Os três estudam em escola pública, portanto, não estão tendo ensino a distância até o momento. Como Luíza trabalha o dia inteiro, tem usado a tecnologia a seu favor, como forma de distrair os pequenos.

“Gostaria de fazer atividades mais elaboradas com as crianças, como a leitura e exercício físico, porém, moro sozinha com eles. É muita demanda para dar conta”, finaliza.

Consequências da quarentena

Apesar das crianças nao fazerem parte dos grupos mais vulneráveis a contaminação pelo vírus, elas não estão imunes aos impactos psicossociais da pandemia. Quem faz o alerta é Roberta Desnos, psicóloga e coordenadora pedagógica do Laboratório Inteligência de Vida, sediado no Rio de Janeiro.

A especialista emenda que a situação é agravada de acordo com a vulnerabilidade econômica e social nos quais os filhos estão inseridos.

Roberta acredita que é muito prematuro ter certeza as consequências a médio e longo prazo da quarentena na mente das crianças. “O foco é estar atento ao que está acontecendo no momento presente e procurar agir em consequência”, indica a psicóloga.

Depressão infantil

É de extrema importância que os pais fiquem atentos quanto a comportamentos atípico da criança, emenda a psiquiatra Denise Gobo.

“Os responsáveis devem prestar atenção na intensidade e duração do fenômeno. Principalmente com o adolescente, que deseja viver o isolamento e apenas ficar no quarto”, previne a médica.

A psicóloga Roberta Desnos ressalta alguns sinais que podem indicar depressão infantil:

  • Alterações de apetite (perda ou compulsão);
  • Insônia ou aumento das horas de sono;
  • Aumento da agitação;
  • Irritabilidade intensa;
  • Desânimo;
  • Isolamento constante;
  • Dificuldades na comunicação;
  • Perda de controle esfincteriano (para crianças que tinham o desfralde com sucesso e agora regridem);
  • Medo intenso e duradouro.
Equilíbrio emocional

A pedido do Metrópoles, Roberta Desnos fez uma lista de algumas comportamentos básicos a fim de buscar o equilíbrio emocional das crianças neste momento delicado.

Diálogo

Converse com as crianças de maneira tranquila e honesta, e de acordo com a capacidade de compreensão de cada idade. Não infantilize a criança ou desconsidere sua percepção da realidade.

Acordos

Revisite, de tempos em tempos, as regras e acordos que foram estabelecidos na dinâmica familiar. As rotinas foram alteradas drasticamente. É preciso rever o que foi combinado com as crianças e fazer as adaptações necessárias.

Rotina

Estar atento à organização da rotina familiar é uma boa estratégia para lidar melhor com esse momento de distanciamento social. Planejar o dia e as atividades que serão realizadas ajuda a criança a ter um ambiente seguro. Isso favorece a prevenção e diminuição de sintomas como estresse e ansiedade.

Momentos de lazer

É preciso preservar o brincar durante a quarentena. Investir em atividades artísticas como pintura, desenho e contação de historias é fundamental para as crianças darem vazão ao que estão sentindo.

Tarefas domésticas

Inclua as crianças na realização das atividades domésticas. Além de ajudar a desenvolver a autonomia, isso aumentará o senso de responsabilidade e pertencimento.

Sono

Invista na higiene de sono, assegurando sonecas ao longo do dia (se forem bebês ou crianças pequenas), estabeleça rituais que ajudam a criança a fazer a transição gradativa do estado em alerta para o sono, e faça adequações necessárias no ambiente em que a criança dorme. À noite, reduza o uso de eletrônicos e diminua a intensidade da luz em casa.

Tecnologia

O uso das telas (televisão, smartphonestablets e computadores) têm sido fundamental nesse momento para a realização das atividades escolares, assim como na manutenção dos laços sociais e afetivos das crianças. Porém, esteja atento ao tempo de exposição e à qualidade do conteúdo, que deve ser articulado de acordo com a faixa etária.

Postagem: http://egnews.com.br

Fonte: Metropoles